Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Red Pass

Rumo ao 37

Red Pass

Rumo ao 37

Benfica 2 - 0 Aves: Pessoal, Que Desprezo é Esse?!

_JPT5953.jpg

Na época de todos os ataques contra o Sport Lisboa e Benfica, numa escala nunca vista em Portugal, a sua equipa de futebol voltou a dar uma demonstração de grandeza e de como nada disto bate certo. 

Se o Benfica criou um sistema que lhe facilita a vida no futebol para ganhar mais que os outros porque é que eu aos 70 minutos de um jogo com o Aves em casa estou a ficar sem fome, apesar de não ter almoçado, estou a vislumbrar insónias, apesar de me ter deitado tardíssimo por causa do Lisboa Dance Festival e ter madrugado no dia jogo? 

O golo de Jonas aos 71 minutos foi arrancado a ferros, foi mais uma jogada só possível pela qualidade superior do nosso "10" mas também pelo remate de Fejsa e pela insistência de Cervi.

Se o Benfica tem a vida assim tão facilitada porque é que sofremos tanto? 

Eu dou a resposta, porque ninguém nos dá nada! Ninguém facilita nada contra o Benfica. 

Numa realidade paralela que foi sendo construída desde o título de 2014 e elevada a uma dimensão gigantesca no verão de 2017, o Benfica é um malandro que só ganha porque controla tudo e todos. 

Na realidade, tal como ela é, eu sou um adepto que nos últimos quatro anos tenho visto a maior parte dos jogos do Benfica nos estádios e posso garantir que a maioria deles foi ganha na raça como este com o Aves. 

 

Neste contexto permitam-me que expressa a minha revolta por ver os adeptos do Benfica na Luz alheados da realidade. 

O jogo termina, sofremos juntos mais de uma hora com um empate a zero, pensámos mil um cenários até aparecer essa entidade superior chamada Jonas, vibrámos com mais um golo do nosso Rúben Dias. Vivemos os últimos minutos aliviados, com o sentimento que o fim de semana estava a correr lindamente, com vontade de ir jantar com amigos e fazer planos bonitos em família para domingo. Tudo porque o objectivo principal estava cumprido.

O jogo termina, os suplentes e a equipa técnica entram em campo para celebrar com os 11 jogadores que terminaram a partida. Felizes, aliviados e com vontade de agradecer a presença e o apoio de mais de 50 mil adeptos na Luz. Mas quando olham para as bancadas, enquanto arranca o "hino" a imagem é desoladora. A maior parte dos benfiquistas já estão do lado de fora do estádio, muitos dos que ainda lá estão nem olham para o relvado e dirigem-se cheios de pressa para as saídas. Isto enquanto os nossos homens, juntos, aplaudem os poucos que ainda lá estão.

Isto não devia ser assim. Não pode ser assim. Os benfiquistas deviam esperar mais uns míseros minutos para aplaudir e agradecer o esforço dos nossos, mostrar-lhes que estamos juntos. Não é nas hashtags das redes sociais que a coisa funciona, isso é realidade paralela. 

É um gesto cultural, educacional até. Ficar mais uns minutos depois do fim do jogo e respeitar a saída dos homens que carregam a felicidade dos nossos dias naqueles pés. 

Eu não acho piada nenhuma aqueles rituais da moda que obrigam os jogadores a irem a vários pontos dos estádios fazer coreografias de plástico e importadas de outras paragens como suposto agradecimento aos seus adeptos. Dispenso isso tudo. Apenas peço que a equipa tenha a dignidade de se juntar, olhar para as bancadas e de cabeça bem levantada agradeça a presença e apoio. Nada mais. E até estou bem à vontade para falar disto porque já tenho aqui criticado ocasiões em que os jogadores se esquecem dos seus adeptos e saem apressados. 

Aqui é ao contrário, na Luz despreza-se aqueles minutos de felicidade e de alivio que faz com a nossa vida seja melhor até aos próximos 90 minutos.

Desculpem o desabafo mas não consigo mesmo entender.

 Quanto ao jogo, agora é fácil dizer que Rui Vitória devia ter começado com um esquema de 4-4-2 com Raul no lugar de João Carvalho. Não sei se a equipa técnica durante a semana chegou a ponderar essa mudança, sei que nós enquanto observadores e adeptos passamos muito tempo a pensar no futebol da nossa equipa e equacionamos todas as hipóteses. Mas mesmo que se defenda esta alteração por ausencia do Pizzi há sempre bons argumentos para sustentar a continuidade do 4-3-3. Desde logo uma nova oportunidade a João Carvalho e, a mais forte de todas, é que tem resultado bem e até serviu para golear o último adversário. 

Desta vez, o muro do Aves foi mais resistente e o futebol dinamico construído pelas alas não estava a chegar para colocar problemas a Adriano. A defesa do Aves esteve muito confortável com o 4-2-3-1 de José Mota. 

Foi mesmo preciso recorrer a Raul Jimenez para abrir o ataque do Benfica e dar mais garra também. Foi tudo construído em tempo útil, a partir dos 70 minutos é quando entramos ali na zona vermelha das emoções, portanto, o 2-0 feito na recta final do jogo é justo. 

O que nos faz sair da Luz de cabeça levantada é o sentimento que sofremos muito para ganhar 3 pontos. Só com a nossa qualidade e luta. Sem truques de golos para lá do tempo, sem VAR's, sem lances polémicos, sem protagonismo de árbitros e terceiros. Esta é a realidade. 

E isto nao deve ser desprezado, caros companheiros de bancada. Nem que fosse só por estarmos a ver a evolução de uma Lenda chamada Jonas ao vivo.