Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Rumo ao 38

Red Pass

Rumo ao 38

Comunicado do plenário dos órgãos sociais do Sport Lisboa e Benfica

Há momentos que exigem ponderação de análise e firmeza na acção. Há momentos que obrigam a uma participação alargada na tomada de decisões porque isso fortalece a decisão. Razões suficientes que justificaram a convocação de um plenário dos órgãos sociais do Sport Lisboa e Benfica. Nunca defendemos condições de privilégio, o que sempre reclamámos na nossa história foi igualdade de tratamento, isenção no momento de tomar decisões e verdade.

São estes princípios que garantem a credibilidade em qualquer sector de actividade, seja na política, na economia ou no desporto. São estes princípios que, infelizmente, têm faltado ao campeonato de futebol profissional da primeira Liga nestas primeiras quatro jornadas.

Perante a evidência de tantos erros em tão pouco tempo, a esperança de um campeonato sério ainda não morreu, mas foi fortemente atingida. Aceitar com ligeireza o que se tem passado neste início de campeonato é negar o obvio e pactuar com a mentira.

Qualquer generalização é perigosa e nós não o queremos fazer. Há árbitros competentes – temos essa consciência e essa certeza – mas, infelizmente, por acção de alguns, todos são postos em causa.

O Benfica agirá sempre no estrito cumprimento da lei, não estando disponível para trilhar caminhos sinuosos que outros percorreram sem problemas de consciência e sem reparo ou castigo da justiça.

Se for outro caminho que os benfiquistas querem seguir, então estes órgãos sociais não servem. No nosso mandato não vamos montar uma estrutura organizada à margem da lei, nem um modelo de violência e intimidação de agentes desportivos ou jornalistas. Essa não é a nossa postura, nem a nossa forma de agir. Ganhar dessa forma é apenas alimentar uma mentira.

Da reunião do plenário dos órgãos sociais do Sport Lisboa e Benfica foram assumidas as seguintes orientações:

a) Reafirmar a total confiança do Clube nos seus atletas e na sua equipa técnica, e a garantia de que ninguém vai desistir dos objectivos propostos no inicio da presente temporada. Resistir é próprio dos que nesta casa se bateram e continuarão a bater pela verdade no futebol português.

A falta de credibilidade que está a atingir a arbitragem enfraquece o futebol e só quem não está preocupado com o futebol pode estar satisfeito com a presente situação. Não é ilibando, nem protegendo aqueles que reiteradamente erram que se protege o futebol. Há quem veja e queira fazer-se de cego. A esses, essa cegueira tem de custar-lhes caro.

O futebol protege-se agindo, assumindo as medidas necessárias para que a transparência regresse à nossa arbitragem. Quem tem responsabilidades perante a actual situação tem de se fazer ouvir.

O futebol não é viável sem verdade e sem acções. O senhor Vítor Pereira deve pronunciar-se sobre o que se passou, sobre o que pensa fazer para o futuro e sobre o entendimento que tem – na forma e no tempo - sobre a homenagem promovida no dia 5 de Setembro, pela Associação de Futebol do Porto, ao senhor Olegário Benquerença.

Citando o Presidente da UEFA, Michel Platini “os árbitros incompetentes devem ser varridos do futebol”. Pela nossa parte, acabou a tolerância com árbitros incompetentes ou habilidosos.

Cada um deve assumir as suas responsabilidades e o senhor Vítor Pereira tem a obrigação de garantir condições de igualdade nos critérios e na acção dos árbitros a todos os clubes em Portugal. Algo que até aqui não aconteceu.

b) Compreendemos e associamo-nos ao movimento de indignação que desde sexta-feira varre o país. Face à adulteração da verdade desportiva, queremos pedir aos sócios e adeptos do Benfica que continuem a apoiar, de forma inequívoca e sem reservas, a equipa nos jogos que o Benfica realiza no Estádio da Luz, mas que se abstenham de se deslocar aos jogos fora de casa.

A equipa já sabe que vai ter de lutar contra muitas adversidades, algumas previstas, outras totalmente imprevistas - já o sentiu neste início de época - e vai conseguir superá-las, mas os sócios e adeptos do Sport Lisboa e Benfica não devem continuar a ser lesados económica e emocionalmente.

A nossa ausência será o melhor indicador da nossa indignação.

c) Solicitar ao Presidente do Sport Lisboa e Benfica a suspensão imediata de quaisquer negociações relativas aos direitos televisivos relativos aos jogos da sua equipa profissional a partir da época 2012/13 que possam estar a decorrer com a Olivedesportos. Mais, foi igualmente solicitada uma avaliação no sentido de apurar a possibilidade do Clube passar a gerir de forma autónoma os seus direitos audiovisuais.

Não podemos continuar a tolerar que a falta de seriedade dentro de campo tenha a cumplicidade daqueles que, tendo os nossos direitos televisivos, não revelam isenção na análise e camuflam os erros daqueles que sistematicamente nos prejudicam.

d) Equacionar, em face do desgaste e da falta de garantias de isenção na arbitragem agora evidenciadas, a participação na presente edição da Taça da Liga.

e) Solicitar à comunicação social que, fazendo o seu trabalho, denuncie quem adultera as regras. Que investigue as notas que alguns observadores têm atribuído a algumas actuações de árbitros. Que compare aquilo que sucedeu no campo com a nota posteriormente atribuída.

f) Solicitar ao Senhor Ministro da Administração Interna uma audiência para debater a violência de que a equipa do Benfica tem sido alvo cada vez que se desloca ao Porto. Não queremos confundir as gentes do Porto – que seguramente não se revêem neste tipo de comportamento – com um grupo de delinquentes que organizada e reiteradamente e de forma impune têm vandalizado o autocarro do Benfica e atentado contra a integridade física dos seus atletas.

g) Declarar o Secretário de Estado ‘persona non grata’ pelo trabalho que prestou ao futebol português. Abandonou a anterior Direcção da Liga no seu combate pela credibilização do futebol português, alheou-se – por completo – do processo “apito Dourado”. É, ainda, o responsável por nada fazer para aplicar a lei, pelo que a arbitragem e a Comissão Disciplinar continuam na Liga, quando já deviam estar na Federação Portuguesa de Futebol desde 1 de Julho.

Para além de tudo isto, lamentar as declarações desrespeitosas que o Secretário de Estado teve para com o Sport Lisboa e Benfica e que branqueiam o comportamento daqueles que adulteram a verdade desportiva.

Quem se demite das suas responsabilidades, deve saber que isso tem consequências.

Queremos concluir dizendo que compete aos benfiquistas defender o Benfica e apelando a todos para amanhã, no nosso estádio, darmos uma grande demonstração da nossa força e da nossa união.

Boicote aos Jogos Fora da Luz?

Os órgãos sociais do Benfica reúnem-se esta segunda-feira em plenário, para analisar o actual momento do clube, mas mais precisamente, a arbitragem de Olegário Benquerença, no último encontro dos "encarnados" em Guimarães, da passada sexta-feira.

O presidente Luís Filipe Vieira e os restantes elementos dos órgãos sociais vão decidir qual a posição a tomar em relação às arbitragens e também a Vítor Pereira, presidente da Comissão de Arbitragem da Liga.

Na Luz pede-se "verdade desportiva", escreve a edição de hoje do "Record", que dizem que os responsáveis benfiquistas prometem lutar por esta máxima "até às últimas consequências", como afirmou Vieira logo após o final do desafio com a turma minhota enquanto. A "A Bola" fala em "murro na mesa". A irritação "encarnada", escreve este jornal, deve-se a "uma sucessão de provocações": e a homenagem, na Associação de Futebol do Porto, a Olegário Benquerença, poucos dias antes de o árbitro do Leiria dirigir o embate entre vimaranenses e benfiquistas, terá sido uma das mais relevantes.

Do plenário dos Órgãos Sociais, convocado com carácter de urgência para hoje à tarde, deverão sair medidas de extraordinária dureza.

No final da partida de Guimarães, na qual o Benfica somou a terceira derrota em quatro jornadas, Vieira foi duro com a arbitragem. "Peço a Vítor Pereira que reveja a sua posição sobre alguns árbitros, que se intitulam grandes árbitros", afirmou, especificando depois: "Para esses senhores que devem estar a rir-se, nomeadamente Vítor Pereira, que deve estar muito feliz e também para quem elogiou Olegário Benquerença durante a semana."

O clube, há três anos, chegou a estar preparado para não participar na Taça da Liga e que essa é uma possibilidade ainda permitida pelos regulamentos.

Boicote dos adeptos nos jogos fora da Luz

Segundo escreve a "A Bola", têm circulado entre os benfiquistas, mensagens de SMS e on-line a pedir a falta de comparência dos adeptos nos jogos realizados fora da Luz. O argumento principal é a necessidade de penalizar os clubes visitados, partindo de um pressuposto que seria o de o Benfica ser um dos clubes que mais adeptos levam aos estádios.

 

in Público

Chelsea é a enorme excepção entre um grupo de campeões europeus adormecidos

 

Interessante artigo de Marco Vaza hoje publicado no Público:

 

Falsas partidas para Barcelona, Inter de Milão, Bayern de Munique, Marselha e Benfica. Nos principais campeonatos europeus, só em Inglaterra o vencedor do ano passado está na frente

As expectativas eram muito altas, talvez demasiado para o gosto de José Mourinho. E depois de um empate na primeira jornada, os adeptos do Real Madrid desceram à terra. "Sou um treinador, não sou o Harry Potter", declarou o técnico português, justificando as más exibições com a falta de tempo de trabalho. O Real, como muitos outros grandes da Europa, está a sofrer neste início de época e, com excepção do Chelsea em Inglaterra, nenhum dos campeões iniciou da melhor maneira a defesa do título. Em duas jornadas de Espanha, o Barcelona perdeu uma e, em Itália, o Inter empatou um jogo em dois. Bem pior estão o Bayern de Munique (um empate e uma derrota em três jogos), o Marselha (dois empates e duas derrotas em cinco partidas) e o Benfica (três derrotas em quatro jornadas). Tendência entre os campeões europeus? Um sinal do que está para vir na Liga dos Campeões, que se inicia amanhã?

José Couceiro acha que não. "Uma coincidência. Nada que signifique uma certeza", afirmou ao PÚBLICO o treinador. Mas há coisas que podem ajudar a explicar este arranque deficiente e que ajudam a demonstrar que nem Mourinho, nem Pep Guardiola, Rafa Benitez ou Louis van Gaal são o pequeno feiticeiro criado por J.K. Rowling. "Muitas dessas equipas tiveram muitos jogadores no Mundial e eles ainda estão quase em ritmo de pré-época", explica Couceiro. Era exactamente o que dizia Jorge Jesus há duas semanas, depois de três derrotas seguidas - que o Benfica estava a fazer a pré-época durante o campeonato.

A situação "encarnada", entretanto, não melhorou, com mais uma derrota que confirma o pior início de época de sempre para o Benfica, que no ano do título apenas perdeu duas vezes e que agora está a nove pontos de diferença do líder FC Porto, única equipa da liga portuguesa só com vitórias.

Picos de forma é um mito

Em Inglaterra, o Chelsea, que teve muitos jogadores no Mundial da África do Sul (Drogba, Anelka, Malouda, Terry, Lampard, etc.) é a excepção europeia e domina perante os soluços constantes dos outros big four (Manchester United, Arsenal e Liverpool). Depois de se livrar do fantasma de Mourinho com o título conquistado com Carlo Ancelotti (que na autobiografia recentemente publicada diz que gosta de se ver ao espelho todo nu e olhar para o próprio rabo) como treinador, os blues entraram de forma muito afirmativa na Premier League, com quatro vitórias em quatro jornadas (os únicos com início perfeito no campeonato inglês), 17 golos marcados e apenas um sofrido - uma média superior a quatro golos por jogo.

Para o antigo técnico do FC Porto, não há picos de forma no futebol, pelo menos não da forma como existem em modalidades individuais. "Nestas modalidades, é normal apontar-se o pico de forma para um Mundial ou um Europeu. No futebol não há picos de forma, é preciso ter um pico de forma em todos os jogos. Os três pontos da primeira jornada são iguais ao da última", diz José Couceiro, acrescentando que o que faz a diferença é ter um bom plantel.

"É por isso que as equipas não têm só 11 jogadores. É preciso ter recursos para saber gerir entre castigos e lesões. Todas estas equipas de topo têm quatro ou cinco grandes jogadores, mas não chega", observa - o próprio Mourinho já lamentou a escassez de pontas-de-lança no Real Madrid, "limitado" a Benzema e Higuaín. Na Liga dos Campeões, aponta Couceiro, os favoritos devem impor-se, com mais ou menos dificuldade: "É uma competição diferente. Podem perder alguns pontos nas primeiras jornadas, e pode haver alguma surpresa, mas devem passar as melhores equipas."

Já no caso do Benfica, observa Couceiro, há mais qualquer coisa do que um arranque tardio na preparação da equipa. "Não sabendo o que se passa dentro do grupo, parece-me que o factor psicológico vai assumir grande importância durante os próximos dois jogos", concluiu.

Russo na Luz

O russo Aleksei Nikolaev foi nomeado para dirigir na terça feira o encontro entre o Benfica e o Hapoel Telavive, da primeira jornada do Grupo B da Liga dos Campeões de futebol, anunciou hoje a UEFA.

Telma Monteiro vice campeã Mundial

A judoca do Sport Lisboa e Benfica, Telma Monteiro, foi medalha de prata no Campeonato do Mundo que decorre em Tóquio, no Japão. O ouro ficou muito perto, mas acabou por ser ganho por uma atleta da casa.

Vitória/Olegário 2 - 1 Benfica

 

 

 

Depois de um arranque em falso com duas derrotas nos dois primeiros jogos da Liga houve uma vitória em casa e duas semanas de descanso para acertar objectivos. O mercado fechou e nada mais se fez, o Presidente falou dois dias antes do quarto jogo da Liga que foi vergonhosamente marcado para uma sexta à noite impossibilitando a maior parte dos adeptos de Lisboa a irem apoiar a equipa, nomearam um árbitro com um historial negro em jogos nossos e no dia do jogo o nosso autocarro volta a ser atacado na mesma zona do país onde (provavelmente) as mesmas pessoas já tinham repetido a façanha há meses atrás. É normal que o façam já que habitam num espaço onde os criminosos estão habituados a viver assim sem que ninguém lhes toque.

 

Tudo para correr mal. Tudo correu mal.

Para o meio país não benfiquista, ou anti-benfiquista se preferirem, a alegria imensa de ver o Campeão abatido ao fim de um mês de temporada. Está tudo bem, voltaram os dias da felicidade pela infelicidade do inimigo.

Para nós um misto de sentimentos entre a desilusão e a grande revolta por tudo aquilo que se viu na última noite que se julgava já impossível de acontecer em Portugal, um roubo daqueles à descarada onde vale tudo. Olegário nem procurou disfarçar, foi mesmo à grande.

 

Faço crónicas de todos os jogos do Benfica há muitos anos e posso dizer que raramente meto árbitros ao barulho nos meus textos. Só quando acho que é realmente demais e fico com a sensação que fomos derrotados por duas equipas e não por mérito do adversário.

Este jogo em Guimarães é daqueles que ficam para a história com a nossa equipa praticamente toda amarelada, com lances para penalti indiscutíveis, com foras de jogo a anularem jogadas de golo, com faltas e respectivos amarelos em lances que os nossos jogadores nem chegavam a tocar nos adversários, com entradas assassinas a jogadores nossos que facilmente se transformam em cartão amarelo para o nosso capitão, enfim só visto.

 

E jogou assim tão mal o Benfica que tenha merecido sair de Guimarães derrotado. Não. Eu já vi durante muito anos o Benfica a jogar, eu sei o que é ver a minha equipa a jogar mau futebol e devo dizer que neste jogo isso não aconteceu.

Jogamos muito menos que na época passada? Sim, jogamos. Mas jogamos muito mais futebol que o Guimarães, dominámos a maior parte do jogo, criámos oportunidades e jogadas que podiam acabar em golo caso não houvesse erros de fora de jogo, ou caso se marcassem faltas básicas do futebol como é um pontapé em cheio no pé de um jogador nosso dentro da grande área adversária.

Portanto, sou da opinião que fizemos os mínimos para sair com os 3 pontos de Guimarães. Quem segurou o empate foi Olegário, quem equilibrou o Vitória foi Olegário. Com um árbitro isento o resultado teria sido ao contrário.

 

Não sou de esconder as fraquezas com arbitragens mas Olegário obrigou-me a escrever desta maneira. Eu sei que a equipa continua presa de movimentos, que quando perdemos uma bola no ataque há enormes dificuldades com o reposicionamento defensivo em campo, eu arrisco dizer que Jesus ainda não percebeu que com esta equipa não pode continuar a insistir no modelo da época passada, não faço puto de ideia porque raio entra o César Peixoto na 2ª parte, aliás foi ele que perdeu a bola para o Vitória dar o golpe final do jogo depois de ter resistido o jogo todo com a protecção de Olegário.

 

Ou seja, eu sei que há muito por corrigir na nossa equipa mas essas correcções aparecem com as vitórias, com os bons resultados. O que se está a passar é que nós entrámos mal preparados na temporada mas com a esperança de jogar o suficiente para ir ganhando e evoluindo, e encontrámos um sistema de arbitragens mais violento de sempre pronto a não nos deixar levantar a cabeça para respirar.

Desta vez veio Rui Costa, Vieira, Jesus, e até os jogadores queixarem-se daquilo que vem sendo óbvio. Mas já vieram tarde, agora já está o trabalho feito, agora já entregámos um trabalho de um ano ao próximo. Agora sim, o futebol português está bem e a funcionar em pleno tal como o conhecemos, já aliança Porto-Braga-Sporting faz sentido, já podemos começar a negociar os lugares do campeonato. Desta vez não há Super Benfica como na época passada, vamos correr por fora a época toda.

 

Nunca esperei dizer isto ao fim de um mês de temporada mas a realidade é que fomos comidos e fomos muito inocentes em pensar que mantendo alguns craques isto ia ser como na época passada. Nunca vi na minha vida o Benfica perder 3 dos primeiros 4 jogos do campeonato, nem em anos que a nossa equipa era pouco mais que deprimente. Mas também nunca tinha visto soltarem as feras da arbitragem desta maneira violenta logo nas primeiras 4 semanas de vida de uma liga.

Passemos então ao boato número 2: JJ só quer saber da Liga dos Campeões. Ok,  venha de lá o Hapoel para ver onde isto vai parar.

 

Para que nãos nos esquecemos do que aconteceu na última noite fica aqui para ver e relembrar como se fabrica um resultado em Portugal: