Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

Benfica 3 - 0 Dinamo de Zagreb ( após prolongamento ): Remontada Arrancada a Ferro

_JPT8259.jpg

Vou começar pelo fim. Como reza (quase) sempre a tradição nos jogos na Luz, a ceia aconteceu no Edmundo, em Benfica. Até aqui nada de novo. Uma noite feliz, amigos contentes, conversa prolongada e horas de sono perdidas à mesa. No regresso a casa a surpresa de ter este cachecol vintage bem dobrado em cima da mota.

cache.jpg

Ou foi uma simpática oferta de um benfiquista, hipótese muito remota, ou alguém se esqueceu dele depois de ter ficado a prolongar a conversa à porta do restaurante. Seja como for, fica bem entregue e passará a acompanhar-me. 

Voltando ao principio, ou até ao pré jogo. Cheguei a ler e ouvir que o melhor era cair já hoje para não termos mais que nos distrair do objectivo do campeonato. 

Eu respeito todas as opiniões mas não me podem pedir que concorde com isto. Já o escrevi aqui no blog noutros anos e hoje repito, para mim o Benfica tem de andar nas provas da UEFA até Abril, isto é o mínimo dos mínimos. Quem não entende isto não percebe que o Benfica ganhou o prestigio que tem ganhando na Europa. Uma época normal do Benfica tem que ter jogos das provas da UEFA até Abril, pelo menos. Depois, há as excepções. Um sorteio complicado, uma eliminatória infeliz, uma fase de grupos atípica, enfim, algo justificado para ser uma excepção. Este tem de ser o objectivo, o que é completamente diferente de dizer que o Benfica tem obrigação de eliminar sempre toda e qualquer equipa que apareça pela frente desde que não se chame Real, Barça, Bayern, Manchester ou Juventus. São assuntos diferentes e bem perceptíveis.

Dito isto, é óbvio que o Benfica tinha que eliminar o Dinamo de Zagreb. Era essa a sua obrigação de acordo com o seu historial. Podia custar mais ou menos mas tinha de seguir em frente. 

Custou mais. Bruno Lage manteve-se coerente com a aposta em jogadores menos rodados, renovou a ala esquerda e a dupla de ataque e foi à luta. Teve que chamar reforços do banco, Jonas, Grimaldo e Félix, para conseguir ultrapassar um bem organizado Dinamo que veio disposto a defender o 1-0 da Croácia. Demorou mas o Benfica conseguiu anular a desvantagem, por Jonas, e foi preciso prolongamento para carimbar a passagem aos 1/4 de final da Liga Europa. Pizzi e Rafa fizeram um jogo incrível, e Ferro merece todos os elogios da noite. Fez um golaço que consumou a reviravolta na eliminatória e defensivamente foi um esteio. 

Um apuramento justíssimo e muito importante para que o clube recupere a sua posição europeia. 

 

Houve desgaste? Sim. O treinador terá que fazer alterações para Moreira de Cónegos? Claro que sim. Mas a vida do Benfica tem que ser esta. 

Eu não sei como é que algum benfiquista consegue ser tão racional e objectivo que ao ver a bola rolar numa noite europeia começa a desejar que o jogo corra mal para a equipa ser eliminada e não ter que se esforçar mais até Maio. Eu não consigo pensar assim. Aos 10 minutos já estou desesperado por ver o tempo passar e ainda estar em desvantagem na eliminatória. Talvez sejam traumas de juventude. Daquela noite com o Dukla. Daqueles anos com o Bastia ou o Halmstad, ou talvez até seja daquelas épocas em que não fomos à Europa. Para mim, é impensável torcer para o Benfica sair de competição nas provas da UEFA. 
Foi uma grande noite europeia, à Benfica! Em frente é o caminho. O cansaço físico é superado pela moral vitoriosa psicológica.

Dinamo Zagreb 1 - 0 Benfica: Para Rectificar na Luz

dinamo.jpg

Foi, claramente, a exibição menos interessante do Benfica de Bruno Lage. Há vários factores que podem explicar esta derrota e o resultado negativo.

Quando se fazem opções claras e todos ficam confortáveis com os riscos corridos, então não há que dramatizar muito. Contextualizando este desafio, é preciso perceber que o Benfica vem do ponto mais alto da época, foi ao Porto roubar a liderança ao rival no campeonato, e precisa confirmar essa liderança na próxima 2ª feira contra a SAD do Belenenses que está num bom momento e venceu o Benfica na primeira volta. 

Assim sendo, Bruno Lage optou por ir a jogo sem André Almeida, Samaris, Rafa e Pizzi. Manteve a dupla da frente e tentou garantir as boas dinâmicas com as presenças de Gabriel, da dupla da frente e do quarteto defensivo, que só teve Corchia como novidade. Ficou a ideia que o Benfica assumiu na Croácia que esta eliminatória é para decidir na Luz. 

No entanto, o balanço final desta primeira parte do duelo com o Dinamo deixa sinais preocupantes. Desde logo a lesão de Seferovic que acabou por afectar toda a manobra ofensiva do Benfica. A partir daqui Bruno Lage teve que ir improvisando. Puxou Gedson da direita para o meio, lançou Cervi, recorreu a Rafa e a Zivkovic. Nenhuma das opções resultou em melhorias dentro campo. Krovinovic foi titular e não aproveitou a aposta, demasiado ansioso e perdido nas movimentações da equipa. Aliás, pareceu-me que o grande problema do Benfica foi mesmo posicional, demasiados jogadores fora das zonas de decisão e dinâmicas perdidas. 

Rúben Dias teve um momento infeliz que marcou o jogo, fez penalti e Petkovic fez o resultado. 

O Benfica teve uma oportunidade por Grimaldo, bom passe de Gabriel e João Félix a deixar passar mas foi a excepção numa noite cinzenta. 

Hoje a equipa não correspondeu ao que foi pensado para o jogo, o Dinamo fez o seu jogo, confirmou a qualidade que tem com bola e sem bola.

O resultado de 1-0 em provas europeias é muito traiçoeiro. Se os croatas marcarem na Luz a tarefa fica muito complicada. Mas o Benfica de Bruno Lage tem mostrado uma capacidade goleadora que dá esperanças para uma reviravolta na próxima semana. Terá de ser um Benfica de campeonato nacional, não poderá voltar a repetir esta versão alternativa de lado b

Fica a eliminatória em aberto, tal como o treinador do Benfica previu antes do jogo mas agora a margem de erro do Benfica é muito curta.

Há alguém que não acredite na remontada na Luz?