Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

Não Tão Mau Como Se Dizia, Não Tão Bom Como Pode Vir a Ser

 

Chegámos ao fim de Setembro, segundo mês de competição da época 2014/15, boa altura para olharmos para o que tem sido o comportamento do Benfica até aqui antes da segunda jornada europeia que marca o começo de Outubro.

 

Depois de um mês de Agosto com a conquista da Supertaça e um arranque positivo no campeonato a afastar de vez a aura negativa que se apoderou de adeptos e , sobretudo, comunicação social ávida em colocar o rótulo Crise no clube, o Benfica confirmou que as previsões que o tiravam da luta pelo 1º lugar estavam algo erradas.

 

O mercado fechou-se, o Benfica arrumou a casa reforçando-se já em Setembro com o atacante Jonas. Não é a situação ideal mas sabemos que terá de ser sempre assim. Infelizmente, o clube não tem os argumentos financeiros dos mais ricos da Europa e tem de esperar pelo final do mercado para definir o plantel. Não é um problema do Benfica, é um problema de todo o futebol europeu. Mais importante do que qualquer chegada foi a manutenção do trio argentino, Gaitan, Enzo e Salvio. Um verão inteiro a sermos ameaçados com a saída de um deles e, felizmente, ficaram todos.

 

Com a Supertaça ganha e a liderança na Liga, a época começa bem mas há algumas dúvidas muito preocupantes para dissipar nos próximos tempos.

A estreia na Europa foi horrível com a derrota na Luz com o Zenit e os pontos perdidos para o Sporting ainda custam a digerir.

 

Baliza

 

Não é bom chegarmos a Outubro com a situação da baliza neste estado de alerta. Artur continua a ser o guarda redes mais utilizado quando já nem devia estar no clube, Júlio César chegou tarde e demora a sossegar a nação benfiquista por causa da sua condição física. Até Paulo Lopes se lesionou e com a expulsão de Artur na Champions corre-se o risco de lançar o jovem Bruno Varela às feras em Leverkusen. É um sector mal resolvido, nota negativa. Esperemos pela afirmação de Júlio César.

 

Defesa

 

Na defesa também há dúvidas que temos de levantar. Se Luisão e Maxi são óbvios titulares, o mesmo não se pode dizer na esquerda. Eliseu foi a última solução encontrada para suceder a Siqueira. A seu favor tem a sua larga experiência a jogar ao mais alto nível, a confiança do treinador e o poder de remate de longe que já valeu dois golos decisivos e valerá mais alguns certamente. Isto não resolve o problema da falta de eficácia a defender e a ocupar tacticamente bem o lugar de defesa esquerdo. Espera-se que vá melhorando enquanto podemos perguntar por Loris Benito...

No centro o lugar de Garay tem sido ocupado pelo voluntarioso Jardel que é homem para segurar as pontas mas não tem qualidade suficiente para ser o titular, como já sabemos há muito tempo. Steven Vitória é carta fora do baralho, a dúvida está no argentino Lisandro Lopez. Fez uma boa temporada em Espanha, tem 25 anos, parece preparado para uma oportunidade no Benfica mas tarda em ser aposta de Jesus. É estranho porque se não tem mais qualidade que Jardel é preciso pensar em procurar um central de bom nível e não só útil. Há ainda o jovem brasileiro de 21 anos, César que ainda deve estar a esquecer o trauma de ter alinhado ao lado de Sidnei na pré-época. Ainda falta o importante regresso de Sílvio lá mais para a frente.

Quando o Benfica está em posição defensiva e a bola anda perto da zona de Artur, Jardel e Eliseu ouve-se falar na bancada em triângulo das bermudas. Isto pode e deve ser melhorado porque é a maior lacuna que há para apontar ao Benfica desta época. É verdade que até se tem sofrido menos golos em comparação com a época passada mas sente-se a insegurança defensiva ao longe.

 

Meio Campo

 

Do meio campo para a frente estão as melhores novidades. Desde logo com Talisca em destaque. Este é mesmo reforço e sente-se a crescer de jogo para jogo. Além do número de golos marcados, nota-se a evolução táctica e a movimentação em campo jogando mais perto de Lima no ataque. E a boa notícia é que só pode melhorar, tanto a nível físico como técnico. Aposta mais do que certa.

Já quanto a Samaris a questão não é tão clara. Nota-se que tem tudo o que é preciso para a posição mas parece que lhe falta maior rapidez de processos e ainda está longe de ser posicionalmente perfeito. Não é nada fácil chegar e impor-se naquela zona do campo, para já não tem sido totalmente convincente mas pode lá chegar com calma. Tem contra si o elevado preço que custou que aumenta a pressão exterior mas está longe de ser uma desilusão. Esperemos para ver como evolui. Esperar também é o que resta ao promissor jovem italiano contratado ao Milan. Cristante aguarda a sua vez e nós também.

Ter ficado com o trio argentino foi o maior trunfo que Jesus podia ter para esta época, Gaitan, Enzo e Salvio são a marca de qualidade superior nesta equipa e fazem toda a diferença. O novo número 10 da equipa, Nico Gaitan, tem estado em excelente nível e com ele em campo ficamos sempre mais confiantes. Salvio tenta confirmar todo o seu talento longe das lesões que tanto atrapalham a sua carreira e até agora tem sido determinante na ala direita e Enzo é o menos extravagante do trio mas está a caminho do seu melhor nível de jogo para jogo.

Nota ainda para a utilização regular de André Almeida que se confirma como jogador de enorme utilidade ainda para mais com a ausência de Ruben Amorim e Fejsa.

 

Ataque

 

Na frente Lima estava a começar a desesperar com a seca de golos e a imprensa já soltava números inquietantes que podiam atrapalhar a eficácia do brasileiro. Felizmente, nos últimos dois jogos marcou e tem sido o principal farol no ataque. Diga-se que em Portugal há avançados em clubes de topo que não marcam um único golo desde Dezembro de 2013 e ninguém se chateia. Ai se fosse o Lima...

Com a partida de Rodrigo parecia que Jesus ia ter aqui outra grande dor de cabeça mas a surpresa Talisca tem disfarçado a mudança. Também há que destacar a utilidade de Derley que tem sido importante sempre que chamado a refrescar o ataque. A grande expectativa está guardada para o ex-Valência Jonas. Se o brasileiro pegar de estaca e confirmar as suas qualidades, Jesus fica com interessantes opções para construir um ataque que até aqui está demasiado dependente da forma de Lima e da explosão de Talisca.

Grandes pontos de interrogação para o que vai ser a época de Sulejmani, Nelson Oliveira, Jara, Pizzi e Ola John, sendo que o holandês parece ser o mais motivado pelas oportunidades que tem tido.

 

Conclusão

 

Há algumas dúvidas preocupantes mas também há grande expectativa em ver algumas peças importantes atingirem um bom nível que leve este plantel para um patamar de qualidade que nos dê garantias de sucesso esta época.

É óptimo estar à frente do campeonato com a equipa ainda longe do ideal porque a tendência é para melhorar e estando à frente a moral é maior.

 

Estamos, portanto, muito longe daquele cenário negro de calamidade nacional que se montou no auge do Verão por causa das derrotas na pré-época e das ameaças de ver partir todos os craques e da falta de qualidade dos reforços. É preciso ter calma e agora é que se começa a ver com que linhas é que nos cosemos.

Este último recado é para a imprensa desportiva e generalista que encheu páginas e páginas de jornais, alimentou noticiários, produziu horas e horas de especiais na televisão sobre a "crise" no Benfica e com alguns protagonistas infelizmente conhecidos de todos nós.

Não é para os adeptos que desesperaram mais ou menos durante o verão. Cada um vive a pré-temporada como quiser. Eu há muito que me deixei de tragédias de verão sabendo que o mercado fecha a 31 de Agosto. Deixa-me muito mais nervoso o facto de termos Artur no plantel ou Jardel a titular do que a possibilidade de vir a perder todos os craques já em Janeiro.

Repito a pergunta que fiz ontem, onde anda aquele pessoal que se envolve em programas sobre "crise" no Benfica? Pensava que o recado estava bem endereçado à malta da CMTV, por exemplo, mas houve muitos a acusarem o toque. Mal, diga-se.

 

Agora é esperar que Outubro continue a correr bem. Não coloco grande importância no jogo de Leverkusen, muito importante é vencer o Arouca na Luz, um jogo que na época passada acabou 2-2, recordo! Na Champions League só quero dignidade e rotação da equipa. Nada de esforços extras ou colocar em risco jogadores importantes para o campeonato. Apenas peço atitude à Benfica na Europa. Como diz Jesus, muito bem, o objectivo é fazer algo que as gerações mais novas de benfiquistas nunca viram, ganhar o campeonato dois anos seguidos.

 

Vamos Benfica!

6 comentários

Comentar post