Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

Falemos dos Mantos Sagrados

 

O tema tem sido cada vez mais discutido pelos benfiquistas tanto nas redes sociais como em Assembleias Gerais. As cores, o modelo, a estética, de há alguns anos para cá são assuntos que ganharam relevância entre a nação encarnada. Não deixa de ser um pormenor mas é algo a que damos muita importância e em vésperas de começar o campeonato gostava de deixar mais umas achegas.

 

Lembro-me de lançar a discussão em 2006 neste texto no sentido de usarmos estrelas nas nossas camisolas.

A ideia inicial era para jogos europeus. Por cima do emblema púnhamos duas estrelas prateadas da cor das Taças dos Campeões que temos orgulhosamente no nosso museu.

 

O Benfica uns tempos depois resolveu adoptar três estrelas e foi mais longe na ideia. O emblema oficial, pelo menos para as provas da UEFA, passava a ser complementado por três estrelas, uma por cada dez campeonatos nacionais ganhos.

A ideia não é má mas perdeu-se o contexto. De repente as camisolas da equipa de futsal, por exemplo, também passaram as ter as três estrelas, o que não faz grande sentido. Penso que entretanto as estrelas já não aparecem nas camisolas das modalidades.

 

A minha opinião é que as três estrelas deviam ser só exibidas em jogos do campeonato ou nas provas nacionais. Nas provas da UEFA usávamos camisolas com duas estrelas prateadas referentes à dupla conquista europeia. E não fazia questão de ter estrelas no emblema oficial do clube sem ser nas camisolas, embora não me incomode nada.

 

Quanto às cores parece-me que hoje em dia é perfeitamente consensual que a camisola secundária do Benfica devia ser branca com contornos encarnados. De cada vez que se fala nisso na rua ou na internet não vejo ninguém discordar do branco. Começa até a ser uma exigência dos benfiquistas. Basta ver nas bancadas a quantidade de réplicas das camisolas brancas vintage compradas na Megastore do clube. Parece que o clube e a Adidas adoptaram antes o preto como alternativo.

 

Outra questão já foi levantada na última Assembleia Geral e refere-se ao facto de continuarmos a não ter a possibilidade de comprar camisolas de manga comprida ignorando assim o facto de as usamos durante uma época inteira que se desenrola a maioria do tempo no inverno/outono, à noite e não em dias de calor para andar de manga curta.

 

Finalmente, a camisola oficial não devia ser alvo de padrões estranhos como esta "rosa dos ventos" ou envolvendo outras cores que não o branco e o vermelho como na temporada passada com golas pretas. Estamos a falar das duas camisolas que ficam ligadas ao ano mais glorioso da história do Benfica com a conquista dos quatro troféus oficiais em Portugal. Mereciam umas camisolas principais com menos invenções e umas alternativas mais de acordo com as tradições do clube, ou seja, brancas.

 

São pormenores, sim. Mas são pormenores que cada vez têm mais atenção da parte dos benfiquistas e que mereciam ser discutidos entre Direcção e Sócios.

3 comentários

Comentar post