Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

O Novo Camp Nou ao Nível do Estádio da Luz

el-nou-camp-nou-a-la-altura-de-los-mejores-estadio

 

El Nou Camp Nou, a la altura de los mejores estadios del mundo

  • El Estadio del FC Barcelona figurará entre la élite de los más novedosos

É assim que um dos jornais mais conceituados da Catalunha, El Mundo Deportivo, apresenta o "novo" estádio do Barcelona. Compara-o aos mais espectaculares do mundo. O estádio da Luz ali está. É bonito. 

Obrigado, Puto Invasor

CgagHYFXEAAgApO.jpg

Um dos melhores momentos da 2ª parte do Benfica - Vitória FC aconteceu quando um adepto invadiu o campo tranquilamente para ir dar um abraço correspondido a Ederson que estava ali sozinho no nosso meio campo. Acredito que o companheiro terá dito ao nosso guarda redes para ficar atento ao último lance do Vitória perto do fim do jogo. Obrigado e boa sorte com isso da multa. 

Benfica 2 - 1 Vitória de Setúbal: Abençoados Por Miccoli

_JPT1343.jpg

  (Fotos: João Trindade) 

 

Agarrando naquela ideia que já usei noutras crónicas, quem diz que o futebol é uma festa é maluco. A festa hoje durou 18 segundos. Ao fim de 18 segundos já tinha o coração acelerado, a cabeça a doer, o jantar às voltas e os piores pesadelos a espreitarem. Futebol é sofrer até ver a nossa equipa ganhar. 

Saída de bola para o Vitória, ataque rápido pelo seu lado direito, cruzamento e golo de André Claro. Foi assim que começou o jogo na Luz. Ainda não tinha passado um minuto de jogo e os jogadores sadinos, tal como o suplentes, festejavam como se lhes tivesse saído o Euromilhões. 

 

A estratégia de Quim Machado era defender o mais possível por defeito, com uma entrada triunfal destas, os jogadores acreditaram mesmo que iam ter uma noite feliz. 

Mas a resposta do Benfica foi à campeão. Com a casa cheia de adeptos entusiastas a empurrar a equipa para a frente, os homens de Rui Vitória lançaram-se num ataque cerrado à baliza de Ricardo. Remates de longe, combinações nas alas e no meio, pontapés de canto bem marcados, a técnica de Jonas e Gaitán a desequilibrarem, Renato Sanches chamado a levar o jogo às costas e o guarda redes do Vitória a ameaçar fazer uma daquelas noites perfeitas à Marco Tábuas.

_JT_8668.jpg

Felizmente, não durou muito a resistência do Vitória, primeiro Jonas e depois Jardel deram a volta ao resultado para alivio dos mais de 54 mil espectadores presentes na Luz. Entre eles, um muito especial, Fabrizio Miccoli veio matar saudades de uma casa que será também sempre dele. Não podíamos fazer uma desfeita ao pequeno italiano que abençoou este triunfo importante.

 

Aos 23' o Benfica passava para a frente, o Vitória tinha que voltar a sair do seu quintal e nem podia recorrer ao anti jogo. A maneira fechada com que guardavam a baliza de Ricardo até parecia que escondia uma pequena fortuna para cada um caso a bola não entrasse.

A equipa de Rui Vitória controlou o jogo e respirou fundo enquanto procurava mais um golo até ao intervalo mas de forma muito menos apressada.

 

Ao intervalo comentava-se que era preciso marcar mais um golo para ficarmos todos mais tranquilos.

_JPT1206.jpg

Quando se esperava uma entrada forte do Benfica na 2ª parte, aconteceu o contrário. A equipa pareceu mais preocupada em gerir do que em atacar levando o público ao desespero. Jonas e, principalmente, Mitroglou, tinham ficado de fora na jornada europeia mas não mostravam mais frescura fisica por isso. Pizzi esteve completamente desastroso, tudo lhe saiu mal e pedia-se a sua substituição. Rui Vitória preferiu lançar Jimenez no lugar de Mitroglou, trocar Fejsa por Samaris e Gaitan por Carcela.

Nada parecia resultar, o Benfica continuava a insistir mal pela direita e o Vitória tentava ter posse de bola em busca de um golo milionário. 

Foram minutos de angústia nas bancadas, por um lado queríamos apoiar e ajudar a equipa a resistir, por outro havia aquele medo cénico de um golo caído do céu arruinar a nossa noite. Assobios misturados com incentivos, muito nervosismo no Terceiro Anel, e outro tanto dentro campo. 

_JPT1214.jpg

O terceiro golo não saía e já se festejavam alívios de bola na defesa. Ao contrário do que aconteceu no Bessa e em Coimbra, o relógio parecia parado, o tempo passava muito devagar.

Para recuperar a tradição de uma emoção forte perto do final do jogo, Pizzi resolve por a prova a resistência cardíaca de mais de 50 mil pessoas. Um passe inacreditável do meio campo para trás a desmarcar Arnold que só não marcou porque apareceu rápido como uma seta Ederson a evitar a tragédia. Ainda houve uma recarga que fez parar os corações na Luz com a bola a sair ao lado. Não preciso disto para saber que estou vivo, obrigado. Os festejos no Bessa e em Coimbra já mostraram que ainda aguento emoções fortes em vésperas de aniversário mas não é preciso arriscar passes destes com 2-1.

_JPT1382.jpg

O jogo valeu pela primeira parte, pela excelente reacção do Benfica que só não começou mais cedo porque foi anulado um golo por fora de jogo. Aqui há linhas de fora de jogo para que ninguém fique com dúvidas e aqui não validam golos ilegais. Só para todos percebam com que armas andamos a lutar.

Portanto, um Vitória rápido a marcar e com motivação extra, um Benfica a mostrar que quer ser campeão marcando golos legais para que ninguém amanhã tenha nada para discutir e um Pizzi a querer testar a resistência cardíaca de todos.

_JPT1133.jpg

 Tudo acabou bem, mais três pontos. Missão cumprida.

Ainda não foi desta que saiu o Euromilhões aos jogadores sadinos.

O Benfica no These Football Times

tft.jpg

 O These Football Times é um dos sites que mais gosto de ler. Sempre com artigos excelentes à volta do futebol e com uma qualidade gráfica e escrita superior.
Certamente, os autores que ali escrevem ainda não devem ter descoberto a interessante prosa do rei dos comunicados e, por isso, perdem tempo com um clube que chamou a atenção nos últimos dias pela sua prestação na  Champions League. Os golos contra o Bayern, os elogios dos adversários, o ambiente da Luz e a paixão dos benfiquistas inspiraram o These Football Times a publicar este completo artigo.

É uma pérola que devem descobrir clicando na imagem de cima.

Por cá, a verdade desportiva ficou fora de jogo.

Um Exemplo da Desonestidade Intelectual: O Bayern de 2009 Muito Melhor Que o Actual!

2009.jpg

Como se sabe, faço parte do painel de um programa da BTV desde o final da época passada, e também já me terão visto a comentar antes ou depois de alguns jogos do Benfica. Faço-o com a mesma paixão com que escrevo aqui e sempre com a preocupação de acrescentar algo com a minha experiência de acompanhar o clube há vários anos. Mas tenho sempre um enorme pavor antes das minhas intervenções públicas, não quero ser apanhado nunca a dizer barbaridades. Uns lapsos, uns erros de memória, isso é normal de acontecer. Tento evitar ao máximo mas, às vezes, acontece. Agora, dizer mentiras, inventar e aldrabar a história, isso nunca farei. Tenho pavor de ser induzido em erro e dizer alguma alarvidade que fique registada para sempre.

 

Posto isto, podem imaginar o meu espanto quando me deparo com uma figura pública, Helder do Amaral, respeitado deputado na Assembleia da República pelo CDS, comparar na CMTV o Bayern que eliminou o Sporting e aquele que veio agora à Luz.

São poucos segundos cheios de pérolas:

 

Bom, para quem tem memória futebolística, como eu, não é complicado soltar imediatamente uma exclamação de espanto perante tanta mentira dita em tão pouco tempo.
Para quem tem uma cabeça bem mais saudável que a minha e não guarda estes dados automaticamente, pode pensar que se calhar o homem tem razão em alguma coisa. 
Em jeito de resumo avanço já que não acertou em nada! Falamos da época 2008/2009, nem foi assim há tanto tempo, caramba! 
Vocês ouviram bem, o senhor deputado disse que aquele Bayern que humilhou o seu clube ganhou TUDO! 
Ou o conceito de ganhar mudou mesmo de vez para aqueles lados ou o ilustre representante popular na Assembleia da República pelo CDS é mentiroso. É que aquele Bayern não ganhou NADA!! 
 
Para explicar ao pormenor o que foi aquela triste época do Bayern, apenas animada com as goleadas europeias aos tristes coitados às listas, recorro de um texto do Ricardo Solnado que, cheio de ironia, mostra as diferenças entre aquele "grande" Bayern e este "pobre" Bayern: 
 

Então vamos lá falar do Bayern de 2008/09, o Bayern dos 12-1.

csm_51007-wolfsburg_bayern_2009_getty_52e353af61.j

 - Campeão europeu nessa época, que depois dos 12-1 foi levar 4-0 a Barcelona, e depois conseguiu empatar 1-1 em casa.

- Campeão alemão com 20 vitórias, 7 empates e 7 derrotas, com menos 2 pontos que o Wolfsburgo.

- Vencedor da Taça depois de perder 4x2 em Leverkusen nos 1/4 de final, num jogo em que até marcou um tal de... Arturo Vidal.

 epa01655371-bayer-leverkusens-patrick-helmes-c-r-s

Lukas Podolski foi o melhor marcador da Champions, com os 2 golos que apontou ao Sporting. Únicos nessa época na prova europeia num total de 9 em 31 jogos em todas as competições.

Klinsmann seria despedido em Abril, pois o Bayern corria risco de não se qualificar para a Champions. Heynckes foi treinador interino em 5 jornadas, e fez 13 pontos, levando a equipa ao 2ºlugar. Van Gaal seria o seu sucessor.

 

Para quem ainda estiver com paciência, vamos falar do plantel do Bayern:

Kahn tinha-se reformado, Rensing era o titular e Butt, contratado ao Benfica, o seu suplente. Iam alternando a baliza depois de Rensing ter provado que não tinha valor.

Como centrais tínhamos Lúcio, Demichelis e van Buyten. Ah, e nos 7-1 jogou Breno, que anos mais tarde seria preso por incendiar a própria casa.

Lahm era lateral...esquerdo. À direita alternavam Oddo (emprestado pelo Milão) e Lell. Altintop safava às vezes.

A meio-campo Van Bommel era o capitão e referência. Ao seu lado jogava a jovem promessa brasileira Zé Roberto, filho de Renato Sanches. Por vezes jogava Ottl, futura referência do meio-campo da Mannschaft. Kroos era emprestado ao Leverkusen para ganhar rodagem.

Nas alas, brilhava Ribery num lado e no outro jogava... Schweinsteiger, ainda antes de ter sido "inventado" como número 8 e ainda antes de ter saído do Bayern para estar lesionado toda a época em Manchester. Suplentes para as alas eram Altintop e Sosa, para quem não sabe viria a marcar o golo decisivo na final de um Mundial.

Na frente, alem do matador e habitual suplente Podolski, os titulares eram Toni e Klose. Juntos nessa época gloriosa, fizeram 38 golos, num total de 72 presenças combinadas.

 

A 15 de Abril de 2016, Lewandowski tem 36 golos e Muller 29 (que até se estreou a marcar pelo Bayern, vindo dos juniores, nos tais 7-1).

E claro, quem são Neuer, Alaba, Javi Martinez, Xabi Alonso, Vidal, Thiago, Douglas Costa, Gotze, Coman, para não falar dos lesionados Robben, Boateng, Badstuber ou Benatia ?

 

Choram os adeptos do Bayern, com saudades da gloriosa época de 2008/09, onde não ganharam nada mas deram 12-1 ao Sporting! Faz lembrar uns adeptos que têm saudades da gloriosa época de 1986/87, onde nada ganharam mas deram 7-1 ao seu rival.

 
 

10 Coisas a Reter no Regresso ao Nosso Triste Quintal

13007375_984794691568167_2276178419443460507_n.jpg

Andámos uns dias nas nuvens dedicados a leituras deliciosas, respeitosas e elogiosas para com o nosso Benfica que nos chegavam de Itália, França, Espanha, Inglaterra ou Brasil. Pelo menos, os que têm prazer em ler sobre futebol e seguem com atenção os editores e colaboradores de publicações de referência publicadas em línguas que consigamos perceber. Vários textos sobre a aposta do Benfica em sete miúdos que tiveram a sua estreia absoluta na Liga dos Campeões este ano, alguns deles deixando fortes marcas, sobre Rui Vitória que jogou pela primeira vez a prova, sobre o nosso estádio, sobre o apoio dos nossos adeptos em Munique, sobre o ambiente fantástico criado na noite de 4ª feira passada. Isto a juntar aos saborosos elogios vindos de figuras maiores do futebol mundial como Pep Guardiola, Arturo Vidal e até Cristiano Ronaldo.

 

Mais de metade do que li não apareceu em lado nenhum da imprensa nacional. É algo espantoso que tantas referências ao Benfica não tenham tido eco por cá. Tudo o que descobri foi porque apareceu em edições internacionais que já costumo acompanhar ou partilhado por amigos que são igualmente atentos a artigos de futebol. 

 

Então com que é a imprensa nacional, e as redes sociais, anda entretida, agora terminou a carreira europeia das equipas portuguesas? Depois de um duro regresso à realidade do nosso triste quintalzinho futebolístico tirei algumas conclusões que partilho:

 

- O Benfica andou a amealhar milhões na Champions mas foi ao Sporting que saiu o Euromilhões. Isto pelo que se lê pelas redes sociais onde se fala de prémios motivacionais aos nossos próximos adversário. Mais de 200 mil euros para o Sado, e reforço do plantel para a nova época em Vila do Conde com a cedência em definitivo de Heldon mais dois emprestados. Nada mau. Não admira que os jogadores do Rio Ave estejam mais preocupados com a recepção ao Benfica do que com a deslocação a Arouca, importantíssima para o acesso à Europa. 

 

- O Benfica é que chegou a Abril envolvido em três frentes de luta mas o Sporting é que está preocupado com o calendário. Em vez de nos agradecerem os pontos que conquistámos para o ranking da UEFA, que permite a clubes que raramente ganham campeonatos irem à Champions, apressaram-se a criticar a data do jogo do campeonato após o duelo com o Bayern. Acham um escândalo que se jogue só na 2ª feira. Mas já acharam óptimo que tivéssemos jogado com o Braga poucas horas após o regresso de Jonas do Brasil, por exemplo. Surreal! 

Também a data da Taça da Liga faz comichão em Alvalade. A Liga decidiu marcar para dia 2 de Maio, o Sporting queixa-se que isto é tudo como o Benfica quer. O Belenenses riu-se porque ainda há poucos dias não quis jogar um derby numa 2a feira à noite mas não teve outro remédio. 

Isto tudo vindo de um clube que paga milionariamente ao seu treinador que não conseguiu entrar na Champions, que foi corrido da Liga Europa, que se despediu da Taça de Portugal antes do Natal e que falhou o apuramento na Taça da Liga com derrota contra uma equipa do segundo escalão. Imaginem se estivessem na luta por quase todos os troféus como nós...

 

- Escrevi um treinador milionariamente pago com rigor, porque parece que daquela equipa técnica só o chefe é que tem os ordenados em dias

 

- Renato Sanches na imprensa internacional é o puto do momento, cheio de elogios. Por cá continua a ser um delinquente que foge ao serviço militar com idade falsa. É o que temos.

 

- Pelo que leio na imprensa portuguesa, um tal de Alan Ruiz é mais craque que todos os craques que disputaram o acesso às meias finais da Champions. Óptimo para o nosso campeonato.

 

- Outro facto relevante, o Sporting é o que está no melhor momento enquanto o Benfica só ganha com sorte. É isso.

 

- O Sporting é a equipa mais carregada de jogos esta época, tem mais um que o Benfica. O facto de terem andado em pré eliminatórias que dispensam campeões não é relevante. E o facto de desse jogo a mais não ter servido para nada, também não.

 

- Carlos Mané não tem problema nenhum. Desabafa em redes sociais. 

 

- João Pereira não desapareceu, continua a treinar muito bem. O resto são decisões. Que nenhuma imprensa ousa colocar em causa, obviamente. Tal como os desabafos do Mané. A tal imprensa que protege o Benfica. Olha, olha... se isto fosse na Luz... 

 

- No Porto está tudo calmo e tranquilo a preparar a nova época. Capas a falar de crise? Zero.

 

Percebem agora que quanto mais tempo andarmos na Europa menos tempo temos para ler a excelente imprensa portuguesa e todos os comunicados e todas as provocações saídas de vários canais verdes plantados um pouco por todo lado. 

Voltamos à realidade do nosso quintal. É aguentar esta poluição sonora e escrita mais cinco jornadas com a mesma força que temos mostrado até aqui. Os elogios de quem nos vê mais longe servem de motivação contra isto que se vê por cá.