Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Red Pass

Rumo ao Tetra

Red Pass

Rumo ao Tetra

Vitória de Setúbal 2 - 4 Benfica: Contra Choco Estragado Temos Pizzi de Eleição

_JPT4563.jpg

(Fotos: João Trindade)

 

 Entusiasmante ver este Benfica a ganhar dimensão com novas rotinas e ideias vencendo jogos longe da Luz que se adivinhavam mais complicados. A vitória no Bonfim foi do Bi-Campeão que assinou uma exibição mais do que convincente confirmando alguns valores que começam a ser certezas.

 

Mas a viagem a Setúbal é sempre rica em histórias adjacentes. Durante a semana comentávamos entre amigos que todas as deslocação ao Bonfim são sempre envolvidas numa aura misterioso que marca cada uma delas como inesquecível. Todos nós, adeptos que costumamos acompanhar o Benfica à cidade do Sado, temos episódios para contar ao longo dos anos. Há sempre tensão dentro e fora do estádio porque é dos locais onde há sempre um dispositivo de segurança policial absolutamente desproporcionado que não raras vezes acaba em disparate. Junte-se um estranho ódio dos locais aos benfiquistas e uma forte adesão dos adeptos encarnados a estes encontros e temos sempre matéria prima para novelas.

Ontem o facto mais grave teve a ver com a entrada no estádio. Um clássico para aqueles lados. Uma porta minúscula para receber milhares de adeptos que formam uma fila longa e desesperante que deixa de fora do recinto muitos benfiquistas nos primeiros minutos jogo. Não há época que não aconteça isto.

 

Esta é a única deslocação que temos a sul do Tejo ao longo do campeonato. Das viagens mais curtas para fazer que proporciona sempre um motivo para se combinar um convívio entre amigos e companheiros destas jornadas à volta de uma mesa com petiscos regionais. Ao longo dos anos fui partilhando aqui relatos desses encontros gastronómicos antes do jogo com o Vitória. Cheguei ontem à conclusão que paramos quase sempre no mesmo restaurante há mais de uma década. Costumamos ser bem recebidos, bem atendidos, bem alimentados e já tivemos algumas surpresas agradáveis como umas tertúlias com a senhora Simone de Oliveira.

Não havia dúvidas em encaminhar o pessoal para o mesmo local. Mas como em Setúbal nunca nada é certo, desta vez tivemos a pior das surpresas. O estabelecimento mudou de gerência e o petisco rapidamente tornou-se um pesadelo. Atendimento embaraçoso, lentidão a servir e duas travessas de choco frito estragado e denunciado devido ao cheiro insuportável ao chegar à mesa. Como é possível? Aconteceu.

Refeição estraga e sitio para riscar do mapa: o Cantinho dos Petiscos na Avenida Luísa Todi morreu. Nunca metam lá os pés! Por aqui costumo divulgar bons locais para comer, desta vez o serviço público é para vos evitar intoxicações alimentares.

_JPT4476.jpg

Caminhada frustrante para o estádio sem estômago satisfeito e uma visão dos infernos ao chegarmos ao largo dos portões onde entramos. As tais filas intermináveis ali à nossa frente. Enquanto pensava se havia de ir stressar para a fila ou esperar um pouco sou chamado para a esplanada em frente à nossa bancada por companheiros destas aventuras. Não há nada mais prazeroso neste contexto do que me sentar a beber uma cerveja com amigos prontos a meter a conversa em dia mesmo que estejamos impedidos de ver o nosso Benfica nos primeiros minutos do jogo que ali nos levou.

 

Porta desimpedida e entrada tranquila na bancada. Tudo igual, 0-0 e o Benfica a agarrar no jogo. Ataque para a outra baliza, que é o mesmo que dizer bem longe dos nossos olhos devido à distância da bancada para o relvado com a pista de tartan pelo meio.

Não foi preciso esperar muito para festejar o primeiro golo da noite. Pizzi faz um trabalho tão bom que se notou à distância e dá a desejada vantagem. E ainda festejávamos o golo quando Jonas faz o 0-2. Nos últimos 10 minutos da primeira parte o jogo ficava quase resolvido. Já me tinha passado a frustração do jantar desastroso, a equipa local estava a ser castigada.

_JT_3920.jpg

 Quando aos 53 minutos Mitroglou faz o 0-3 todos sentimos os 3 pontos garantidos, mesmo que Vasco Costa tenha reduzido a seguir, e admitíamos que a equipa tem crescido bastante depois da triste jornada do derby em casa. O 1-4 serviu para nos rirmos de tanto ressalto e sair dali com um sorriso maior que nem o golo de Suk conseguiu estragar.

 

A experiência de bancada, a jornada com os companheiros do costume estava selada com sucesso e mais uns episódios para contar nesta longa novela que são as deslocação a Setúbal.

Depois veio a necessidade de ver o jogo em casa calmamente na televisão e ver todos os pormenores desta 13ª partida no campeonato.

Rui Vitória voltou a apostar na dupla atacante de maior sucesso, Jonas e Mitroglou, assume Pizzi no lado direito com Gonçalo Guedes na esquerda, fez regressar Samaris ao meio campo ao lado de Renato Sanches e não mexeu na defesa. Sem Luisão, Salvio e Gaitán, esta é uma equipa forte e que deu bem conta do recado.

_JPT4560.jpg

O destaque já não é Renato, o jovem é já uma certeza no onze, o destaque vai todo para a aposta de Pizzi na ala. Excelente resposta do transmontano que teve um papel determinante na movimentação atacante do Benfica na ausência de Gaitán. São as suas diagonais, os seu movimentos interiores que criam mais espaço e soluções para um ataque de uma equipa cada vez mais entrosada e a entender as desmarcações de Jonas e Mitroglou. Pizzi tem em sido essencial neste crescimento da equipa no campeonato.

Também uma nota para Samaris que é o meio campo do Benfica mais precisa para jogos com esta dinâmica.

Grande surpresa aos 68 minutos com a entrada de Djuricic. Dizia-se que o sérvio não ia jogar mais porque isso implicava pagar ao seu anterior clube mais dinheiro por uma clausula de utilização. Não sei se é verdade ou não, sei que Djuricic entrou muito bem e ainda ajudou a avolumar o resultado.

Fejsa entrou para o lugar de Renato e Raul Jimenez rendeu Mitroglou nos últimos minutos.

Há uma ideia de jogo interessante e um futebol atacante agradável. É preciso manter este nível na 3ª feira na Madeira para continuarmos a pensar no nosso "Tri".

_JPT4581.jpg

 Uma palavra elogiosa para Quim Machado que se manteve fiel ao seu entusiasmante modelo de jogo que lhe rende muitos golos e bons espectáculos, merece sorte na prova porque procura um futebol positivo e atacante. Tem uma equipa muito bem construída e gosto de destacar quem procura pontos com golos em vez de esquemas ultra defensivos com recurso ao anti jogo total.

 

 

 

2 comentários

Comentar post