Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Rumo ao Tetra

Red Pass

Rumo ao Tetra

Vamos Lá Falar Outra Vez do Campeonato

 

Ao fim de 90' de campeonato vim aqui explicar que desistia de escrever crónicas dos jogos do Benfica esta temporada. Argumentei calma e ponderadamente que não valia a pena estar aqui a maçar-vos semana após semana batendo nas mesmas teclas. Ao contrário do que possam ter pensado não foi um desabafo de ocasião nem nenhuma precipitação.

Antes de começar o campeonato a minha desilusão trazida de Maio não só não tinha passado como ainda aumentou. A maneira como a Direcção reagiu aquela tragédia em três actos foi assustadora de tão grosseira!

 

Basicamente, o que sinto é que no dia a seguir ao Jamor perdeu-se uma oportunidade histórica de arrumar o clube por dentro e por fora.

Por dentro deixando partir Jorge Jesus. Não por ser mau treinador, até acho que foi um dos melhores que passou por cá, mas apenas e só porque acabou o ciclo dele de maneira cruel e fria. Esteve perto de vencer o campeonato algumas vezes mas só o ganhou uma, fez excelentes carreiras europeias mas mostrou que nunca iria consumar uma vitória final nas provas da UEFA, e aqui até me refiro mais ao desastre de Braga do que à infelicidade final de Amesterdão. Venceu, e muito bem, Taças da Liga que , ao contrário do que se quer fazer pensar, são importantes de ganhar mas borrou a pintura toda no historial da Taça de Portugal. Após aquele jogo com o Vitória no Jamor, Jorge Jesus não tinha, nem tem, mais nada para nos dar. Tinha de ir à sua vida e nós tínhamos que aprender a lidar com isso.

Ainda por dentro, Cardozo tinha de ter saído. Saía Jesus, saía Cardozo e também saía Carlos Martins, por exemplo. Para se cortar o mal pela raíz até devíamos ter promovido a venda de Artur que arrasta consigo para sempre fantasmas dos momentos negros da época passada.

Optou-se por manter tudo! Até Carlos Martins.

 

Não houve vontade nem coragem de começar um novo ciclo, de procurar novos métodos. Era importante ter entrado uma nova equipa técnica mas com uma direcção forte na secção de futebol. Aproveitava-se para informar os sócios que o departamento de futebol tinha um líder e uma equipa em vez de termos algo que ninguém entende bem o que é e como funciona. A ideia que tenho do futebol do Benfica é que Jorge Jesus faz o que quer e bem lhe apetece, às vezes Vieira coloca um travão e acena com Rui Costa que ninguém percebe o que faz ali ao certo. Nem Vieira sabe explicar a cada entrevista que dá, nem Rui Costa deve saber direito o que anda ali a fazer no meio do líder Jesus e do Presidente Vieira. Por exemplo, onde anda Carraça? Saiu, ficou ? E o tal "novo" Director Desportivo ?

Enfim, está tudo como dantes, é Jesus a mandar e Veira a rezar para que a coisa corra bem.

 

O problema é que no futebol assim como não há grande ciência oculta e todos percebem um pouco do jogo também não há milagres! O ciclo esgotou-se mesmo. As vantagens de termos mantido Jesus este tempo todo esfumaram-se. E eram boas e relevantes. Jesus criou um hábito sagrado que nós já tínhamos esquecido e alguns nem sabiam como era... Falo dos jogos na Luz. Com Jesus em casa o Benfica passou a vencer quase sempre. Esta temporada não perdemos pontos com o Gil Vicente por ... milagre ( afinal há milagres no futebol mas são raros ) e agora esbarrámos num Belenenses regressado ao seu lugar e cheio de dores de crescimento que chega à Luz em choque com a perda do seu treinador. Jogámos zero.

 

Na primeira volta não conseguimos ganhar a nenhum dos vizinhos!

Após a vitória europeia e o suado triunfo em Guimarães tudo indicava que estávamos a começar um daqueles ciclos fortes de Jesus mas a tentação do treinador em fazer as coisas à sua maneira levou-o a ressuscitar Cortez! Não me venham com a conversa da rotação que para isso também tinha tirado Maxi Pereira e até Fejsa que tal como Siqueira não fez pré época connosco. E rotação ao 5º jogo de campeonato sem ter consolidado ainda um "11" ?!

 

Enfim, não quero estar aqui a culpar o pobre brasileiro, não é disso que se trata, o que interessa é que é mais um prova que o ciclo JJ terminou. Correu tudo mal e perderam-se pontos com uma das equipas menos fortes (nesta altura, entenda-se) da Liga.

Se os 2 pontos perdidos em Alvalade até se compreendiam nas contas finais, a derrota na Madeira e este empate caseiro dissipa todo o tipo de dúvida quanto ao êxito no fim da época. Lá está, há milagres mas só pontuais.

 

Por outro lado a Direcção do Benfica não consegue perceber o nosso campeonato. Não entende mesmo. Pior que isso, acha que domina todas as componentes da competição mas não percebe nada.

Esta tem sido a época em que a vergonha desapareceu de todo no que diz respeito a ganhar à força. O Benfica perde pontos quando joga mal. Justo.

O problema é que o Campeão está a revalidar o título da maneira que todos sabemos. Quando joga mal é criticado pela imprensa, é assobiado pelos próprios adeptos mas ... ganha! É um pormenorzinho que muda tudo. A maneira como deram a volta no Bonfim ou o modo como chegaram à vitória neste último jogo deixa tudo à mostra. Só não vê quem não quiser. Temos que viver com isto.

 

O nosso gigantesco problema , eu diria existencial, é saber que nem jogando no máximo das nossas forças, nem com os melhores e mais caros plantéis de sempre, nem com o melhor futebol que temos visto vamos conseguir ficar à frente do rival. Está mostrado, está provado. Basta um deslize nosso e morremos. O segredo disto é que quando eles deslizam já vão confortáveis ou então quando estão para deslizar algo os agarra e os mantém no rumo.

 

E nós o que fazemos ?

Bem, nós atacamos forte e feio nos comunicados. Uma modalidade recente muito querida pela nossa Direcção. Pessoal que adora escrever e ver a sua prosa divulgada pelo país enche-se de orgulho e ironias e goleia nos comunicados. Quase sempre sem resultados. Para quê? Na semana a seguir ainda é pior como se viu.

Ou então critica-se meios de comunicação. Há poucos meses o Benfica atirou-se forte e feio ao Correio da Manhã que tinha jornalistas que fumavam substâncias ilícitas. Espectáculo.
E depois? Ah, depois o nosso Presidente tem toda a honra em dar uma entrevista no canal de televisão desse jornal. Além disso esse canal passa a fazer cobertura do arranque dos nossos jogos. Uma coerência intrigante.

 

Não há rumo absolutamente nenhum no jogo de bastidores do campeonato. Calam-se quando deviam falar, falam quando deviam estar calados, atacam quem depois os recebe em casa. Não consigo entender a estratégia.

Mas entendo bem os resultados. Estão à vista.

 

O Presidente diz que estamos muito perto de ganhar, o treinador revela que a hegemonia será nossa e os sócios o que dizem? Aqui vamos ficar só mesmo pelos sócios para não ferir susceptibilidades, ok?

Os sócios viraram costas ao clube e ao futebol mas ninguém quer ver isso. Nem a Direcção que se esforça por esconder números nem os mais acomodados que desculpam a falta de militância no estádio, nos pavilhões e nas Assembleias Gerais com a crise financeira, a meteorologia e sabe-se lá mais o quê..

Acho que agora não dá mais para disfarçar nem tornar isto numa questão pessoal.

A equipa de futebol tem cerca de 30 mil pessoas a ir ao estádio, nas modalidades nem mil aparecem, nas Assembleias Gerais estão cerca de 500 no máximo. O mais deprimente deste estado foi ver a Luz em noite de Champions League com menos de metade das cadeiras ocupadas. Único estádio europeu nessa noite europeia que não encheu. Triste.

Mas isto explica-se.

 

Quantos Red Pass vendeu o clube esta temporada? Cerca de 20.000. Assim fica fácil ler-se os 30.000 que aparecem na Luz. 2/3 são cativos , 1/3 ocasional.  Não é preocupante ? A mim parece-me ser a falência de um projecto. Se o Estádio foi pensado para 60.000 pessoas acho que estamos bem abaixo das expectativas.

Só que o panorama é desolador. Os sócios estão fartos de Jesus , de Cardozo e , acima de tudo, de perceberem que isto nunca vai ter um final feliz. Já deram o seu contributo para alguns momentos bons mas o que os benfiquistas querem é títulos. E isso foi-se.

 

O mais preocupante de tudo isto é perceber que a mensagem oficial esta temporada é: a prioridade é o campeonato!

Bem, se isto é a prioridade nem quero ver o que está para vir nas Taças!
A Champions League acaba na Luz mas queremos é ganhar o campeonato.

A mim parece-me o contrário, o arranque do campeonato foi um desastre e a estreia na Champions foi positiva. Se calhar é apontar baterias à Europa. Aproveite-se o melhor plantel de sempre para brilhar na Europa.

É que no campeonato o melhor é começarem a pensar em trabalhar para a entrada directa na Champions da próxima temporada. Ganhar o campeonato português é uma missão absolutamente impossível mesmo que não estivéssemos em fim de ciclo e com esta postura moribunda. O título continua entregue, pensem no resto e parem com comunicados e prioridades.

Foram comidos outra vez em tudo.

E puseram-se bem a jeito para isso, diga-se de passagem. Quem não arruma a casa no verão nunca será campeão. O que se fez foi desarrumar mais e criar um caos aparentemente controlado. Deu asneira.
Volto repetir, vejam lá é se dá para o 2º lugar.

 

É uma dor interna e silenciosa não sentir a menor vontade em ir para a Luz em dia de jogo chegando lá em cima da hora do jogo e sair de lá arrastando os pés. É uma tristeza não ter voltado a vibrar com um golo do Benfica desde aquela noite com os turcos na Luz. É triste não ter a menor vontade de ir ver a equipa a lado nenhum. É que cada vez gosto mais de futebol e o Benfica teima em afastar-se dessa paixão.

 



João Pinto Ganha o Livro Noites Europeias

Tem nome de craque e facturou. O vencedor chama-se João Pinto e acertou nas seis respostas às  15:01:

1 - 200 contos

2 - José Carlos Bauer

3 - Benfica 2 - 1 Bordeaux, Final da Taça Latina de 1950

4 - Steaua Bucareste e Anderlecht

5 - Bernd Schuster

6 - Eusébio, Nené e José Augusto

 

Parabéns!

Obrigado a todos que participaram nesta iniciativa.

Passatempo "Noites Europeias"

- Respondam no espaço dos comentários.
- Ganha um livro "Noites Europeias" o primeiro a acertar correctamente em todas as questões.
- Deixem o vosso e-mail após as respostas para serem contactados em caso de vencerem o passatempo.
Boa sorte.

 

Quanto pediu Bella Guttman à direcção do SL Benfica antes de assinar o contrato em 1960 como prémio por conquistar a Taça dos Campeões Europeus?

 

Qual era o nome do ex-internacional brasileiro que recomendou a Bella Guttman a contratação de um jovem jogador moçambicano de nome Eusébio?

Qual a final europeia - em que o SL Benfica participou - mais longa da história das Noites Europeias?

Para alcançar a final de 1988 da Taça dos Campeões Europeus, o Benfica eliminou duas equipas vencedoras de competições europeias. Quem?

Que futebolista, campeão europeu de selecções e nomeado por três vezes para o pódio do Ballon D´Or, marcou presença no histórico duelo entre o SL Benfica e o Bayer Leverkusen que terminou com um épico 4-4?


Quais são os três jogadores portugueses que passaram pelo Benfica com mais golos nas provas europeias da UEFA?

Inquérito - Frequentadores de Estádios de Futebol

 

Este inquérito é parte integrante da minha dissertação de mestrado em Engenharia Civil com o tema "Aplicação de ferramentas do Facility Management à gestão de recintos desportivos".

É destinado a todos que frequentam estádios de futebol de uma forma regular, ou não, pretendendo
 aferir a percepção que os utilizadores de um estádio têm relativamente a alguns serviços existentes e que procedam a uma avaliação do mesmo. 


Peço a todos os leitores que colaborem neste interessante inquérito do benfiquista Diogo Dores. Obrigado

No Reinado de Csernai

 

O jornal A Bola de hoje vale todos os cêntimos pelas suas páginas 20 e 21 onde se contam histórias que aconteceram no reinado de Csernai no Benfica. Mais ou menos conhecidas pelo pessoal da minha geração ( cotas à volta dos 40 ) são episódios que espelham uma época do Benfica. Para quem não conhece é uma boa oportunidade para perceber o passado menos recente do clube.

Para mim é divertido ler agora com tanta distância mas não deixa de causar um arrepio na espinha ler o nome de Pal Csernai e Benfica na mesma frase.