Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

O Velhinho Imbatível

SLB_oficial_IsabelCutileiro_24.jpg

O Velhinho na Paragem, como lhe chama o grande Cota do Bigode, veio para cá bater recordes. Lamentável.

O guarda-redes brasileiro do Benfica alcançou um novo recorde na sua carreira ao não sofrer golos frente ao Penafiel. Depois da vitória dos 'encarnados' por 4-0 sobre o Penafiel, Júlio César terminou o seu 16º jogo sem sofrer golos na baliza do Benfica, fixando assim um novo recorde na sua carreira quando ainda jogava pelo Inter de Milão.

Júlio César bateu o seu melhor registo europeu em relação à média de jogos sem sofrer golos, contabilizando um total de 27 encontros e 16 jogos sem sofrer golos, o que dá uma média de 59 por cento de imbatibilidade.

O seu anterior recorde, ao serviço do Inter, na temporada de 2005/2006, era de 53 por cento.

 

Bem Vindo, Júlio César

 

É oficial! Júlio César, internacional brasileiro, vai ser guarda redes do Benfica por dois anos. Aos 34 anos é um jogador experiente que conhece as emoções das grandes competições mundiais com uma carreira de respeito de onde se destacam os anos passados em Itália a defender a baliza do Inter de Milão. Ficou também a conhecer o ambiente da Premier League numa experiência pouco feliz no Queens Park Rangers, acabando no pouco atraente futebol do Toronto. Mesmo assim foi ele o dono da baliza do Brasil no Mundial que acabou no mês passado. Foi herói contra o Chile e acabou esmagado pela Alemanha que arrasou a sua equipa com aquela goleada histórica.

Procura um novo impulso na sua carreira e aceitou o desafio de vir para o Benfica. Curriculum não lhe falta, se tiver motivação e vontade para assumir a baliza encarnada pode ser o reforço mais importante deste defeso. Esperemos que assim aconteça.

 

Fica por saber o futuro de Artur no clube e também se virá mais algum guarda redes para completar o plantel nesta posição. Aguardemos. Para já Júlio César chegou, só temos que lhe dar dar as boas vindas e desejar a mesma sorte que teve Oblak nos poucos meses que esteve connosco.