Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Rumo ao Tetra

Red Pass

Rumo ao Tetra

Sporting 1 - 1 Benfica: Líderes!

18056293_10158561828340716_1674913384631489177_o.j

Estamos em 2017 e a chegada ao sector visitante do Estádio da "maior potência desportiva nacional" continua a ser uma selvajaria.

Na Luz, qualquer visitante que vá para a sua bancanda, sabe que é escoltado pela polícia, ou junta perto do acesso de entrada ao seu sector, sem ter que se cruzar com adeptos da casa.

Em Alvalade, qualquer adepto da equipa visitante que não esteja com paciência para o cortejo a pé desde a Luz e que opte por fazer a curta viagem em grupo num Táxi/Cabify/Uber, é riscar o que gostam menos, e sair na descida por trás das bombas da BP e MacDonalds nos sinais de trânsito em frente à sua porta de entrada, tem de conviver com gente feia e muito mal vestida em tons de verde. É verdade que há muito policiamento, mas o sentimento de haver confrontos é permanente.

Portanto, "maior potência nacional" do terceiro mundo.

 

O jogo foi vivido pela Santa Aliança como sendo obrigatório a equipa da casa vencer. Os azuis porque não cumpriram a sua parte até aqui e contavam com uma ajudinha dos seus grandes amigos, os verdes porque nasceram só para isto, tentar ganhar derbys e depois irem de férias.

 

O jogo começou da pior maneira possível, e nem estou a falar da apresentação dos jogadores do Sporting nos ecráns do estádio com óculos escuros.

Ederson teve uma péssima recepção de bola e fez um inesperado penálti que deixou o Sporting em vantagem.

O futebol tem destas coisas, há pouco mais de um ano, fomos surpreendidos com a chamada de Ederson para a baliza em pleno derby. Acabou por correr tudo bem, desta vez, faz um penalti.

 

17966329_10158561863630716_8816740185813672237_o.j

 

Trata-se de excesso de confiança. já se tinha visto algo parecido com o Marítimo em casa mas sem consequências. Por um lado é bom, podemos retardar a transferência do guarda redes mostrando este lance infeliz aos possíveis interessados. Por outro é preocupante.Não se pode dar abébias, Ederson.

 

O que interessa é que a equipa do Benfica reagiu bem, com tranquilidade e não perdeu a cabeça. Foi equilibrando o jogo e crescendo na partida.

Já que ainda hoje falam de lances polémicos na Luz no jogo da primeira volta, hoje podemos falar daquela falta sobre grimaldo, da falta de Bruno César sobre Lindelof e do empurrão a Rafa? Ah, se calhar são três penaltis que já nada importam, é isso? O Benfica manda nisto tudo.

 

Muito melhor o Benfica na 2ª parte e o golo do empate a surgir num livre magistral de Lindelof. Uns segundos antes, tiro as medidas à barreira e posicionamento de Rui Patrício e reparo num pano atrás da baliza que diz: "Aqui a festa é verde". E pronto, já se sabe que nestas coisas lagartas isto não falha. Golo do empate, e Alvalade passou a ser só para cânticos de campeões.

 

Perder dois pontos neste terreno é sempre mal mas a 4 jogos do fim há que fazer contas e perceber o contexto. Foi um ponto conquistado com muita luta que dá acesso a 4 jogos finais com vista para o Tetra.

 

 

 

 

Finalmente, a Oficialização da Santa Aliança!

aliana.jpg

aliasant.jpg

alianca.jpg

alia.jpg

 Chegou o dia que a estratégia passou para o papel. Sou do tempo em que o Porto vencia quase sempre o campeonato e deixava o Sporting ficar com o 2º lugar, isto enquanto os seus dirigentes diziam coisas lindas na imprensa desejando o regresso de um Benfica forte porque o futebol português precisava que o Sport Lisboa e Benfica voltasse a ser importante. Nem foi há muito tempo. Enquanto tentavam tudo para acabar com o Benfica, diziam que desejavam o contrário.

Eu sempre apontei o dedo a esta estratégia, por isso vou guardar hoje com carinho estes recortes que aqui publico da imprensa desportiva enquanto relembro o dia em que escrevi outras coisas.

 

Para quem não acompanha o blog há mais tempo, deixo aqui uma amostra do que sempre disse sobre esta Santa Aliança.

Entretenham-se:

 

O Sporting pedia a despromoção do Benfica ?

ng4EEBECA1-3638-4F7E-932A-A13BC8307D89.jpg

 É uma fixação/sonho que existe em Alvalade há muito tempo, portanto o Bruno nem está a fazer nada de original. É mais do mesmo.

Nem sou eu que o digo, basta recordar o que contou João Rocha, um sportinguista que foi uma referência naquele clube e que aprendi a respeitar, numa célebre entrevista ao Record:

 

Em entrevista ao Record, João Rocha, ex-presidente do Sporting, denunciou um acordo obscuro entre José Roquette e Pinto da Costa, que tinha como objectivo afastar o Benfica dos primeiros lugares... Vozes leoninas discordaram e as pessoas sérias do clube de Alvalade ficaram indignadas...

 

Eis uma parte da entrevista de João Pedro Abecassis

 

RECORD – Lembro-me que durante o mandato de José Roquette,você se revoltou com acordos que nunca ficaram esclarecidos, nomeadamente entre o Sporting e o FC Porto. Quer revelar pormenores em relação a isso?

 

JOÃO ROCHA – Havia um projecto com o FC Porto que era muito prejudicial para o Sporting. Era mesmo inqualificável. Insurgi-me num Conselho Leonino e numa assembleia geral. Era um projecto gravíssimo que só podia sair da cabeça de um indivíduo sem responsabilidades. José Roquette dizia que era um projecto válido, porque era a única maneira de Sporting e FC Porto estarem sempre representados na Liga dos Campeões.

 

Esta ânsia de acabar com o Benfica é só mais uma vontade hooliganesca agora recuperada pelo actual Presidente. Dedico estes momentos a todos que sempre criticam textos irónicos sobre aquele clube neste espaço. São muito dignos do nosso respeito, é isso.

O Hino à Isenção

 

Antes de passarmos ao que interessa, ou seja, a luta pelo apuramento para o Jamor, uma última visita ao clássico de sábado.

Viram o resumo do jogo que o canal público apresentou? A RTP cheia de vontade de mostrar serviço e isenção publica um resumo que passa pela entrada das equipas em campo, com imagens da coreografia da Luz, que sempre dá jeito para embelezar estes momentos, ouve-se, naturalmente, o Ser Benfiquista porque na Luz os jogos começam sempre assim. Depois o jogo, as declarações dos intervenientes e as conclusões finais. Tudo bem. Até que percebemos que a peça termina com a montagem sonora do hino do... Porto!

Mas a que propósito?! Porque também passou um pouco da música popularizada por Luís Piçarra?

Então mas no jogo da primeira volta o resumo também terminou com o Ser Benfiquista?

 

Meus amigos, se querem falar de isenção então falem da iniciativa da BTV que abriu as perguntas ao treinador do Benfica aos representantes dos três jornais diários desportivos. No espaço em que Hélder Conduto recebe Rui Vitória, depois da conferência de imprensa, o jornalista coloca questões ao treinador, são escolhidas algumas perguntas recolhidas junto aos adeptos no final do jogo para que Vitória responda e, desta vez, foi dada a oportunidade aos jornalistas que iam fazer a crónica do clássico para a A Bola, Record e O Jogo, de deixarem uma questão no ar.

Rui Vitória não só respondeu a todos com ainda elogiou a iniciativa.

E sim, até o representante do jornal O Jogo teve o privilégio de fazer uma pergunta ao treinador do clube que tão mal o seu jornal trata.

Sobre isto, o elogio público do jornal A Bola:

abola.jpg

 

Não sei, sinceramente, se os outros jornais elogiaram. Sei que não vi isto ser devidamente divulgado e elogiado. Talvez porque tenha sido uma iniciativa inesperada, contra a corrente e se tenha resumido a falar de futebol.

Acho que foi mais um avanço da BTV para juntar à qualidade que as transmissões do canal apresentam, nomeadamente os relatos do grande profissional que é Hélder Conduto.

 

Em vez de falarmos disto, todos preferem ir atrás de coisas destas:

Leões pedem suspensão de Jonas e Samaris

Porquê? Porque se portaram mal no derby da primeira volta? Porque afrontaram o Sporting?

Não. Porque estiveram atentos ao clássico e têm sempre coisas para dizer.

É engraçado que o Porto - Sporting nem foi assim há tanto tempo e não vi tantos verdes a comentarem esse jogo. Aliás, não vi verdes nenhuns a apontarem nada ao jogo do Dragão e agora estão todos excitados com o Benfica - Porto da Luz? 

Preocupem-se em apoiar o vosso companheiro e aliado da claque da FPF que está na ribalta.

 

Futebol português ou o mundo ao contrário.

 

 

Benfica 2 - 1 Sporting: Incomparável

_JPT1898.jpg

 Alguém se lembra de algum derby que o Benfica tenha vencido e que o adversário tenha reconhecido mérito na vitória? Eu não me lembro e já levo trinta e muitos anos de ver e viver estes jogos. Se há coisa certa numa vitória do Benfica sobre o Sporting é que nunca foi justa e sempre houve dedo de arbitragem.

Por acaso, faz agora um ano, mais coisa, menos coisa, que fui ver um destes derbys a Alvalade e senti-me altamente aldrabado com o resultado final do jogo, que ainda por cima era a eliminar. O Luisão à minha frente partiu o braço e não houve penalti para ninguém, por exemplo. Sabem quem era o árbitro desse jogo? Lembram-se dos elogios do adversário para com o trabalho do árbitro?

Depois desse jogo as coisas mudaram no Benfica. E mudaram porque em vez de ficarmos a chorar mais uma arbitragem que nos prejudicou, seguimos em frente, lançámos novos jogadores como Renato Sanches e acabámos campeões. Curiosamente, os rivais saíram logo a seguir da tal competição. Caíram como? Afastados pelos árbitros, claro.

 

Tal como hoje. O clube que paga o ordenado mais alto a um treinador de futebol em Portugal chegou à Luz cego com a possibilidade de voltar para casa na liderança do campeonato. Para isso até desprezou as competições europeias de tal maneira que só lá voltam na próxima temporada. Mas isso não interessa para nada porque o foco era roubar a liderança ao Benfica vencendo o derby. Ou seja, andaram dias e noites a sonhar com este jogo, iam fazer a única coisa que justifica a sua existência, lutar para ultrapassar o Benfica.

 

Por seu lado, o Benfica vinha de duas derrotas seguidas. A crise adivinhava-se, as lesões não poupam o plantel, não havia defesa esquerdo e o mundo estava a acabar para os homens de Rui Vitória.

O treinador do Benfica limitou-se a lançar Rafa no lugar de Cervi e viu a sua equipa responder com a alma e determinação do costume, chegando ao 2-0 no arranque da 2ª parte. Teve que tirar Salvio e lançou Danilo. Depois optou por Cervi no lugar de Guedes e acabou por trocar Rafa por Samaris. Simples.

 

Fotogaleria de João Trindade

 

Já do lado contrário, depois do Sporting ter reduzido, houve a inteligência de tirar Dost para entrar André. Opções.

 

O Benfica soube ter iniciativa de jogo quando teve de atacar, soube sofrer quando teve que defender e soube agarrar a vitória para aumentar a vantagem sobre o rival directo na luta pelo título.

 

Dá gosto ver como esta equipa tem crescido e mostrado experiência. Da mesma maneira, que é um prazer assistir ao crescimento do ambiente do Estádio da Luz em termos de eficácia. Primeiro, com uma coreografia realmente bem feita. Depois, com um ambiente incrível nas bancadas sempre a segurar a equipa e a empurrá-la para a vitória.

O maior destaque tem de ir para a maneira como o Topo Sul apresentou o Benfica numa só palavra. Será, talvez, dos exercícios mais difíceis e ingratos, caracterizar o Benfica numa só palavra. Esta noite, a palavra apareceu no meio do inferno: incomparável!

É isto mesmo.

Circo, folclore, ruído, barulho, choro e parvoíce sempre há. Como o Benfica é que nunca houve. Nem haverá. É incomparável.

Tudo Está Bem Quando Acaba Esverdeado

scp.jg.jpg

Obviamente, não houve castigo algum a Slimani depois de meses de pânico ali ao lado. Valeu a pena tanto barulho e máscaras na bancada e tudo para que o argelino continuasse a jogar. Acho óptimo e merecido, um jogador que anda a gerir os 4 cartões amarelos vistos há tanto tempo merece ser feliz. Aliás, sugiro que o próximo passo seja retirar esses 4 amarelos para que nem haja o perigo do homem ser castigado ao 5º.
Parece que os adeptos do Nápoles vão usar máscaras do Higuain no próximo jogo em casa em protesto pelos jogos de suspensão que o argentino apanhou. Aconselho-os a contactarem a máquina de propaganda verde lembrando-os que o avançado é um bom rival para a luta particular com o Jonas. Pode ser que funcione também em Itália. Duvido mas já não digo que não a nada...

 

Entretanto, acontecem episódios engraçados nas vésperas destas últimas jornadas.

No Restelo há uma semana tivemos isto:

scp1.jpg

 

Agora, no Funchal acontece isto:

scp2.jpg

 

Que coincidência ser sempre em vésperas de jogos com o Benfica que controla isto tudo. Ah, não é com o Benfica? Desculpem, enganei-me. Já não há nada de relevante nestas duas notícias para ser falado.

 

Espero que a onda de loucura continue e proponham o Teo para um prémio Nobel qualquer após o final do jogo do Restelo onde Renato Sanches mandou o guarda redes do Belenenses para o hospital.

scp3.jpg

Ah, não foi o Renato? Então, também não há nada aqui para falar. Esqueçam.

E se isto tudo fosse o suficiente para se calarem, eu até ficava tranquilo. Mas todos sabemos que não é.

Amigos Coloridos

b9950c1acaea59222f95379834f9abe6.jpg

Há exemplos tristes de como se pode andar para trás em termos de mentalidade em vez de evoluirmos. As cores dos clubes de futebol sempre foram uma das questões mais básicas em discussões, provocações, opções e brincadeiras entre adeptos.

Quem nunca optou em criança por um objecto usando o critério da cor?

- Oh mãe quero um daqueles rebuçados.

- Está bem, toma este. Só um que o açúcar faz mal.

- Mãe, este não!

- Então porquê?

- É verde/azul. Quero o vermelho.

 

Todos já passámos por isto dando preferência às cores do nosso clube. E Isto é replicado em todas as infâncias. Não ofende ninguém.

 

Quando comecei a ver futebol achava piada a um pormenor na camisola do Porto, os números nas costas eram vermelhos. Nunca os vi incomodados com isso e brincava-se dizendo que levavam o Benfica às costas. Também me lembro de ver um avançado a brilhar na Antas com o nome de ... Vermelhinho.

Dava para brincar, mesmo porque no Benfica também me habituei a ver o grande capitão, e a minha maior referência no clube, Manuel Bento a equipar de verde. Também usava muito o azul. E ficava-lhe bem. Sem problemas nem complexos. E havia piadas dos rivais, claro que havia. Mas incomodavam zero.

TP 1980-81.jpg

Na nossa gloriosa história há imagens de conquistas de taças que estão ao alcance de qualquer pessoa numa rápida pesquisa no google. O grande goleador Nené levantou uma Taça de Portugal no Jamor com a camisola do Porto vestida.

6733f3880c46f959d8d3e8c367c14c95.jpg

 O gigante dinamarquês Michael Manniche aparece numa fotografia de vencedores no Jamor equipado à Porto. O Manuel Fernandes após um derby na Taça Guadiana trocou de camisola com o amigo Miguel Veloso e deixou-se fotografar com ela vestida na entrega de prémios.

mfe.jpg

 

Não consta que nenhuma das fotografias tenha sido alvo das novas tecnologias, ninguém usou o Photoshop para apagar aquilo que hoje em dia parece uma ousadia. Aceitamos sem complexos de inferioridade.

Até já jogámos com uma equipamento alternativo que ficou conhecido por azul à Benfica e ninguém morreu.

Hoje rimos disso.

f94e3617890d4cfa427197546ac7efdf.jpg

Nos guarda redes do Benfica de vez em quando vem a discussão porque os guarda redes jogam de verde ou azul. Não tem discussão, até faz parte da nossa história como já aqui expliquei.

 

Um dado novo é a cor das chuteiras dos jogadores. Nos últimos anos abandonou-se o preto e cada marca passou a ter uma palete de cores à disposição dos craques. Irrita um bocado ver jogadores do Benfica com verde ou azul nos pés mas é apenas um pormenor, tal como era o vermelho nos números das camisolas do Porto. É uma questão de bom senso, não é um caso de polícia que mereça regras em contratos.

47726e3dde047676ea96f6ed8dea6622.jpg

Nunca vi no meu clube nenhum jogador ser castigado ou multado por usar verde ou azul nos pés, na cabeça, nos pulsos ou na baliza. Nem por ter trocado de camisola com um rival e vesti-la.

Era o que faltava. O Benfica que teve eleições democráticas em tempos de ditadura, o Benfica que tinha a palavra Avante no seu hino em tempos de proibição, palavra bem recuperada pela bancada agora, o Benfica que passou ser identificado como os Encarnados por uma comunicação social sempre medrosa mas que exibiu sempre o vermelho onde brilha a luz intensa do sol que lá no céu risonho vem beijar com orgulho muito seu.

As cores para nós nunca foram um problema, antes pelo contrário, foram sempre um orgulho.

 

Isto contrasta com a mudança de mentalidades a norte e ali ao lado. Os nossos rivais foram consomando um ódio ao vermelho, ou encarnado, como preferirem, até ao nível do rídiculo.

O Benfica nem chega a esse problema porque se tivesse que banir a cor de um rival tinha logo um dilema; qual deles?! É que eles têm um alvo comum, nós não. Também por isso é que a diferença no apoio das bancadas é tão grande. Enquanto as claques de Sporting e Porto em momentos de euforia, longe de clássicos ou derbys, dedicam cânticos ofensivos ao rival comum, atrás do Benfica só se ouve apoio.

Nos últimos anos a cor vermelha tornou-se uma doença em Alvalade. O líder faz questão de legislar contra a cor do rival. Nem é preciso comentar mais nada.

Qualquer dia estão a embirrar com as cores da Selecção Nacional e a pedir para os seus jogadores não vestirem a camisola principal...

Ce3MHnMWsAAp0RZ.jpg

Ah, esperem! Afinal, um qualquer advogado sportinguista já deu o mote no Record.

Estamos conversados.