Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

SC Braga – SL Benfica: Bilhetes à venda a partir das 10h00 deste sábado

No próximo dia 26 de Outubro, a equipa liderada por Jorge Jesus desloca-se ao estádio AXA, para disputar, frente ao SC Braga, a 8.ª jornada da Primeira Liga. Os bilhetes estão à venda a partir das 10h00 deste sábado, nos locais habituais.

 

O encontro está agendado para as 20h15.

Locais de Venda:
- Bilheteiras Estádio da Luz
- Departamento das Casas do Benfica

Preço dos Bilhetes:
- Bancada Adeptos Visitantes Nascente Superior A16 – 10,00 €
- Bancada Adeptos Visitantes Nascente Superior A15 – 15,00 €
- Bancada Adeptos Visitantes Nascente Superior A14 – 25,00 €

Início/Fim da venda de ingressos:
- Inicio: Sábado  (18  Outubro, às 10h00)
- Fim: Sábado  (25 Outubro, às 20h00), ou até que esgotem 

Condições de Venda:
- Venda de Bilhetes Exclusiva a Sócios do SL BENFICA detentores de RedPass dia 18 a 20 de Outubro;
- Venda de Bilhetes Exclusiva a Sócios do SL BENFICA dia 21 a 23 de Outubro;
- Venda de Bilhetes livre a todos os Sócios, adeptos e simpatizantes do SL BENFICA dia 24 e 25 de Outubro

Estrela de Portalegre na Luz, A Noite de Tó Portela

 

86-87-o.bairro-elvas-tp.jpg

(Chalana contra o Estrela de Portalegre)

 

A propósito do post sobre a visita à Covilhã recordei que na última época dos serranos na primeira divisão o Benfica cruzou-se na Taça de Portugal com o Estrela de Portalegre. São encontros destes que marcam a nossa memória por serem jogos tão raros.

O jogo aconteceu na segunda metade da temporada 1987/88 numa 4a feira à noite. No fim de semana anterior o Benfica tinha vencido o derby com o Sporting por 4-1, jogo em que Paulinho Cascavel até pôs o rival na frente aos 3 minutos, e depois deste jogo na Taça havia uma viagem a Elvas para fazer que terminou zero a zero.

O jogo com o Sport Clube Estrela, nome oficial do clube de Portalegre, tinha tudo para ser tranquilo. Os verdes estavam na segunda divisão, nessa temporada conseguiram a melhor igualar a melhor classificação de sempre com um 5º lugar, e a diferença entre as duas primeiras divisões na altura eram bem mais vincadas do que actualmente.

 

Fui à Luz cheio de curiosidade para ver como era o equipamento do Estrela. Apresentaram-se com uma cor feia, todos de verde. O Benfica treinado por Toni não facilitava no 11 escolhido: Bento, Tueba, Shéu, Edmundo e Álvaro; Padinha, Nunes e Chalana (Tó Portela), Diamantino (Augusto), Rui Águas e Wando.

A exibição do Benfica foi desinspiradíssima e rapidamente as bancadas reagiram com assobios. Depois dos 4-1 ao Sporting como era possível não fazer um golo ao Estrela de Portalegre. A verdade é que a bola não entrou mesmo e o jogo acabou empatado a zero!

No prolongamento já com o Terceiro Anel à beira de um ataque de nervos saiu Chalana, muito longe do pequeno genial que conhecemos antes da etapa Bordéus, para entrar uma jovem esperança do ataque encarnado, Tó Portela. A substituição aconteceu aos 10 minutos do prolongamento e cinco minutos depois Tó Portela marcou o golo que eliminou o Estrela. Uma estreia em grande. Em duas épocas na Luz, Tó Portela entrou em 12 jogos e fez 4 golos, o primeiro foi nesta noite de Taça.

 

Memórias de Benfica e Covilhã nos Anos 80

600.jpg

 

Recordo-me bem da última época do Sporting da Covilhã na primeira divisão. Foi na época 1987/88 de emoções muito variadas para nós benfiquistas. Foi a temporada em que apostámos num treinador nórdico, na esperança que fosse um novo Sven-Göran Eriksson, para suceder ao eficaz britânico Mortimore que apesar de ter garantido uma dobradinha, a última até Maio passado, não convencia o Terceiro Anel em termos de qualidade futebolística! O dinamarquês Ebbe Skovdahl começou a sua curta aventura no campeonato português precisamente na Covilhã. A 23 de Agosto de 1987 o Benfica começava a defender o título com uma expressiva vitória por 0-3. O último 11 que a Serra viu do Benfica foi: Silvino; Samuel, Edmundo, Mozer e Álvaro; Dito, Augusto (Elzo), Tueba, Nunes e o capitão Diamantino; Rui Águas.
A vitória foi garantida na 2ª parte com bis de Diamantino (46' e 75') e selada por Rui Águas aos 87'.

Depois seguiram-se duas impensáveis derrotas na Luz contra Vitória de Setúbal e Marítimo que feriram de morte o técnico dinamarquês que ainda aguentou até Novembro. À 12ª jornada um empate 2-2 na Luz com o Farense ditou a promoção de Toni a técnico principal.

A carreira no campeonato estava estragada e Toni não conseguiu evitar duas derrotas com o Sporting na Supertaça, aí jogada a duas mãos. A caminhada na Taça foi mais digna com ida às meias finais e derrota por 1-0 nas Antas. Pelo meio uma visita do Estrela de Portalegre à Luz que só caiu no prolongamento com um golo de Tó Portela. Dizia-se na altura, com uma vitória à Toni.

O brilharete em 1987/88 aconteceu na Europa. Skovdahl passou as duas primeiras eliminatórias, a estreia foi com os albaneses Partizani que montaram tamanha confusão na Luz que foram logo excluídos pela UEFA! A seguir o dinamarquês jogou em casa contra o Aarhus, assunto arrumado com um golo de Nunes na Luz. Depois Toni afastou o Anderlecht, uma pequena vingança daquela final da Taça UEFA e teve aquela noite mágica com o Steua que deu passagem ao inferno dos penaltis de Estugarda.

 

Voltando ao Covilhã, na 2ª volta vieram à Luz perder por 4-0 confirmando-se como candidatos à descida. Golos de Magnusson e Rui Águas, dois cada. Os serranos desceram com 5 vitórias em 38 jogos, todas em casa.

 

Em 1985 também houve Covilhã na primeira divisão com desfecho igual ao de 1987, descida de divisão. Em Setembro de 1985 o Benfica sentiu mais dificuldades para ganhar. Na 5ª jornada o Sporting da Covilhã chegou a conseguir empatar o jogo em casa. Foi um começo de jogo empolgante, aos 2´ Carlos Manuel fez o 0-1 mas aos 24' Pereira empatou. Não durou muito a festa verde já que Shéu aos 30' fez o resultado final, 1-2.

Na Luz dois golos de Manniche resolveram a questão. Era o Benfica de Mortimore que contava com o grande capitão Bento na baliza, Veloso, Samuel, Oliveira e Pietra, Carlos Manuel, Wando, Shéu e Diamantino; Manniche e Rui Águas (Nené).

Este campeonato foi perdido em casa na penúltima jornada num derby que o Sporting venceu por 1-2, enquanto o Porto ganhava em Setúbal com um golo de Futre. Mas ao contrário do que muitos pensam a questão não ficou logo resolvida. Havia hipótese matemática na última jornada. Era preciso o Benfica ganhar no Bessa e o Porto perder nas Antas com o ... Covilhã! O mais engraçado é que o Covilhã chegou mesmo a estar em vantagem em pleno estádio das Antas! Só por isso já merecem a nossa simpatia. Claro que o Porto depois deu a volta. O Benfica nem cumpriu a sua parte, diga-se, ao perder por 1-0 com o Boavista, golo de Walker.

 

O Maisfutebol recupera histórias da última visita à Serra do Benfica, vale a pena ler.