Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Red Pass

Rumo ao Tetra

Red Pass

Rumo ao Tetra

Benfica 2 - 1 Sporting: Incomparável

_JPT1898.jpg

 Alguém se lembra de algum derby que o Benfica tenha vencido e que o adversário tenha reconhecido mérito na vitória? Eu não me lembro e já levo trinta e muitos anos de ver e viver estes jogos. Se há coisa certa numa vitória do Benfica sobre o Sporting é que nunca foi justa e sempre houve dedo de arbitragem.

Por acaso, faz agora um ano, mais coisa, menos coisa, que fui ver um destes derbys a Alvalade e senti-me altamente aldrabado com o resultado final do jogo, que ainda por cima era a eliminar. O Luisão à minha frente partiu o braço e não houve penalti para ninguém, por exemplo. Sabem quem era o árbitro desse jogo? Lembram-se dos elogios do adversário para com o trabalho do árbitro?

Depois desse jogo as coisas mudaram no Benfica. E mudaram porque em vez de ficarmos a chorar mais uma arbitragem que nos prejudicou, seguimos em frente, lançámos novos jogadores como Renato Sanches e acabámos campeões. Curiosamente, os rivais saíram logo a seguir da tal competição. Caíram como? Afastados pelos árbitros, claro.

 

Tal como hoje. O clube que paga o ordenado mais alto a um treinador de futebol em Portugal chegou à Luz cego com a possibilidade de voltar para casa na liderança do campeonato. Para isso até desprezou as competições europeias de tal maneira que só lá voltam na próxima temporada. Mas isso não interessa para nada porque o foco era roubar a liderança ao Benfica vencendo o derby. Ou seja, andaram dias e noites a sonhar com este jogo, iam fazer a única coisa que justifica a sua existência, lutar para ultrapassar o Benfica.

 

Por seu lado, o Benfica vinha de duas derrotas seguidas. A crise adivinhava-se, as lesões não poupam o plantel, não havia defesa esquerdo e o mundo estava a acabar para os homens de Rui Vitória.

O treinador do Benfica limitou-se a lançar Rafa no lugar de Cervi e viu a sua equipa responder com a alma e determinação do costume, chegando ao 2-0 no arranque da 2ª parte. Teve que tirar Salvio e lançou Danilo. Depois optou por Cervi no lugar de Guedes e acabou por trocar Rafa por Samaris. Simples.

 

Fotogaleria de João Trindade

 

Já do lado contrário, depois do Sporting ter reduzido, houve a inteligência de tirar Dost para entrar André. Opções.

 

O Benfica soube ter iniciativa de jogo quando teve de atacar, soube sofrer quando teve que defender e soube agarrar a vitória para aumentar a vantagem sobre o rival directo na luta pelo título.

 

Dá gosto ver como esta equipa tem crescido e mostrado experiência. Da mesma maneira, que é um prazer assistir ao crescimento do ambiente do Estádio da Luz em termos de eficácia. Primeiro, com uma coreografia realmente bem feita. Depois, com um ambiente incrível nas bancadas sempre a segurar a equipa e a empurrá-la para a vitória.

O maior destaque tem de ir para a maneira como o Topo Sul apresentou o Benfica numa só palavra. Será, talvez, dos exercícios mais difíceis e ingratos, caracterizar o Benfica numa só palavra. Esta noite, a palavra apareceu no meio do inferno: incomparável!

É isto mesmo.

Circo, folclore, ruído, barulho, choro e parvoíce sempre há. Como o Benfica é que nunca houve. Nem haverá. É incomparável.

29 comentários

Comentar post

Pág. 1/2