Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Tetra Campeões

Red Pass

Tetra Campeões

Ui... Temos Maldição de Halloween

FullSizeRender.jpg

 Para terminar a semana em beleza o jornal A Bola descobriu que o Benfica tem uma terrível maldição de Halloween. Pois é, meus amigos, sempre que jogamos a 31 de Outubro, como hoje, há grandes probabilidades de a coisa correr mal. É o que diz a tradição. Para verem bem a gravidade, a última vez que o Benfica venceu um jogo a 31 de Outubro foi em 1996 com Paulo Autuori no banco na 2ª mão da 2ª eliminatória da Taça das Taças contra o Lokomotiv de Moscovo!

 

E agora perguntam vocês: mas, afinal, em 110 anos de vida quantas vezes jogou o Benfica neste dia? 100? 50? 25? Foram 14.

E desde 1996 quanto jogos mais se fizeram nesta data? 10? 5? Foram 3.

Ah, grande tradição! Sendo que em 1996, na tal última vitória neste fatídico dia em Portugal ninguém ligava nenhuma ao Halloween que por si só é um tradição tão enraizada entre nós como problemática para o Benfica.

Andam todos mortinhos. Para não sair do espírito do Halloween.

Derby: The Toilet na Imprensa Inglesa

IMG_2550.PNG

A excelente Sport, revista semanal inglesa que pode ser assinada de borla na loja do iTunes, faz hoje um levantamento daqueles que considera serem os 20 derbys mais significativos do mundo. Isto a propósito do Manchester City - Manchester United que se joga no próximo domingo às 13:30 e que pode ser visto na Benfica TV.

Estão lá os duelos de Roma, Moscovo, Santiago do Chile, Glasgow, Liverpool, Montevideo, Milão ou Rio de Janeiro, por exemplo.

Em 9º lugar está o derby de Lisboa! Como se vê na página que reproduzo acima, o Benfica - Sporting de Lisboa, como lhe chamam, está ao nível de um Everton-Liverpool e Fenerbahce - Galatasaray. Interessante.

Agora vejamos mais de perto o que o Sport diz sobre o grande jogo da capital portuguesa:

FullSizeRender.jpg

 (foto de Patrícia De Melo Moreira / AFP/Getty Images)

 

 

The Toilet.

É isto.

Aguardo comunicado.

Ainda Não Tínhamos Percebido

jja.jpg

Sim senhor, belo massacre ao treinador do Benfica desde domingo. Há outros clubes que nada ganharam na última época, que mudaram de treinador, que compraram novos craques e que nem por isso venceram todos os jogos desta temporada. Alguns até já saltaram da Taça de Portugal. Mas a pressão é isto.

Ganhem lá ao Rio Ave e ao Mónaco que isto já chateia.

 

Os Meus Avós "Unidos" Por Cádiz

digitalizar0002.jpg

 A mais valia de ter um blogue pessoal dedicado a um tema especifico é a oportunidade de partilhar histórias que só se contaram na esfera de amigos ou de familiares e por aqui chegar a muitos mais que partilham a mesma paixão por um clube. Acredito que todos nós temos as nossas memórias que marcaram o começo da nossa ligação com o emblema que adoramos. É dos exercícios mais gratificantes contarmos como cresceu em nós o fascínio pelo clube, isto será transversal a todos os adeptos de futebol. É por isso que um dos autores que mais admiro é o Nick Hornby, sem o Fever Pitch nunca teria tido vontade de escrever sobre futebol e o Benfica.

 

Isto vem a propósito de algo muito pessoal que tenho vivido nas últimas semanas e como de costume leva-me ao Benfica. Resumindo a situação, a mãe da minha mãe caiu e partiu o fémur. Está hospitalizada e esperou mais de uma semana por uma operação que aconteceu anteontem. Aparentemente correu tudo bem. Durante esses dias de espera fui visitá-la para lhe dar ânimo. É incrível como aos 92 anos se pode ter ainda tanta memória e vontade de conversar, ela tem apesar da debilidade física.

Eu cresci a ouvir que não devia falar da minha avó à frente do meu avô e vice-versa. Quando nasci já eles eram divorciados e seguiram as suas vidas incompatibilizados, por isso nunca vi os pais da minha mãe juntos. Não era muito normal ter avós separados, vi aquilo como um sinal de modernidade da família. Mas o tema era mesmo delicado, eu a minha irmã, os meus primos, todos crescemos a aprender que não se falava de um à frente do outro e na verdade isso nunca foi problema, acatámos com naturalidade.

 

O meu avô, a minha referência benfiquista em termos de memórias e histórias contadas de tempos que não vivi, cedo percebeu que o melhor desbloqueador de conversa com o neto era falar de bola em geral e do Benfica em particular. Vivia eu dias de encanto com o Benfica do jovem Sven-Göran Eriksson e já o meu avô apontava ali erros e defeitos porque a sua bagagem era "só" o Benfica Bi-Campeão europeu! Eu ficava irritado quando ele apontava defeitos ao treinador ou a Filipovic mas depois pensava que nem vinte anos antes ele andou a festejar conquistas de taças europeias e calava-me. É , aliás, o que mais me faz confusão nos dias de hoje em que uma boa parte dos benfiquistas critica treinador e jogadores como se há 20 anos também tivessem festejado conquistas europeias. Mas adiante.

 

Pág. 1/9