Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

CarDeuz, a Lenda !

 

Em Julho de 2007 o Benfica foi jogar à Roménia no centenário do Cluj. Já na altura ligava zero aos jogos de pré época, em caso de vitórias éramos acusados de eufóricos e ridículos, em caso de derrotas instalava-se a depressão. Nada mudou, como se sabe. Mas nesse fim de tarde estive a ver o jogo com atenção só por causa de um reforço paraguaio. Um remate de pé esquerdo, forte e fora da área, foi o que bastou para a minha vida mudar. Lembro-me que a capa d'A Bola no dia seguinte concordava com a minha visão e destacava o avançado. Nem ganhámos o jogo e este reforço jogou ao lado de craques como Zoro, Miguelito ou Bergessio.

Depois foi só esperar pelos jogos com o Nacional e o Celtic para festejar os primeiros golos de Cardozo.

 

O "Terceiro Anel" exigente e desconfiado começava a ver defeitos onde havia, claramente, golos. É pesado, lento, não defende, não se desmarca, não se ri, não é extravagante, não valia os quase 12 Milhões de euros que o Benfica tinha pago. Só fazia golos.

 

Para combater esta aura negativa que desde logo se criou à volta de Cardozo, resolvi destacar o "pormenor" goleador que fazia de Oscar um homem que rapidamente devíamos acarinhar porque há muito tempo que não tínhamos nada parecido na Luz.

A verdade é que vivi órfão de Homens-Golo desde Magnusson. Antes houve Nené, Maniche, Isaías, Filipovic, João Pinto ou mesmo Nuno Gomes, colega de Cardozo durante uns anos mas que nunca me fez esquecer antigos goleadores.

Era isto que eu não entendia no Benfica em 2007, há anos que não acertávamos na contratação de um ponta de lança e quando o achámos não tinha a linha estética que os sócios gostavam. Desesperei.

 

Aos poucos Cardozo foi construindo a sua impressionante colecção de golos em todas as competições. Aos poucos percebi que por muitos golos que o homem marcasse o reconhecimento nunca iria ser unânime. Foi então que decidi chamar-lhe CarDeuz em textos que fui publicando desde 2007. Tantas vezes foi CarDeuz a dar-nos vitórias com aquele pé esquerdo incrível, de cabeça, de longe, a encostar na área, de livre directo, de penalti. Cada golo dele para mim valia por dois, um para o jogo, outro para a bancada que adorava assobiá-lo.

Em 2010 CarDeuz fez golo na Luz e mandou calar os adeptos. Escândalo! Um jogador não manda calar um benfiquista. Sim mas um jogador que caminhava para ser o melhor marcador estrangeiro no Benfica também não podia ser assobiado, digo eu.

 

Foram sete épocas nisto. Bancadas a assobiá-lo e ele a responder com golos, crónicas em jornais a descartá-lo, debates televisivos a criticá-lo, e ele a responder com... golos. Nunca consegui perceber como é que se podia "bater" tanto no homem que me devolveu a ilusão de ver o Benfica a jogar com um goleador a sério. Nunca irei entender a teoria do "O homem não joga nada, pá! Ok, marca golos mas não joga nada!". É isto, CarDeuz foi um tosco que passou por cá e que a "única" coisinha que sabia fazer era... golos. Fraquinho, sim...

 

Cheguei a ser gozado por amigos, familiares, leitores, companheiros de bancada, tudo por causa da minha veneração a CarDeuz. Nunca me quis chatear com isso. É que nem discutia, nunca discuti CarDeuz. Seria estúpido da minha parte perder tempo em discutir com alguém quando tenho do meu lado o argumento de 171 golos em 293 pelo Sport Lisboa e Benfica.

 

Oscar resolveu recompensar a minha dedicação com a maior das prendas que a vida me pode dar: golos ao Sporting. CarDeuz em 7 temporadas a vestir o manto sagrado fez nada mais , nada menos, do que 13 golos aquela gente. Treze! Sei contá-los todos de cabeça sem ver as imagens mas aquele que melhor simboliza o que CarDeuz significou nos derbis foi um que nem teve grande importância. Jogava-se uma das várias vinganças que o Sporting anda a prometer desde que perdeu a final da Taça da Liga connosco. Desta vez a vingança era em Alvalade. Jesus resolveu rodar a equipa e o resultado chegou a 1-3 para desespero das bancadas ao nosso lado. A pouco menos de 10´do fim com o apuramento para a final garantido saltam do banco Aimar, Saviola e Cardozo. Na bancada central houve debandada, do nosso lado ficou tudo louco porque se Cardozo ia entrar então o resultado não ia ficar por ali. E aos 90' ... catrapum! Golo de CarDeuz. Foi este e mais 12 que ficaram nas contas do nosso rival. Não sei se há algum jogador que tenha feito mais golos ao rival do que ele. Mas era assobiado. Pelos nossos adeptos, note-se!

 

Eu percebi e senti que estava a assistir ao crescimento de uma lenda, apreciei e aproveitei todos os golos de CarDeuz pelo Benfica. Vai demorar muito, mesmo muito, tempo para que um outro estrangeiro marque 171 pelo Benfica. CarDeuz fez 34 golos nas provas europeias, ficou entre Eusébio e Nené. CarDeuz é o 9º melhor marcador da história do Benfica à frente de Nuno Gomes e atrás de José Augusto. Mas não conseguiu convencer muitos benfiquistas. CarDeuz ganhou dois campeonatos, uma Taça de Portugal, cinco Taças da Liga e duas Bolas de Prata. Mas muito mais importante que isto, Takuara mostrou ao mundo da forma mais humilde possível o seu respeito por Eusébio. As imagens no cemitério e junto ao caixão aberto na Luz são dignas de uma lenda. Isto ninguém ouse assobiar.

No final do campeonato ganho há pouco mais de dois meses CarDeuz na hora da festa apontou para a braçadeira negra com a imagem de Eusébio dedicando-lhe o campeonato por gestos. Sem exageros. À CarDeuz.

 

A última época foi complicada. Escrevi aqui que depois da final perdida no Jamor para o Vitória que Cardozo devia ter saído juntamente com Jesus. Enganei-me, claro. Mas voltava a dizer o mesmo se voltasse atrás. Jesus ficou e nem vale a pena falar da obra feita. Cardozo acabou por ficar e foi ele que deixou o Benfica ligado ao título na primeira fase do Campeonato. Não nos esqueçamos dos golos essenciais de Oscar neste último Campeonato. Depois veio a lesão e uma recuperação que até hoje não tinha acontecido. Sinceramente, não sei o que se passa com Cardozo desde a lesão mas estou sempre com a esperança que volte à sua melhor forma. Já não vai ser connosco, pois então que seja na Turquia.

Li algo nas últimas horas sobre as declarações respeitosas de Cardozo sobre o nosso clube. A melhor tirada foi quando elegeu a última época na Luz como a melhor da sua carreira porque foi quando ganhou mais títulos. Nem é preciso acrescentar nada ao benfiquismo de Cardozo.

 

Não sou homem de comprar mantos sagrados com nomes de jogadores nas costas. Tenho uma de Luisão comprada em 2005, outra de Petit de 2006 e tenho a da época que acabou tragicamente mas nos deu grandes momentos. Esta camisola tem o 7 nas costas e diz CarDeuz. Foi prenda de aniversário da minha irmã que se juntou ao amigo Pedro que reuniu o autografo dele no manto sagrado. Dele e do resto da equipa. Segundo me contou o Pedro, Takuara achou piada ao facto do nome não estar mal escrito mas ser uma homenagem de um simples adepto que o acha Deus.

 

Vejo futebol na Luz desde o início dos anos 80, tive a felicidade de ver enormes jogadores com a camisola do Benfica, tenho memória, crédito e juízo suficiente para eleger Oscar Cardozo como um dos grandes da nossa gloriosa história.

Só peço que arranjem maneira de o fazer jogar mais uma vez na Luz com as nossas cores numa partida amigável para que o possamos aplaudir de pé como ele merece. Não foi só mais um estrangeiro a passar por cá, é o melhor marcador estrangeiro da nossa história. Vamos desprezar isso e continuar a assobiar ?

 

Obrigado, CarDeuz. Não te digo adeus porque já não sais daqui, és uma lenda do Sport Lisboa e Benfica e eu vi todos os passos de 2007 a 2014.

8 comentários

Comentar post