Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Red Pass

Tetra Campeões

Red Pass

Tetra Campeões

Benfica 2 - 2 Bayern de Munique: Chegou a Ser Possível!

e601494c-e0e7-49df-9f8b-010872fd82fc.jpg

(Fotos: João Trindade)

 

Para Ederson, Lindelof, Talisca, Carcela, Gonçalo Guedes, Renato Sanches, Jimenez e Pizzi, o que há em comum entre esta noite e a tarde de 19 de Janeiro de 2016? É que todos jogaram pelo Benfica. Só que em Janeiro estes oito jogadores estavam a defrontar o Oriental em Marvila para a Taça da Liga, esta noite bateram o pé ao colosso Bayern de Munique na Luz em plena Liga dos Campeões. 

Sem Jonas, Mitroglou, Gaitan, Luisão ou Júlio César, com os que estavam disponíveis o Benfica fez o mesmo que tinha feito contra o Oriental, foi para o campo tentar ganhar o jogo, porque isto é que é jogar à Benfica. 

 

Terminou a nossa campanha europeia 2015/16, ficámos a dois jogos da final de Milão mas deixamos uma carreira digna da nossa história e com momentos para não esquecer. Isto é, acrescentámos mais umas noites brilhantes à nossa história. Tem de ser esta a nossa missão, somar sempre, nunca subtrair. 

_JPT0355.jpg

Caímos contra uma das equipas mais poderosas da prova, incomparavelmente mais ricos, mais protegidos, mais premiados, mais experientes e mais favoritos. Depois do sorteio só se ouvia falar em goleadas em Munique. Saímos de lá vivos. Hoje igualámos a eliminatória antes da primeira hora de jogo! O Benfica com oito miúdos que faziam parte da rotação da equipa contra o Oriental há poucos meses, estava a disputar taco a taco a passagem às meias finais da Champions!

 

O passe de Eliseu para a cabeça de Raul Jimenez ficará imortalizado nas imagens digitais. Daqui a muitos anos vamos continuar a falar da forma como o Benfica bateu a defesa do Bayern. Logo depois, o mexicano tem uma oportunidade de ouro para colocar o Benfica em vantagem na eliminatória. O remate saiu fraco. Foi pena. Aquele pontapé na bola mais os falhanços de Jonas em Munique podiam ter causado ainda mais impacto na Europa do futebol. Deu para assustar os germânicos.

_JPT0449.jpg

Viveram-se minutos de loucura no Estádio da Luz. A pena que eu tenho de não ver as nossas bancadas assim empenhadas mais vezes. Este 1-0 ajudava a evidenciar o grande jogo da primeira mão e fazia a nação benfiquista sonhar a sério. 

Infelizmente, o Bayern respondeu forte e Vidal encarregou-se de repor a naturalidade das coisas. Impressionante a precisão de tiro do chileno na altura de rematar tenso para a baliza aberta após uma primeira intervenção de Ederson junto ao seu poste esquerdo. Antes de Vidal chutar já em estava a ver a bola dentro da nossa baliza mesmo ali à minha frente. Arturo Vidal, campeão sul americano pelo Chile, ex-Juventus, foi o homem que pôs o Bayern nas meias finais com este golo na Luz e o golo de Munique. Um craque topo de gama.

 

Era preciso fazer mais dois golos para conseguir o apuramento. Na 2ª parte não parecia possível fazer nem um mas acreditamos sempre. 

Com tanta posse de bola, era de esperar que o Bayern fechasse a eliminatória a qualquer momento, quando Muller fez 1-2 sentimos que o sonho tinha acabado. Mas o jogo não.

A equipa do Benfica não quis sair da prova com uma derrota e teve uma reacção gloriosa procurando outro resultado. Talisca entrou em campo e foi a tempo de bater um livre directo para mostrar aos seus herdeiros. Remate exemplar a bater Neuer! Pouco depois, novo livre e Talisca tentou bisar mas a bola saiu um pouco ao lado. Neuer respirou fundo que eu vi.

_JPT0575.jpg

Por falar em livre, a falta que origina o livre do golo do Talisca deixa mais um rasto de injustiça. Não sou de trazer para aqui arbitragens mas temos que ir a factos. O derrube a Gonçalo Guedes dava expulsão directa ao defesa do Bayern. Assim como, no Allianz Arena, Vidal devia ter visto um cartão amarelo que o tirava do jogo de hoje, além, claro, do penalti de Lahm. São factos que ficarão para história. Quando falarmos deste duelo vamos nos lembrar do grande jogo de Munique, dos falhanços de Jonas, do cabrito que fez a Vidal e penalti não assinalado. Da Luz falaremos da expulsão perdoada aos alemães antes do enorme golo de Talisca. 

Sem vitimizações ou teorias da conspiração, apenas factos curiosos.

 

Passou a melhor equipa? Claro que sim, a equipa de Guardiola joga um futebol que marca uma geração, daqui a uns anos também se farão documentários sobre este Bayern. Mas para provarem o seu óbvio favoritismo tiveram que se empenhar muito e a sério. Nunca saberemos como teria sido o duelo com os jogadores do Benfica todos aptos e em forma mas ficámos a saber algo muito mais importante, o Benfica vai a jogo com qualquer jogador do plantel e vai para ganhar. Seja contra o Bayern, seja contra o Oriental. É isso que pedimos, sempre foi, sempre será. Dignidade, honrar o emblema, respeitar a história. 

_JPT0651.jpg

Andar entre os oito clubes que podem sonhar em Abril com uma final da Champions tem que ser o nosso objectivo sempre. Esta época cumpriu-se com classe. Disputámos o apuramento na fase de grupos com o Altético de Madrid que é um dos semi finalistas. Ganhámos na casa deles. O Benfica está bem vivo e renovado.

 

Uma noite europeia inesquecível, ver o nosso Benfica discutir um jogo com jogadores que tenho no patamar mais elevado da minha admiração no futebol internacional é uma sensação incrível. Vi um jogador do Bayern a pedir assistência médica perto do fim do jogo. Coisa rara. 

Também vi o ar desolado com que Lindelof abandonou o relvado enquanto olhava para a enorme festa que os bávaros faziam na baliza norte. O sueco foi o última a sair, ia de passo lento e sempre com olhar posto nos adversários e uma postura de quem não estava muito convencido com aquele desfecho. Lindelof que esteve para ir rodar para a 2ª divisão inglesa em Janeiro. Jogou com a mesma determinação hoje como tinha jogado em Marvila. 

_JPT0663.jpg

Obrigado, Benfica, por esta campanha europeia. A nossa camisola saiu dignificada, a Europa falou de nós com o respeito que merecemos e não temos no nosso país. Somámos hoje mais um ponto para o tal Ranking europeu que tanto jeito dá a quem tão mal nos quer. 

Eu que só tinha na minha memória afastamentos contra o Bayern por números embaraçosos, sinto-me orgulhoso por ter visto ao vivo este duplo embate e por sentir que fizemos tudo para discutir o apuramento. Marcámos menos um golo que o Bayern. Paciência.

Pessoalmente, espero que os bávaros ganhem a competição. 

Na próxima época voltaremos, temos de dar continuação a estas odisseias europeias.

 

Agora todas as atenções para o pobre, acanhado e mesquinho futebol português. Temos um campeonato para ganhar contra o maior "all in" da história lusa.

 

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2