Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Tetra Campeões

Red Pass

Tetra Campeões

Benfica 1 - 0 Feirense: Três Pontos e Nada Mais

_JPT2945.jpg

 

 Depois de se conquistarem três pontos a tendência é de respirar de alivio antes de pensar no próximo compromisso. Mas quando a vitória chega de uma maneira tão simples, um adepto tem que desconfiar.

Mais uma vez, o Benfica entra bem num jogo, isto é , chega à tão desejada vantagem muito cedo no jogo. Jonas aos 11 minutos colocou o Benfica na frente.

Aos 12 ninguém desconfiava que o gente tinha acabado ali, praticamente. Gerir resultados tão curtos não costuma dar finais felizes. Ver que a equipa nunca descola para uma exibição superior é preocupante. Mas foi isso que aconteceu esta noite na Luz. Foram cumpridos os objectivos mínimos, sem brilho nem entusiasmo. E, desta vez, nem há muito para analisar já que Rui Vitória resolveu apostar exactamente no mesmo onze que ganhou na Vila das Aves.

Não é que na última temporada a exibição tenha sido de gala, recordo que o primeiro golo foi um auto golo ridículo do Feirense, o segundo foi um remate do defesa do Feirense contra Salvio que deu golo e até Cervi marcou de... Cabeça. A questão é que desta vez o resultado foi demasiado curto e perigoso, tal como a exibição.

O mais importante e o que marca a noite, foi o Benfica ter ganho. Internamente o Benfica venceu na Taça de Portugal, na Liga NOS fora da Luz e em casa, nos últimos jogos. Sem brilho, é certo, mas a construir um ciclo de resultados positivos.

 

Adorava que alguém me explicasse porque raio o Feirense não joga de azul na Luz.

Mais uma vez correu mal a rábula de nos alterarem o hábito de atacarmos primeiro para norte.

 

 

Feirense 0 - 1 Benfica: Uma Fogaça de Pizzi

 _JPT7744.jpg

 Vida de adepto é mesmo assim. Num sábado faz-se quase 600 Km para ir ver o Benfica lutar por mais 3 pontos num estádio onde se cobram preços de bilhetes ao nível da Liga dos Campeões. Um estádio que não aguenta o festejo dos adeptos na altura mais desejada de se celebrar o golo que nos vale os tais 3 pontos. Uma situação que se repete como em 2012. O roubo dos preços e a fraca resistência das bancadas.

Curiosamente, a próxima paragem é mesmo a Champions League. É possível comprar um bilhete para ir ver o Benfica no mítico Signal Iduna Park (Westfalenstadion), em Dortmund, mais barato que alguns ingressos para Santa Maria da Feira. É a vida de adepto do Benfica.

 

Felizmente, a nossa vida de adepto é feita de momentos muito mais marcantes e positivos do que negativos. Para ir apoiar o Benfica na casa do Feirense motivam-se vários grupos de companheiros. É um excelente pretexto para uma almoçarada com malta vinda dos pontos mais diferentes do país e da Europa. Não há nada melhor que uma tarde, mesmo que longe de casa, à mesa a comer bacalhau assado com azeite quente e conviver sob o lema do benfiquismo. Isto a terminar uma semana de aniversário do clube e em dia que se comemora outra data interessante para um grupo de adeptos que há 25 anos estão Sempre Presentes.

 

Faltava ganhar o jogo.

A recordação que tinha dos jogos na Feira não era a melhor. São sempre jogos muito disputados, difíceis em que é preciso lutar muito para garantir uma vitória pela margem mínima. Foi o que voltou a acontecer.

Este Feirense é uma equipa muito interessante, junta-se ao Chaves e ao Rio Ave, como bom modelo de jogo a revelar excelente trabalho do seu treinador.

 

(Fotogaleria de João Trindade)

 

Da parte do Benfica a tarefa era desde logo mais dificultada pelas ausências de Nelson Semedo e Jonas. André Almeida remenda a posição mas a diferença para o Nelson é enorme, mesmo porque estamos a falar da falta do jogador que mais golos tem dado à equipa a partir do lado direito. Depois, a aposta para acompanhar Mitroglou na frente foi para Zivkovic. Carrillo e Salvio nas alas.

A equipa foi equilibrada por Pizzi que acabou por ser determinante e decisivo ao apontar o golo da vitória antes do intervalo.

Desde a bancada há alternativas que passam pela cabeça dos adeptos. Eu imagino um ataque com Salvio e Zivkovic nas alas e apostava em Cervi a apoiar Mitroglou, isto porque vi o argentino fazer esta posição na América do Sul.

Mas enquanto nos entretemos a discutir quais os jogadores que deviam ir a jogo, o Benfica lutou por sair vencedor da Feira. O golo antes do intervalo foi importante para acalmar a equipa e os adeptos.

Na 2ª parte só um grande susto na baliza de Ederson mas muito sofrimento com a diferença mínima no marcador.

 

Foi uma vitória muito suada mas o objectivo foi cumprido. Não há tempo para grandes considerações, a viagem para a Alemanha está aí e o Benfica quer ir a Dortmund discutir a passagem aos 1/4 de final.

Até lá temos fogaças para lembrar esta viagem a Santa Maria da Feira onde há benfiquistas que sabem receber à ... Benfica!

 

Benfica - Feirense em Imagens

Uma galeria de imagens de João Trindade.

Benfica 4 - 0 Feirense: Duas Fogaças Oferecidas Embalaram o Líder

unnamed.jpg

 (Foto: João Trindade)

 

À 7ª jornada o tricampeão apresentou-se na Luz num domingo à tarde de sol perante os seus adeptos e o ambiente foi de festa com o Estádio da Luz a registar uma enchente.

 

Era preciso responder ao desaire de Nápoles e, mais importante, aproveitar o deslize de um dos rivais para alargar a vantagem na frente do campeonato.

Rui Vitória optou pelo regresso de Ederson à baliza e de Luisão ao eixo da defesa ao lado de Lindelof. Para o lugar de André Horta avançou Pizzi, Guedes voltou perto de Mitroglou, Salvio manteve-se à direita e Carrillo voltou a ter oportunidade de jogar na esquerda.

O Feirense regressou ao Estádio da Luz, após vários anos de ausência, para apostar no contra ataque tão do agrado de José Mota.

 

Ao fim de meia hora de jogo o empate mantinha-se e o Benfica não parecia especialmente inspirado na hora de rematar à baliza de Peçanha. A bola passava muito tempo na posse da equipa encarnada mas não havia perigo concreto e o Feirense ia assustando sempre que podia com rápidos contra ataques a explorar os rápidos alas.

Numa altura em que se começavam a notar os primeiros nervos dentro e fora de campo com os jogadores de Santa Maria da Feira a ensaiarem quedas por lesão, também ao melhor estilo das equipas de José Mota, apareceu o golo do Benfica caído do céu. Um longo lançamento lateral de Salvio que levou Luís Aurélio a meter a bola na sua baliza.

Um sentimento misto de alívio e desconfiança pela maneira como se abriu o marcador. Uma excelente altura para olhar com outra calma para o cenário lindíssimo que um relvado iluminado pelo sol faz brilhar o equipamento vermelho e branco do Benfica e dá outra cor às bancadas. Tão bonito o futebol à tarde!

 

Felizmente, no Benfica percebeu-se que era preciso jogar mais e melhor para garantir esta vitória. Ironicamente, voltou a ser graças a um golpe de sorte que a equipa chegou ao 2-0. Aos 62' Icaro tentou afastar a bola da sua área mas encontrou a oposição de Salvio que acabou premiado, pela insistência, com um golo inesperado.

 

O Feirense sentiu que já não ia conseguir lutar pelos pontos e o Benfica tranquilizou o seu jogo. Partiu para a melhor fase do jogo com jogadas atacantes que empolgaram os adeptos e que resultaram em mais dois golos.

Para manter o aspecto de estranheza, o 3-0 veio da cabeça do pequeno Cervi acabado de entrar, depois de um excelente cruzamento de Nelson Semedo. A goleada foi consumada pelo pé de Grimaldo na conversão superior de um livre directo. Destaque para a presença de Luisão na barreira, o capitão não estava a gostar da luta que ali se mantinha e foi lá mostrar autoridade.

Foi o final de jogo perfeito numa bela tarde futebol na Luz. Destaque ainda para a entrada prometedora de Zivkovic e mais uns minutos para José Gomes.

 

O Benfica fecha esta primeira fase do campeonato isolado no comando, tem o melhor ataque e apresenta a defesa menos batida, juntamente com o Porto. Isto num contexto de enorme dificuldade graças às várias lesões de jogadores essenciais na equipa. Com o regresso de nomes como Jonas ou Rafa, percebe-se que a qualidade só pode subir e as expectativas são as melhores.