Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

Perfil: Jardel o novo “patrão” da Luz - GoalPoint

GP-destaque-Jardel-28Abr2015-1074x483.jpg

 

Muito Interessante o trabalho do Francisco Gomes da Silva para o GoalPoint.pt sobre a grande época de Jardel:

Jardel tem sido uma das principais referências defensivas dos “encarnados”. As exibições do central brasileiro fizeram com que os adeptos esquecessem o argentino Garay.

Inquestionavelmente, Luisão é o grande “patrão” do Benfica, mas a verdade é que Jardel tem trabalhado para atingir esse estatuto.

Com a saída de Garay, o central brasileiro aproveitou a oportunidade e tem rubricado exibições de grande nível, atingindo o seu melhor momento de forma aos 29 anos.

MURALHA DEFENSIVA

Independentemente do desfecho final desta temporada, Jardel ficará nos livros da história como um dos pilares do Benfica de 2014/15. O brasileiro já leva 38 jogos pelos “encarnados”, num total de 120 desde que assinou em Janeiro de 2011.

Defensivamente, Jardel conta uma média de 3,2 intercepções, 1,5 desarmes, 3,7 recuperações e 4,6 alívios a cada 90 minutos na Liga 2014/15. Números bem superiores aos do capitão Luisão, que conta com 1,9, 1,3, 2,8 e 2,8, respectivamente.

O camisola 33 do Benfica destaca-se pelos 28 desarmes eficazes (68,3%) e pelos 149 duelos ganhos (66,5%). Jardel é dos centrais que apresenta melhores números no nosso campeonato mas as boas referências não se ficam por aqui. Um cenário consistente quando também analisamos os duelos aéreos ganhos. O novo “patrão” da Luz já venceu 95 de um total de 129 (73,6%), superior aos 71 ganhos por Luisão.

Uma comparação que não serve para valorizar nenhum dos centrais perante o outro, uma vez que se trata de uma dupla que se tem complementado, criando uma excelente dinâmica defensiva no Benfica.

Ofensivamente ainda apresenta algumas lacunas, mas esta temporada tem sido decisivo. O central já leva quatro golos, todos eles para o campeonato, sendo que um deles aconteceu diante do Sporting já no período de descontos. Um golo fundamental para as pretensões do Benfica que conseguiu empatar o jogo e continuar na frente do campeonato.

No capítulo do passe, Jardel apresenta uma eficácia de 85,1% no total de 1162 passes realizados com sucesso. Uma percentagem elevada mas normal tendo em conta que a posse de bola do Benfica é feita de forma segura, principalmente na primeira fase de construção que começa com o guarda-redes e os centrais.

O central, que era visto como uma alternativa aos titulares, passou a ser um jogador indiscutível na estratégia defensiva do Benfica. Uma surpresa para muitos, talvez não tanto para o seu treinador, Jorge Jesus.

Jardel no "11" da Semana da Marca

1asasa080.jpg

Marca escolheu o seguinte onze sul americano a actuar na Europa para esta semana:

Guarda-redes: Gerónimo Rulli (Real Sociedad, Argentina).


Defesas: Henrique (Nápoles, Brasil), Maxwell (PSG, Brasil), Jardel (Benfica, Brasil).


Médios: Javier Pastore (PSG, Argentina), Carlos Sánchez (Aston Villa, Colômbia), Hernanes (Inter de Milão, Brasil), James Rodríguez (Real Madrid, Colômbia).


Avançados: Lionel Messi (Barcelona, Argentina), Chicharito Hernández (Real Madrid, México) e Ezequiel Lavezzi (PSG, Argentina).

Jardel em entrevista Lance!Net ( Brasil )

Brazuca sai da Quarta Divisão paulista para o Benfica em 18 meses

Zagueiro Jardel supera mesmo problema físico que atormentou Kaká para brilhar no futebol português

Jardel deverá ser o substituto de David Luiz, que está muito próximo do Chelsea (Crédito: Arquivo)

Daniel Leal
Publicada em 24/01/2011 às 14:50
No Rio de Janeiro

Se há um ano e meio dissesse que hoje estaria com a camisa do Benfica (POR), Jardel poderia passar por louco. Afinal, jogava em estádios praticamente vazios na Quarta Divisão paulista, ao lado de garotos ainda em formação e de veteranos sem sucesso. No entanto, o zagueiro de 24 anos conseguiu o improvável: chegou sem pompas à Europa, conquistou seu espaço e, hoje, já é considerado um dos principais nome de sua posição em Portugal.

Revelado pelo Avaí em 2004, Jardel teve início promissor. No entanto, viu sua carreira ameaçada ao passar a conviver com um pubalgia a partir de 2006. Recém-chegado ao Santos, o zagueiro foi operado, perdeu a temporada e temeu o pior.

– A dor é insuportável. Não conseguia fazer nada – conta Jardel.

Ainda com dores, teve de recomeçar, voltando às divisões inferiores com Joinville e Avaí. Aos poucos, voltou a se destacar e despertou a atenção da Traffic. Quando assinou com a empresa, em 2008, Jardel acreditava ter voltado ao rumo do sucesso. Elogiado, o zagueiro ouviu votos de confiança. Estes, porém, tinham de ser recíprocos.

A pedido da Traffic, o defensor disputou a Quarta Divisão paulista de 2009 pelo Desportivo Brasil, pertencente à empresa, enquanto a promessa de ir para a Europa não era cumprida. Jardel jogou seis partidas entre maio e julho, quando, enfim, chegou ao Velho Continente. O destino seria o Estoril (POR), que acabara de fechar parceria com a Traffic.

– O Jardel aceitou dar mais um passo para trás para depois ir adiante – explica Tiago Ribeiro, diretor da Traffic na Europa.

COM A PALAVRA:
Pedro Cunha, repórter do site Maisfutebol.pt
'Jardel terá de ser paciente no Benfica'
A maior arma do Jardel é a capacidade física. Alto, forte,
muito perigoso na bola parada. Ele sofre muito com as
mudanças de velocidade, algo que terá de melhorar para
se impor no Benfica. Devido à concorrência, esta meia
temporada deverá servir de aclimatação a uma realidade
diferente e mais exigente. Mas será mais um brasileiro
a ser acompanhado atentamente.

 

Humilde, mas confiante em seu potencial, o zagueiro não hesitou. Já na primeira temporada, foi eleito o melhor de sua posição na Segundona lusa e viu ofertas aos montes. Orientado pela Traffic, escolheu o Olhanense (POR), da Primeira Divisão.

– Antes de ir para o Olhanense, ele passou três semanas conosco na pré-temporada que fizemos no Brasil, mas sabíamos que ele sairia. Nesse período, ele passou por testes e foi o segundo mais veloz do grupo. Também tem boa técnica, é seguro na bola aérea. Tem muito potencial – diz Vinícius Eutrópio, técnico do Estoril.

Seis meses foram o bastante para Jardel convencer o Benfica de que era o substituto ideal para David Luiz, que está perto do Chelsea (ING). O clube gastou cerca de R$ 1,1 milhão na esperança de que teria um jogador de Seleção. É bom não duvidar.

– As portas se abrem quando você está em um clube grande da Europa, como o Benfica. Vou conquistar meu espaço aqui – avisa.

COM A PALAVRA:
Daúto Faquirá, técnico do Olhanense
'Ele pode chegar à Seleção Brasileira'
Quando Jardel chegou, sabia que iria perdê-lo, era uma
questão de tempo. É um jogador que, mesmo alto, é muito
rápido, sabe sair jogando e aparece bem no ataque. É um
menino muito simples e humilde. Se é bom jogador no
campo, melhor ainda será porque, fora dos gramados,
realmente é uma estrela. Se tiver chance, vai agarrá-la.
E pode, sim, ser convocado para a Seleção.

 

Acordo surpreendente
O acerto com o Benfica foi surpreendente para Jardel – não pela transação em si, mas pela forma como houve seu desfecho. O zagueiro estava concentrado para enfrentar justamente o clube de Lisboa, pela Taça de Portugal, quando, duas horas antes da partida, recebeu um telefonema: ao chegar no Estádio da Luz, deveria ir direto para a sala da presidência. Lá, soube os detalhes da proposta e disse “sim”.

– Foi engraçado, porque encontrei o David Luiz na entrada do estádio, para pegar uma camisa para um amigo, e nem ele sabia de nada – conta Jardel, rindo.

Menos de 24 horas depois, o Benfica anunciou oficialmente sua contratação por cinco anos e meio.

Confira bate-bola exclusivo com o zagueiro Jardel:

LANCENET!: Você chegou a pensar que sua carreira estava em risco por conta da pubalgia?
JARDEL: Sim, sem dúvidas. Depois que operei, passei por um período difícil. Hoje, devo muito à minha esposa e à minha família, que me ajudaram muito a continuar.

LNET!: Qual foi sua reação ao saber que teria de disputar a Quarta Divisão do Campeonato Paulista?
Joguei a Primeira pelo Ituano. Quando terminou, conversaram comigo, dizendo que queriam que jogasse enquanto não abrisse a janela europeia, no meio do ano. Claro que eu queria jogar para ajudá-los. Já tinha ficado muito tempo parado. Só o jogador sabe o que é isso. Disse que poderiam contar comigo e que daria o meu máximo em campo.

LNET!: Sua chegada à Europa aconteceu através de um clube pequeno. Como você viu isso?
Sempre foi meu sonho jogar na Europa. Quando abriu essa porta, botei na minha cabeça que era a chance da minha vida.

LNET!: O que você acha de, talvez, ser o substituto do David Luiz?
Fui contratado para jogar, não para substituir alguém. Vou mostrar minha forma de jogar, minhas características. Estou pronto para jogar.