Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

Benfica All Star-Amigos de Zidane, 3-3



Que grande dia para o Sport Lisboa e Benfica!
O estádio da Luz recebeu o mundo do futebol que quis mostrar o que de melhor tem este desporto. União de estrelas mundiais com o propósito nobre de angariar fundos para as vítimas da tragédia no Haiti.
Figo, Zidane, e Ronaldo há muitos anos que se preocupam em organizar anualmente um jogo para doarem a receita à luta contra a pobreza. Este ano o palco escolhido foi a capital portuguesa e o estádio da Luz.

Pela primeira vez ao jogo associou-se um clube de futebol que organizou o evento e apresentou a sua equipa All Stars . Esse clube foi o nosso Benfica que mostrou aos portugueses o que o mundo já sabe há muitas décadas, somos um clube de dimensão mundial.

Por isso hoje ouvimos o lendário Zidane agradecer ao Sport Lisboa e Benfica por esta noite. Por isso apareceram mais de 51 mil pessoas nas bancadas da Luz numa noite gelada de 2ª feira.

Além da importância do objectivo do encontro a noite teve mais significados muito especiais para todos os benfiquistas. Hoje é o dia em que celebra o nascimento do Rei Eusébio. Teve direito a celebração bonita. Hoje é o dia em que recordamos a trágica noite de Guimarães em que um jogador vestindo o manto sagrado caiu morto perante os nossos olhares incrédulos. Fez-se o tributo a Fehér que nunca será esquecido por nós. Hoje está de parabéns o nosso Presidente Fernando Martins que tanto fez pelo nosso clube.
Hoje avivou-se a memória de um passado glorioso com a presença de alguns dos melhores jogadores da nossa história, e festejou-se o presente brilhante com os craques que nos indicam um futuro risonho. Tudo em campo ao mesmo tempo. Um jogo de futebol para recordar outros tempos, e imaginar os êxitos de um breve futuro, tudo contra uma equipa onde rodavam autênticas lendas do futebol internacional.

Este ano recebo a minha águia de prata pelos 25 anos de sócio do Sport Lisboa e Benfica. Quando me fiz sócio já frequentava o clube, ia aos jogos todos há uns bons anos. Assim por alto posso dizer que vejo o Benfica jogar ao vivo há 30 anos. É com grande orgulho e emoção que digo que vi TODOS os jogadores que vestiram aquela linda camisola berrante a jogarem no seu tempo.

Humberto Coelho foi o primeiro capitão que me habituei a ver. Ao lado de Bastos Lopes formavam uma dupla impressionante. O central português com mais classe que vi jogar.

Dimas ainda está para as curvas. Era um defesa esquerdo competente mas ainda hoje acho surpreendente a sua saída para a Juventus!

Paneira, o grande Paneira. Homem chegado de um clube humilde que construiu o seu lugar na asa direita com muito trabalho e esforço. Chegou a ser dos melhores no seu lado, mas nunca soube manter-se no topo e os penaltis europeus falhados não ajudaram a ser maior.

Neno defendeu em grande estilo um remate de Zidane. À Neno mesmo! Só faltou uma saída em falso num canto para recordarmos na perfeição os seus anos nos postes.

Abel Xavier conseguiu um regresso glorioso à Luz depois de ter sido corrido com assobios. A sua rebeldia fora de campo fazem dele uma figura querida do Benfica. Grande Faisal!

Mozer ainda hoje mantém a pose de grande central. Um dos melhores de sempre. Deu para recordar aquela noite na Luz contra o Porto de Robson quando Mozer venceu a batalha com o puto Fernando Couto e o Benfica virou o 0-1 para 2-1.

Hélder foi um bom central português dos anos 90. O homem que até marcou nos 3-6 de Alvalade.

Chalana no relvado com a bola. Uma imagem que já não esperava ver mas que viveu comigo diariamente nos anos 80. Na escola esfolavam-se joelhos a festejar golos à Chalana. O melhor extremo esquerdo que vi jogar: "deixem passar o pequeno genial" cantou-se com graça no Topo Sul.

Schwarz foi um do clã dourado sueco. Que jogador! Ainda hoje está ali para as curvas com o seu cabelo impecável.

Abel Silva nunca fez grande carreira na Luz. Prometeu mais do que cumpriu mas ficará para sempre como o homem do golo de Riade.

Pietra, este sim, o dono da camisola "2" do SLB anos a fio. Foi o primeiro defesa direito que conheci no nosso Benfica. Habituei-me ao grande Pietra de tal maneira que acho que até hoje o Benfica não conheceu melhor jogador naquele lugar.

Claro que há sempre Veloso, mas o capitão do bigode e da voltinha perto da bandeira de canto fez os dois lados da defesa e foi um exemplo de longevidade. Não fosse aquele penalti de Estugarda e
seria ainda mais respeitado. O penalti e o filho,claro.

Valido e Paulo Madeira foram mais duas grandes promessas do Benfica. Se Valido nunca teve grande hipóteses de ganhar o seu lugar no eixo da defesa, já Paulo Madeira fez muitos mais jogos pelo Benfica do que aquilo que eu desejava!

Rui Águas foi grande ponta de lança. Mas manchou a sua carreira com aquela passagem pelo clube Corrupto. Nunca será maior que o seu pai, mas tem passagens muito bonitas na nossa história. A noite da 1/2 final em casa com o Steua nunca esquecerei, tal como o 3-1 ao clube Corrupto na Luz em que assinou um hattrick.

Valdo continua com a mesma classe a tratar a bola, um dos melhores "10" que tive a sorte de ver voltou em forma ao relvado da Luz. Faltou um livre para o vermos acariciar o anel antes de bater na bola.

Nené mantém a mesma imagem. Camisola muito bem arrumada dentro do calção branco. Quando comecei a frequentar as bancadas da Luz andava intrigado com o comportamento do Terceiro Anel que tanto criticava o nosso "7". Aquilo não fazia sentido, o homem marcava sempre e levava as baterias Tudor, e os pares de Sapatos que os patrocinadores ofereciam ao marcador do primeiro golo do jogo. E toda a gente gozava com o homem que não sujava os calções. Mas marcava que se fartava!

Por falar em "7", o extremo direito que quase me fez esquecer o Diamantino (não jogou) é checo e veio do Manchester United numa das piores fases da nossa centenária História. Karel Poborsky lá estava hoje no relvado. Costas voltadas para a linha lateral aos pulinhos à espera da bola, em arrancadas com aquela forma de correr tão característica, com as obrigatórias mangas compridas mas com o cabelo curto. Deu ideia que ainda podia simular uma arrancada parecida com aquela que numa tarde fez contra o Braga. Pegou na bola à saída da nossa área e fintou tudo e todos até fazer golo. Enorme Karel merecia ter vivido aqui numa época muito melhor.

Magnusson apresentou-se em versão XXL e com aquele seu humor muito nórdico. Mats fez 99 golos com a nossa camisola! Não quer nada com o exercício físico mas é grande benfiquista e anunciou que fica cá até domingo para ver o triunfo contra o Guimarães e apoiar na caminhada para o título que ele acha que este ano não escapa. Vamos lá fazer a vontade ao homem que nos fez festejar 99 vezes nos anos 90.

Os outros pertencem todos ao passado recente do Benfica e sabe sempre bem ver o Rui a mexer na bola, ou o Miccoli a desfilar todos os seus truques, ou a dupla mais benfiquista da Grécia, Karagounis e Katsouranis.


Uma grande noite em que deu para recordar o enorme passado que este clube tem, e motivar-nos para o futuro que se adivinha glorioso.

Por uma noite a capital mundial do futebol foi o estádio da Luz. A noite em que Figo foi aplaudido na Luz enquanto fazia respeitosas vénias ao melhor jogador da história do Benfica depois de Eusébio, Fernando Chalana - o pequeno genial.

Apetece-me dizer que foi o jogo Benfica - Resto do Mundo, um sonho que tinha na minha juventude e que só concretizava no tapete do Subbuteo inspirado pelo humor do guardião belga Pfaff que animava sempre este tipo de jogos. Hoje cumpriu-se esse sonho, houve uma enorme festa do futebol. Enquanto os marretas das tv's discutiam túneis, socos, frutas, e outras palhaçadas, na Luz jogou-se futebol à escala mundial e fez-se uma receita bonita para doar ao Haiti.

Tenho muito, muito orgulho em ser do Benfica, em frequentar o estádio da Luz há mais de 3o anos, e ter cartão de associado há mais de 25!




Benfica All Stars: Quim, Miguel, Humberto Coelho, Luisão e Dimas; Katsouranis, Paneira, Karagounis, Rui Costa, Nuno Gomes e Miccoli
Jogaram ainda: Neno, Moreira, Abel Xavier, Mozer, Hélder, Miguel Vítor, Chalana, Ramires, Schwarz, Saviola, Éder Luiz, Manuel Fernandes, Abel Silva, Pietra, Valido, Paulo Madeira, Rui Águas, Valdo, Nené e Magnusson
Treinadores: Toni e Jorge Jesus

Amigos de Zidane: Barthez; Dani Alves, Marquez, Fernando Couto, Jean Sony, Figo, Davids, Zidane, Henry, Kaká e Pauleta
Treinadores: Van Gaal e José Peseiro
Jogaram ainda: Luciano, Hierro, Olic, Cocu, Hagi, Kluivert, Popescu, Bhutia, Lehmann, Kluivert, Hagi, Le Saux, Radebe, Pires, Laudrup, Dugarry, Nedved, Akwá, Amer, Alfredo Esteves, Obikwelu, Tymoshchuk, Digão, Ricardo Pereira, Martin Solveig


Marcador: 0-1 por Kaká (14); 1-1 por Nuno Gomes (16); 2-1 por Nuno Gomes (22); 2-2 por Pires (53); 3-2 por Éder Luís (60); 3-3 por Bhutia (84)

9 comentários

Comentar post