Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

O Bayer Nunca Ganhou Um Jogo a Equipas de Lisboa *

 

Gosto sempre de ver o Benfica jogar com equipas alemãs porque são do campeonato que mais admiro, além da Premier League. Costumo dizer que nunca é bom desportivamente ter desafios com germânicos porque do lado de cá só se dá valor ao Bayern de Munique ou, recentemente, ao Borussia Dortmund. A falta de cultura futebolística geral leva sempre a multidão a pensar que os jogos contra as equipas que não tenham Bayern ou Borussia no nome são de vitória obrigatória ignorando toda uma realidade de brutal poder financeiro que acontece na, exemplarmente organizada, Bundesliga.

 

No caso do Bayer a ilusão é maior porque o Benfica nunca perdeu com a equipa de Leverkusen tendo passado as duas eliminatórias disputadas. Como aqui escrevi em Fevereiro de 2013, o último duelo entre as duas equipas será ultrapassado na memória colectiva pelo peso romântico do jogo fabuloso de 1994 que terminou empatado 4-4.

 

Na verdade os adeptos do Bayer devem estar bem mais apreensivos do que nós. A sua história com equipas de Lisboa não é nada favorável. Em Maio de 1988 o Leverkusen ganhava a Taça UEFA mas uns meses após a grande conquista calham com o Belenenses na ronda inaugural da UEFA 1988/89. Todo o favoritismo alemão caiu com duas derrotas por 1-0 com os azuis! Estive no Restelo na 2ª mão a ver os detentores da Taça UEFA a serem afastados com um golo de Adão aos 84 minutos depois de Mladenov ter dado a vitória na Alemanha!

 

Uns anos depois, em 1994, voltei a ver o Bayer em Lisboa. Tinham uma senhora equipa com Schuster (ausente na 1ª mão), Kirsten, Thom, Worns, e o excelente guardião Vollborn mais o romeno Lupescu e o brasileiro Paulo Sergio! Assustaram a Luz com o poder atacante e o jogo colectivo. Thom fez o 0-1 aos 66 minutos e a partir daí parecia mais ou menos fatal a saída do Benfica daquela Taça das Taças. Só que antes do apito final Isaías reacendeu a chama da esperança com o empate que mesmo assim era um mau resultado.

Na Alemanha já todos conhecem a história, uma noite mágica e um apuramento por mais golos fora de casa.

No ano passado aconteceu o reencontro, agora na Liga Europa. Em 2010 o Benfica já com Jesus ao comando acabou com a maldição de décadas sem ganhar um jogo na Alemanha. Em Estugarda o Benfica venceu.

Em 2012/13 o duelo com o Bayer foi ainda mais épico em termos de resultados, 2-1 na Luz, 0-1 em Leverkusen! Mas os 4-4 é que ficarão para sempre em destaque.

 

Este primeiro encontro com o Bayer para a Liga dos Campeões é um duro teste para o Benfica. Na Alemanha fala-se que o campeão português vendeu muito e devido à austeridade reforçou-se com jogadores de segunda linha. É isso que se quer, eles que pensem que vai ser fácil. Recordo que na última visita a Leverkusen Jesus deixou de fora do 11: Lima, Rodrigo, Maxi, Enzo e Salvio! E ganhámos 0-1 como podem recordar aqui.

 

Já sabemos que o treinador vai mexer na equipa do Benfica, importa olhar para o outro lado e ver com o que podemos contar.

Desde logo salta a vista o reencontro com o guarda redes Leno, o atacante Kießling, os médios Bender, Castro e Rolfes. Na verdade não vamos rever Gonzalo Castro que está lesionado tal como o polaco Sebastian Boenisch.

A estes velhos conhecidos juntam-se dois dos maiores craques actuais da Bundesliga, o avançado coreano de 22 anos Son e o médio atacante turco de 20 anos Çalhanoğlu, ambos com passado no Hamburgo. Há ainda o eficaz avançado suíço Drmic, o veterano defesa bósnio Spahić e jovens de grande qualidade como Reinartz ou Bellarabi no meio campo.

 

É uma equipa muito competitiva e com grande qualidade, forte a jogar na BayArena. Na Bundesliga estão em 3º com 3 vitórias, 2 empates e 1 derrota, 11-9 em golos. Na Taça passaram com facilidade a 1ª eliminatória contra adversário secundário e chegaram à fase de grupos da Champions League afastando o Copenhaga sem dificuldades. A estreia correu mal com uma derrota no Mónaco mas onde tiveram as melhores oportunidades de golo.

 

Contra o Benfica o técnico R. Schmidt deve apostar em: Leno; Hilbert, Jedvaj, Spahic e Wendell; Bender, Reinartz; Bellarabi,  Çalhanoğlu, Son; Kießling.

 

* o Bayer já ganhou por 3 vezes ao Sporting mas isso é outra conversa

 

1 comentário

Comentar post