Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Tetra Campeões

Red Pass

Tetra Campeões

Apesar de Tudo, Bom Natal!

bom natal benfica.png

Chegou o Natal e vale a pena recordar o que foram os últimos momentos do campeonato antes da paragem para as festas natalícias, de ano novo e entrada da Taça CTT.

O Porto aproveitou da melhor maneira a folga no calendário para ganhar uns dias extra de férias. Eliminado da Taça de Portugal pelo Chaves, os azuis preparam a vingança à equipa que subiu da 2ª liga este ano e que se apresentou no Dragão sem o seu treinador, resgatado pelo Braga. A equipa transmontana voltou a surpreender Nuno Espírito Santo e esteve a ganhar uma boa parte do jogo. Depois, o Porto conseguiu dar a volta ao resultado e lá arrancou uma suada vitória por 2-1. Alivio no Dragão? Claro que sim. Mas os três pontos trouxeram mesmo loucura às bancadas que se despediram da equipa e da Liga cantando alegremente "A todos um bom Natal". Estão felizes, já jogaram o clássico em casa e continuam a 4 pontos do líder. Óptimo, haja alegria.

 

Depois, o Braga cumpriu a sua obrigação e ganhou ao Moreirense garantindo que passa o Natal e a passagem de ano no 3º lugar.

Entra em campo o 4º classificado e todo um novo conceito de euforia natalícia acontece em Lisboa. Um milagroso golo no último minuto evita que o Sporting fique a 10 pontos do líder e festeja-se o facto de "só" ficar a ...8! Uma vitória tão saborosa que teve direito aos maiores festejos que o Restelo já terá vivido desde Setembro de 1956! Loucura dentro e fora do relvado, volta olímpica presidencial (talvez o melhor ritual desta presidência) e impressionante invasão de campo dos adeptos visitantes.

Por falar em invasão, lembro-me de um adepto do Benfica ter ido abraçar os jogadores em Barcelos e de outros dois terem invadido o relvado em Paços de Ferreira, e logo choveram multas individuais, colectivas, foram para tribunal e ficaram com problemas com a justiça.

Na euforia dos adeptos do 4º classificado alguém foi detido? Alguém foi presente a tribunal? Quero acreditar que sim, que não há dois pesos e duas medidas conforme as cores que os adeptos apoiam.

No dia seguinte, o Vitória de Guimarães vence em Arouca e ficamos a saber que o Sporting passa o Natal e o Ano Novo com os mesmo pontos do 5º classificado. Puxamos o filme atrás, revemos os festejos do Restelo e temos de sorrir.

 

Então, e o Benfica?

Bom, o Benfica continua miserável. Cheio de lesões, com exibições péssimas, entregues a golpes de sorte, segurado pelos árbitros e em crise. Entra no novo ano na liderança da Liga e a lutar por todas as competições em que participa depois de já ter ganho a Supertaça. Uma chatice.

Como sabemos, só ganhou o derby por causa desse enorme benfiquista chamado Jorge Sousa, no Estoril só se safou com um penalti completamente inventado pela equipa de arbitragem e no último jogo antes do Natal fez uma exibição vergonhosa contra o Rio Ave.

Por isto tudo, os benfiquistas estão deprimidos. Não invadiram o relvado da Luz para abraçar Pizzi depois daquela obra prima que deu o 2-0. Os adeptos preferiram ficar nas bancadas conformados com o fraco futebol da equipa. No final do jogo, nova demonstração de falta de confiança na equipa, em vez de se celebrar a liderança cantando bem alto "Um Bom Natal Para Todos Vós", preferiram bater palmas ao som do "Ser Benfiquista". Lamentável.

 

Olhem, companheiros benfiquistas, apesar de tudo, tenham um bom Natal!

 

A Chapecoense Merecia Mais

chapecoense.jpg

O mundo vai descobrir hoje que há um clube de futebol modesto no Brasil com o curioso nome de Chapecoense. O nicho de adeptos do futebol, aqueles que vivem  para conhecer histórias relacionados com o futebol, aqueles que compram e partilham livros para descobrir mais curiosidades, factos e episódios escondidos ou do passado, aqueles que facilmente ficam acordados a ver um jogo de competições sul americanas porque a Sport TV está a transmitir em directo, esses conhecem bem a história da Chapecoense. É preciso sublinhar que é mesmo a Chapecoense e não o Chapecoense. Quando nos interessamos pela história do clube começamos logo por aprender a usar o artigo certo.

 

Reduzindo o nicho dos entusiastas do futebol, já de si pequeno, para apenas os adeptos portugueses, a Chapecoense sempre foi vista com carinho pela sua humilde e modesta história, além, claro, dos pontos de contacto com o nosso futebol. Este ano a equipa foi treinada por Caio Júnior, um avançado que brilhou no Minho ao serviço do Vitória SC entre 1987 e 1992. Depois ainda passou pelo Estrela da Amadora e o Belenenses. Como não ficar a ver um jogo de madrugada com uma equipa a ser treinada pelo Caio Júnior?

Recentemente, foi para lá que o Marcelo Boeck foi jogar. O guarda redes que brilhou no Marítimo e foi fazer número para o Sporting faz parte do plantel, continuando a fazer número na Chapecoense.

 

Para se perceber o excelente trabalho organizativo do clube de Chapecó, Santa Catarina, relembro que em 2009 estava a competir na Serie D, 4º escalão do Brasil. Em 2012 subiu à Serie C. Um ano depois foi promovido à Serie B. Em 2014 chegou ao principal campeonato brasileiro. Contrariando as apostas, a Chapecoense manteve-se entre os grandes e esta época está na primeira metade da tabela a uma jornada do fim.

Meio mundo ficou a saber da sua existência no último fim de semana, a Chapecoense fez parte do jogo mais mediático do Brasileirão que confirmou o Palmeiras como campeão.

Mas foi no jogo anterior que a Chapecoense surpreendeu o mundo ao conseguir um incrível apuramento para a final da Copa Sudamericana contra os argentinos do San Lonrenzo. Um empate 1-1 na Argentina valeu o apuramento, já que na 2ª mão em Chapecó, os brasileiros conseguiram manter o 0-0. Um feito que deixou os adeptos do futebol felizes, tirando os simpatizantes do clube do Papa, claro. Como todos os feitos de equipas não favoritas.

 

Desde 2014 houve quem passasse horas a jogar com a Chapecoense no Football Manager ou no FIFA na playstation, houve quem se afeiçoasse e passasse a torcer por eles, ninguém, dentro do tal nicho, ficou indiferente à evolução do clube brasileiro.

Agora ia acontecer o ponto alto da época, todos queríamos ver a Chapecoense a bater o Atlético Nacional da Colômbia na final da Sudamericana. A 1ª mão estava marcada para amanhã em Medellín.

 

A tragédia que aconteceu mexe connosco porque a sentimos demasiado perto e injusta. Perto porque nos afeiçoámos à equipa via televisão, injusta porque nos faz pensar nos livros que lemos sobre as equipas do Torino ou do Manchester United e que ainda hoje tanto nos chocam.

 

A Chapecoense é tema do dia no mundo todo. Fizeram o suficiente para serem falados e serem descobertos pelos seus méritos desportivos e não por uma tragédia assim. De uma forma ou de outra, o clube de Santa Catarina passa a ser lendário.

 

Mercado Fechado. Atacar o Tetra Juntos e Tranquilos

CrOdQ64XgAAUpo9.jpg

Fechou o mercado e o que o Benfica tem para atacar o tetra é o plantel que podemos ver mais acima já dividido por sectores. Pelo menos, até ao final de Janeiro, Rui Vitória tem muito por onde escolher.

A primeira dor de cabeça do treinador será escolher os eleitos inscritos para jogarem a Liga dos Campeões, quatro dos nomes que vemos ali em cima terão de ficar de fora.

Para as competições internas todos contam.

Partindo do principio que o núcleo duro da conquista do 35º título se mantém, Gaitán e Renato são as únicas baixas, e que há jogadores que ajudaram a conquistar o 34º e 33º título que continuam na plenitude das suas capacidades, temos que dar o beneficio da dúvida, no mínimo, a quem constrói o plantel.

O Benfica é tri campeão nacional apesar de ter perdido sempre o campeonato do mercado de transferências nos últimos anos.

O Benfica é tri campeão nacional apesar de ter visto um treinador que venceu três ligas em seis anos ter ido para o rival Sporting. Apesar de ter visto um dos capitães de equipa com oito anos de casa ter ido para o rival Porto. Apesar de assistir ao ingresso de ex-jogadores campeões na Luz irem para os rivais.

O Benfica tem mantido um rumo, uma ideia, um projecto e uma postura que em dado frutos. O Benfica tem mostrado coerência na hora de decidir. As épocas não começam em Setembro, quando os jogos oficiais arrancam o plantel da equipa de futebol costuma estar quase todo definido. Tem sido assim nos últimos anos. Por isso, já estamos acostumados a um fecho de mercado tranquilo. Há sempre a hipótese de sair alguém ou entrar uma mais valia. Este ano entrou Rafa. É uma mais valia inegável. Em jeito irónico, podemos dizer que de um dia para o outro duplicámos o número de jogadores na Selecção campeão europeia.

 

Olhando para o quadro de jogadores que ilustra o topo deste texto podemos constatar que em relação à equipa campeã de Maio só temos duas entradas num hipotético onze actual, Rafa na esquerda e André Horta no meio campo. Ou seja, nove titulares transitam da época passada. Não houve revoluções, não se vendeu meia equipa e mantemos jogadores como Júlio César e Ederson, Jardel e Lindelof, o esteio Fejsa e o génio Jonas. Salvio tem mostrado estar de volta ao seu melhor e também continua por cá e, finalmente, o capitão Luisão mantém-se como líder do grupo, ele que já soma cinco títulos de campeão nacional.

Portanto, todas as notícias dadas desde Maio até ontem sobre a saída de quase todos estes jogadores que mencionei foram desmentidas pelo fecho de mercado. O Benfica não tinha que fazer nenhuma revolução no plantel porque é o clube campeão, porque ganha Taças da Liga de maneira tranquila e porque em Abril andou a disputar o acesso à meia final da Champions League de igual para igual com o campeão da Alemanha. Esse trabalho está feito e os principais obreiros continuam nos mesmos lugares.

 

Já sabemos o que é preciso sofrer e lutar para termos um Maio feliz. Também já sabemos o que é a alegria dos outros ao serem campeões do mercado, do inverno e da vida. Nada mudou. É olhar para dentro, não responder ao que aí vem - e deve vir outra dose igual ou maior à da época passada com o auge de racismo à volta do Renato e do circo de vouchers - continuar a encher o nosso estádio e fazer dos campos dos outros uma mini Catedral. Este foi o caminho, este tem de continuar a ser o caminho. Se ainda estão com dúvidas voltem ao quadro lá de cima e entretenham-se a desenhar o vosso "11" ideal e reparem bem nas várias opções. É um plantel jeitoso, ou não?

 

Porque Não Há Que Hesitar em Ir à Luz

12524146_10156833391150716_6195012213141896870_n.j

 

Se estiverem a hesitar em ir amanhã à Luz pensem bem.

Ver o Benfica jogar na Luz é um privilégio que milhares de adeptos não podem ter pelas mais variadas razões. Podendo não há desculpa para faltar a um jogo oficial do Benfica.

A época caminha rapidamente para o fim. Em poucas semanas vamos ficar sem jogos oficiais do Benfica até ao Agosto. Há mais dois desafios na Luz, depois são semanas e semanas sem bola na Catedral.

Estamos perante a meia final de uma competição oficial que envolve todos os clubes profissionais de futebol em Portugal. Jogam duas das três únicas equipas que já conseguiram ganhar a prova.

Em vez de passarem mais uma noite em casa a passar os olhos por programas de televisão que promovem futebol falado tóxico, podem estar num dos estádios mais elogiados da Europa a ver futebol a sério. 

O compromisso que o Benfica prometeu aos seus adeptos passa por lutar por todas as provas em que está envolvido. No campeonato a luta é o que se sabe, na Taça de Portugal caímos num prolongamento num derby fora de portas e na Taça da Liga estamos nas meias finais. A equipa, e os jogadores menos utilizados, merecem todo o nosso apoio e carinho por terem chegado até aqui.

O facto de termos um jogo oficial a começar uma semana que se prevê de grande tensão, é uma boa ideia para não nos lembrarmos do que se fala sobre jogos de malas e afins.

Mais grave tem sido a diferença de comportamento dos adversários que apanhamos sempre tão aguerridos na luta por um ponto e quando jogam com o 2º poupam jogadores, rodam a equipa, têm situações caricatas nos dias que antecedem o jogo com eles, enfim, um fartote.

Hoje o Marítimo bateu tudo no que diz respeito ao cumprimento da verdade desportiva tão badalada em vão. No Estoril a equipa de Nelo Vingada poupou meia equipa não arriscando utilizar jogadores que estavam em perigo de castigo. 

O Rio Ave está fora da Europa porque poupou a sua equipa na deslocação a Arouca antes de receber o Benfica.

Tem sido uma sucessão de loucura para os adversários do Benfica roubarem pontos. 

Por tudo isto, este jogo é um escape para a nossa sanidade mental. Na Champions soube tão bem o duplo duelo com o Bayern sem pensarmos em jogos de bastidores, tal como agora vai saber bem lutar pelo apuramento para mais uma final mesmo com jogadores menos utilizados.

Basicamente, vale sempre a pena ver o Benfica no estádio. 

Um Exemplo da Desonestidade Intelectual: O Bayern de 2009 Muito Melhor Que o Actual!

2009.jpg

Como se sabe, faço parte do painel de um programa da BTV desde o final da época passada, e também já me terão visto a comentar antes ou depois de alguns jogos do Benfica. Faço-o com a mesma paixão com que escrevo aqui e sempre com a preocupação de acrescentar algo com a minha experiência de acompanhar o clube há vários anos. Mas tenho sempre um enorme pavor antes das minhas intervenções públicas, não quero ser apanhado nunca a dizer barbaridades. Uns lapsos, uns erros de memória, isso é normal de acontecer. Tento evitar ao máximo mas, às vezes, acontece. Agora, dizer mentiras, inventar e aldrabar a história, isso nunca farei. Tenho pavor de ser induzido em erro e dizer alguma alarvidade que fique registada para sempre.

 

Posto isto, podem imaginar o meu espanto quando me deparo com uma figura pública, Helder do Amaral, respeitado deputado na Assembleia da República pelo CDS, comparar na CMTV o Bayern que eliminou o Sporting e aquele que veio agora à Luz.

São poucos segundos cheios de pérolas:

 

Bom, para quem tem memória futebolística, como eu, não é complicado soltar imediatamente uma exclamação de espanto perante tanta mentira dita em tão pouco tempo.
Para quem tem uma cabeça bem mais saudável que a minha e não guarda estes dados automaticamente, pode pensar que se calhar o homem tem razão em alguma coisa. 
Em jeito de resumo avanço já que não acertou em nada! Falamos da época 2008/2009, nem foi assim há tanto tempo, caramba! 
Vocês ouviram bem, o senhor deputado disse que aquele Bayern que humilhou o seu clube ganhou TUDO! 
Ou o conceito de ganhar mudou mesmo de vez para aqueles lados ou o ilustre representante popular na Assembleia da República pelo CDS é mentiroso. É que aquele Bayern não ganhou NADA!! 
 
Para explicar ao pormenor o que foi aquela triste época do Bayern, apenas animada com as goleadas europeias aos tristes coitados às listas, recorro de um texto do Ricardo Solnado que, cheio de ironia, mostra as diferenças entre aquele "grande" Bayern e este "pobre" Bayern: 
 

Então vamos lá falar do Bayern de 2008/09, o Bayern dos 12-1.

csm_51007-wolfsburg_bayern_2009_getty_52e353af61.j

 - Campeão europeu nessa época, que depois dos 12-1 foi levar 4-0 a Barcelona, e depois conseguiu empatar 1-1 em casa.

- Campeão alemão com 20 vitórias, 7 empates e 7 derrotas, com menos 2 pontos que o Wolfsburgo.

- Vencedor da Taça depois de perder 4x2 em Leverkusen nos 1/4 de final, num jogo em que até marcou um tal de... Arturo Vidal.

 epa01655371-bayer-leverkusens-patrick-helmes-c-r-s

Lukas Podolski foi o melhor marcador da Champions, com os 2 golos que apontou ao Sporting. Únicos nessa época na prova europeia num total de 9 em 31 jogos em todas as competições.

Klinsmann seria despedido em Abril, pois o Bayern corria risco de não se qualificar para a Champions. Heynckes foi treinador interino em 5 jornadas, e fez 13 pontos, levando a equipa ao 2ºlugar. Van Gaal seria o seu sucessor.

 

Para quem ainda estiver com paciência, vamos falar do plantel do Bayern:

Kahn tinha-se reformado, Rensing era o titular e Butt, contratado ao Benfica, o seu suplente. Iam alternando a baliza depois de Rensing ter provado que não tinha valor.

Como centrais tínhamos Lúcio, Demichelis e van Buyten. Ah, e nos 7-1 jogou Breno, que anos mais tarde seria preso por incendiar a própria casa.

Lahm era lateral...esquerdo. À direita alternavam Oddo (emprestado pelo Milão) e Lell. Altintop safava às vezes.

A meio-campo Van Bommel era o capitão e referência. Ao seu lado jogava a jovem promessa brasileira Zé Roberto, filho de Renato Sanches. Por vezes jogava Ottl, futura referência do meio-campo da Mannschaft. Kroos era emprestado ao Leverkusen para ganhar rodagem.

Nas alas, brilhava Ribery num lado e no outro jogava... Schweinsteiger, ainda antes de ter sido "inventado" como número 8 e ainda antes de ter saído do Bayern para estar lesionado toda a época em Manchester. Suplentes para as alas eram Altintop e Sosa, para quem não sabe viria a marcar o golo decisivo na final de um Mundial.

Na frente, alem do matador e habitual suplente Podolski, os titulares eram Toni e Klose. Juntos nessa época gloriosa, fizeram 38 golos, num total de 72 presenças combinadas.

 

A 15 de Abril de 2016, Lewandowski tem 36 golos e Muller 29 (que até se estreou a marcar pelo Bayern, vindo dos juniores, nos tais 7-1).

E claro, quem são Neuer, Alaba, Javi Martinez, Xabi Alonso, Vidal, Thiago, Douglas Costa, Gotze, Coman, para não falar dos lesionados Robben, Boateng, Badstuber ou Benatia ?

 

Choram os adeptos do Bayern, com saudades da gloriosa época de 2008/09, onde não ganharam nada mas deram 12-1 ao Sporting! Faz lembrar uns adeptos que têm saudades da gloriosa época de 1986/87, onde nada ganharam mas deram 7-1 ao seu rival.

 
 

10 Coisas a Reter no Regresso ao Nosso Triste Quintal

13007375_984794691568167_2276178419443460507_n.jpg

Andámos uns dias nas nuvens dedicados a leituras deliciosas, respeitosas e elogiosas para com o nosso Benfica que nos chegavam de Itália, França, Espanha, Inglaterra ou Brasil. Pelo menos, os que têm prazer em ler sobre futebol e seguem com atenção os editores e colaboradores de publicações de referência publicadas em línguas que consigamos perceber. Vários textos sobre a aposta do Benfica em sete miúdos que tiveram a sua estreia absoluta na Liga dos Campeões este ano, alguns deles deixando fortes marcas, sobre Rui Vitória que jogou pela primeira vez a prova, sobre o nosso estádio, sobre o apoio dos nossos adeptos em Munique, sobre o ambiente fantástico criado na noite de 4ª feira passada. Isto a juntar aos saborosos elogios vindos de figuras maiores do futebol mundial como Pep Guardiola, Arturo Vidal e até Cristiano Ronaldo.

 

Mais de metade do que li não apareceu em lado nenhum da imprensa nacional. É algo espantoso que tantas referências ao Benfica não tenham tido eco por cá. Tudo o que descobri foi porque apareceu em edições internacionais que já costumo acompanhar ou partilhado por amigos que são igualmente atentos a artigos de futebol. 

 

Então com que é a imprensa nacional, e as redes sociais, anda entretida, agora terminou a carreira europeia das equipas portuguesas? Depois de um duro regresso à realidade do nosso triste quintalzinho futebolístico tirei algumas conclusões que partilho:

 

- O Benfica andou a amealhar milhões na Champions mas foi ao Sporting que saiu o Euromilhões. Isto pelo que se lê pelas redes sociais onde se fala de prémios motivacionais aos nossos próximos adversário. Mais de 200 mil euros para o Sado, e reforço do plantel para a nova época em Vila do Conde com a cedência em definitivo de Heldon mais dois emprestados. Nada mau. Não admira que os jogadores do Rio Ave estejam mais preocupados com a recepção ao Benfica do que com a deslocação a Arouca, importantíssima para o acesso à Europa. 

 

- O Benfica é que chegou a Abril envolvido em três frentes de luta mas o Sporting é que está preocupado com o calendário. Em vez de nos agradecerem os pontos que conquistámos para o ranking da UEFA, que permite a clubes que raramente ganham campeonatos irem à Champions, apressaram-se a criticar a data do jogo do campeonato após o duelo com o Bayern. Acham um escândalo que se jogue só na 2ª feira. Mas já acharam óptimo que tivéssemos jogado com o Braga poucas horas após o regresso de Jonas do Brasil, por exemplo. Surreal! 

Também a data da Taça da Liga faz comichão em Alvalade. A Liga decidiu marcar para dia 2 de Maio, o Sporting queixa-se que isto é tudo como o Benfica quer. O Belenenses riu-se porque ainda há poucos dias não quis jogar um derby numa 2a feira à noite mas não teve outro remédio. 

Isto tudo vindo de um clube que paga milionariamente ao seu treinador que não conseguiu entrar na Champions, que foi corrido da Liga Europa, que se despediu da Taça de Portugal antes do Natal e que falhou o apuramento na Taça da Liga com derrota contra uma equipa do segundo escalão. Imaginem se estivessem na luta por quase todos os troféus como nós...

 

- Escrevi um treinador milionariamente pago com rigor, porque parece que daquela equipa técnica só o chefe é que tem os ordenados em dias

 

- Renato Sanches na imprensa internacional é o puto do momento, cheio de elogios. Por cá continua a ser um delinquente que foge ao serviço militar com idade falsa. É o que temos.

 

- Pelo que leio na imprensa portuguesa, um tal de Alan Ruiz é mais craque que todos os craques que disputaram o acesso às meias finais da Champions. Óptimo para o nosso campeonato.

 

- Outro facto relevante, o Sporting é o que está no melhor momento enquanto o Benfica só ganha com sorte. É isso.

 

- O Sporting é a equipa mais carregada de jogos esta época, tem mais um que o Benfica. O facto de terem andado em pré eliminatórias que dispensam campeões não é relevante. E o facto de desse jogo a mais não ter servido para nada, também não.

 

- Carlos Mané não tem problema nenhum. Desabafa em redes sociais. 

 

- João Pereira não desapareceu, continua a treinar muito bem. O resto são decisões. Que nenhuma imprensa ousa colocar em causa, obviamente. Tal como os desabafos do Mané. A tal imprensa que protege o Benfica. Olha, olha... se isto fosse na Luz... 

 

- No Porto está tudo calmo e tranquilo a preparar a nova época. Capas a falar de crise? Zero.

 

Percebem agora que quanto mais tempo andarmos na Europa menos tempo temos para ler a excelente imprensa portuguesa e todos os comunicados e todas as provocações saídas de vários canais verdes plantados um pouco por todo lado. 

Voltamos à realidade do nosso quintal. É aguentar esta poluição sonora e escrita mais cinco jornadas com a mesma força que temos mostrado até aqui. Os elogios de quem nos vê mais longe servem de motivação contra isto que se vê por cá. 

 

Os Caça Fantasmas Baralhados

dIKl2rB1.jpg

Vamos recuperar esta pérola de 2 de Janeiro de 1993 no reinado de Sousa Cintra para esclarecer o que é importante nesta caça aos fantasmas que vejo por aí em tons de verde.

 

À falta de melhor tenta-se transformar em fantasia tudo o que é notícia na realidade. Distorce-se um pouco, embrulha-se e incluem-se em comunicados e tarjas. Uma moda como outra qualquer.

Vem isto a propósito da recente prisão preventiva de José Veiga na operação Rota do Atlântico que também apanhou Manuel Damásio. Junte-se o presidiário Vale e Azevedo e temos uma série de teorias que tentam dar força a outras teses como a dos vouchers, por exemplo.

Em resumo, para a carneirada do rei dos comunicados o Benfica é um clube de aldrabões, corruptos que acabam todos presos em casas da Carregueira. Este é o dogma e é sobre isto que se vive.

 

É melhor esclarecer que nós não temos medo de fantasmas e que vivemos bem com as condenações a gente que já serviu o nosso clube. E porquê?

Porque nenhum deles foi apanhado por beneficiar o Benfica, antes pelo contrário. Simples.

João Vale e Azevedo preso é uma consolação para todos os benfiquistas. O pessoal do Campo Grande é que devia criar um evento de apoio a ele no facebook, como só eles sabem criar, por se tratar da pessoa que esteve mais perto de concretizar o maior sonho colectivo da existência do Sporting: acabar com o Benfica!

Um sonho, aliás, bem denunciado pelo Presidente mais carismático e lembrado do Sporting. Recordemos:

Em entrevista ao Record, João Rocha, ex-presidente do Sporting, denunciou um acordo obscuro entre José Roquette e Pinto da Costa, que tinha como objectivo afastar o Benfica dos primeiros lugares... Vozes leoninas discordaram e as pessoas sérias do clube de Alvalade ficaram indignadas...

Eis uma parte da entrevista de João Pedro Abecassis

RECORD – Lembro-me que durante o mandato de José Roquette,você se revoltou com acordos que nunca ficaram esclarecidos, nomeadamente entre o Sporting e o FC Porto. Quer revelar pormenores em relação a isso?

JOÃO ROCHA – Havia um projecto com o FC Porto que era muito prejudicial para o Sporting. Era mesmo inqualificável. Insurgi-me num Conselho Leonino e numa assembleia geral. Era um projecto gravíssimo que só podia sair da cabeça de um indivíduo sem responsabilidades. José Roquette dizia que era um projecto válido, porque era a única maneira de Sporting e FC Porto estarem sempre representados na Liga dos Campeões.

 

Nunca tivemos nenhum Presidente cujo sonho seria acabar com o Sporting. É a diferença. Sobre Vale e Azevedo resta acrescentar que tem a sua figura presente na galeria de honra dos presidentes do nosso clube. O clube, que segundo os diferenciados verdes, tinha problemas em manter Jesus na sua história.

 

Falemos agora de Damásio. Este foi o Presidente que começou o declínio do Benfica a meio dos anos 90. Aquela fase que fez todos os sportinguistas felizes com resultados que ainda hoje exultam. Pessoalmente, foi o homem que acabou com o sonho de ver o meu ídolo Klinsmann jogar no nosso clube. A seguir a Vale e Azevedo, deve ser o Presidente mais detestado pela maioria da nação benfiquista. Foi preso por ter cometido crimes a favor do Benfica?
Claro que não! Foi apanhado em negociatas com José Veiga. Chegamos assim ao ex-funcionário do Benfica que despoletou toda esta tentação de associar o nome do Benfica a criminosos.

 

Este caso em que Veiga e Damásio são acusados tem tanta relação com o Benfica como o Bryan Ruiz tem com o golo, zero!

Mas vale a pena ir mais atrás. Se Veiga é vigarista não será só pela sua existência no ano de 2004/05. É que foi ele que entrou no Sporting com um tal de João Vieira Pinto para que o clube conseguisse um dos seus 18 campeonatos. Mas talvez isto já não dê muito jeito recuperar.

O mais irónico é que nesta operação Rota do Atlântico apareceu mais uma cara bem conhecida do nosso futebol. Pedro Sousa foi noticiado como comentador da TVi mas podia ter sido apresentado, ao nível de Damásio e Veiga, pelo seu passado: ex Director de Comunicação da SAD do Sporting. Pronto, também há ex funcionários verdes no caso que tanto tem dado que falar e ninguém chateia o clube com isto. E bem.

 

Já vi dirigentes acusados de crimes desportivos a serem condenados e com o seu clube até a perder pontos sem que ninguém contestasse.

Aliás, quando começarem a fazer considerações sobre controles de arbitragem, corrupção, subornos e afins, lembrem-se, porque ainda está fresquinho, que a única pessoa que está a ser julgada por isso mesmo é um ex-vice presidente do Sporting, que agiu no exercício dessas funções. A sentença é lida dia 22 de Abril. Apareçam. A sessão é pública.

Até lá leiam a notícia que ilustra este post. Não eram jantares, eram máquinas fotográficas. Antes de haver facebook.

 

Desde 1973 a Viver Esta Lenda Começada em 1904

551004123.jpg

 São 112 anos de história. Entrei nela em 1973 mas só em 1984 oficializei a ligação tornando-me sócio porque já não dava para entrar na Luz como menor acompanhado por um adulto.

O Benfica que me foi dado a conhecer está simbolizado na camisola desta fotografia. Era o Benfica do Bento e do Humberto, destes bigodes, do Jorge Gomes como primeiro estrangeiro da equipa de futebol, das luvas pretas do Alves das conquistas nacionais e das provas europeias.

A foto deste jogo é de uma eliminatória que me marcou por vários motivos. Por compreender a regra dos golos fora, por achar engraçado o nome do adversário, por ter gostado do equipamento deles na Luz e por termos seguido em frente.

Foi nos 1/4 de final da Taça das Taças 1980/81 contra o Fortuna Düsseldorf na RFA.

Hoje a mesma paixão de sempre.