Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Rumo ao Tetra

Red Pass

Rumo ao Tetra

Paços de Ferreira 1 - 2 Benfica

 

Grande vitória, grande resposta, grande reacção do Benfica na 4ª visita à Mata Real de Jesus como nosso treinador a conseguir a 4ª vitória!

O pré jogo foi complicado. O empate em Coimbra fez mossa, na véspera a Assembleia Geral serviu para mostrar o descontentamento de uma maioria farta de desculpas para a perda de pontos no campeonato, o jogo começa logo com um daqueles apagões estranhos, 10 minutos depois quando recomeça a partida o Paços faz e fica em vantagem. Um cenário demasiado negro a tirar do sério até o mais optimista dos adeptos.

 

A resposta da equipa foi de valor e reuniram forças e vontade para nos mostrarem que conseguem viver com as adversidades procurando dar a volta à situação. Aqui é da mais elementar justiça destacar a estreia de Lima a titular com dois golos que provam que a conversa de adaptação a um grande clube, a pressão e a exigência dos adeptos, realmente é só para quem não é mesmo bom jogador. Cardozo deve estar preocupado com o que viu pela televisão.

Curiosamente foi também em Braga que resolvemos de vez o nosso problema na baliza, quero elogiar Artur que continua a ser determinante das poucas vezes que é chamado a intervir. O facto de já não ser novidade na equipa até nos faz esquecer que há pouco mais de um ano a nossa baliza não tinha um guarda redes à altura da nossa história. O Artur está a esse nível.

 

Em Paços de Ferreira a raça da equipa superou as lacunas de adaptações e as incógnitas que são Enzo no meio ou Melgarejo na esquerda. E Ainda bem. O argentino até acabou por ser peça fundamental ao desdobrar-se em funções em posições mais recuadas que a inicial. Pena ter finalizado tão mal o lance em que se isolou e que lhe podia valer uma moralização extra para os próximos tempos. Outro destaque muito importante para Maxi. Voltou às grandes exibições e o 2º golo devemos agradecer a ele o facto de ter inventado uma recuperação de bola em plena área do Paços transformada em assistência para golo. Só foi possível devido à sua entrega incrível ao jogo e à equipa. Foi o momento que melhor simbolizou o jogo o 5º jogo no campeonato.

 

Vitória suada num campo muito difícil, sendo que o mais importante foi sentir que podemos contar com a equipa para , pelo menos, lutarmos por cada vitória. E isso nos tempos que correm já não é coisa pouca. Finalmente, um fim de semana sossegado.

Agora contra o Barcelona, divirtam-se!

Académica 2 - 2 Benfica

 

Durante o fim de semana o Presidente veio explicar que temos de vender mais, comprar menos e aproveitar mais a formação mesmo que tenhamos que baixar a qualidade ao nível da competição. Pareceu-me que foi uma tentativa de explicar que antes do campeonato parar tínhamos um núcleo central no "11" que hoje já não temos, como que a preparar o pessoal para o que aí vinha.

Na parte do comprar menos pareceu-me ouvir o Ola John a rir, entre outros.

 

No entanto, eu penso que o mais importante anda a escapar ao Presidente. Isso de vender mais ou menos é tudo muito verdade, a crise está aí e tal. Mas o que eu gostava de ouvir era o Presidente dizer que ia fazer tudo para terminar de vez com o jogo viciado que é este nosso campeonato desde meados dos anos 90. O problema é que ao fim de 10 anos de presidência sinto que o maior de todos os problemas do Benfica não é o  "11" em campo. Há a idiotice do Luisão, há as saídas a frio de Javi e Witsel mas nada nos diz que mesmo com esses três em campo hoje somávamos 3 pontos em Coimbra. Isto porque o problema principal mantém-se inalterável. Uns dias depois de um auxiliar de Proença gozar connosco ao confessar que errou no golo do Porto na Luz no último campeonato, aparece um Xistra igual a si próprio a gozar com isto tudo.

Depois de ter visto o Presidente apoiar um homem que hoje dirige a Federação já não tenho esperança nenhuma que o meu clube consiga mudar este triste panorama.

 

De maneira que temos de jogar com o que temos. Isto significa que temos de marcar golos quando temos a bola ali a jeito, falhar três golos nos primeiros 10/20  minutos é o mesmo que dizer: oh Xistra, aqui estamos nós a jeito para mais um caldinho.

 

E assim num ápice passámos de uma possível vantagem confortável para uma situação de derrota correndo sempre atrás da esperança de dar a volta ao jogo. É triste mas é assim.

 

Hoje já com a equipa transformada na versão "Benfica de cara bem levantada" mostrámos e criámos oportunidades suficientes para ganhar o jogo mas continuamos a desprezar o factor X. Tal como aconteceu na última visita a Coimbra horas depois do jogo terminar apenas ouvimos o treinador denunciar o costume. A Direcção deve estar à espera do final de época para se desdobrar em entrevistas a chorar mais do mesmo. 

 

Voltamos à incrível teoria de que para se ganhar um campeonato por cá temos de jogar muito mais do que o suficiente para ganhar. Claro que para isso acontecer tínhamos que contar com um planeamento de época sério, um plantel equilibrado, e andar livres de castigos idiotas. Como sabemos, infelizmente, isto não tem acontecido connosco por isso a outra alternativa era ter posto na ordem os corruptos que continuam a inclinar os campos de futebol.

 

Lamentavelmente não podemos contar com nenhuma destas situações por isso o sofrimento continua ao ver o mesmo filme vezes e vezes sem conta. Lá se foram 2 pontos, já temos que olhar para cima para o rival e está lançada a história do costume. As forças externas são as mesmas de sempre, os erros internos repetem-se dramaticamente e quando Maxi tem uma noite má, quando Aimar continua fora de forma, quando Cardozo não marca mais, quando Rodrigo não resolve, ter um Lima vindo do banco para um golo de estreia épica não chega para vencer.

 

Celtic 0 - 0 Benfica

 

Há o eterno optimista que, escreva eu o que escrever, vai chegar aos comentários e explicar que estamos fartos de perder neste estádio e portanto somar um ponto já foi muito bom e como o Barcelona venceu estamos lançados no apuramento.

 

Há o eterno pessimista que, escreva eu o que escrever, vai chegar aos comentários e explicar que o Celtic tem uma equipa tão fraquinha que vencer só por 0-1 até lhe ia saber a pouco, perdendo-se assim uma oportunidade histórica de marcarmos em Glasgow e vencermos no Parkhead.

 

Ambos têm as suas razões. Não quero parecer nem pessimista derrotado nem optimista tolo. Mas não vou esconder que sinto uma enorme desilusão e revolta por ver que também no futebol a minha equipa está como o meu ordenado; andou uns sete anos para trás! É verdade que ainda recebo e podia ser pior mas há pouco tempo o meu objectivo era ganhar mais e evoluir, não era receber menos e sentir a espada em cima da cabeça.

 

No Benfica até há poucos dias tínhamos um "4" a líder da defesa, um "6" indiscutível no meio campo e um "8" mais à frente que era um achado. Não tínhamos defesa esquerdo porque deve ser uma promessa desta Direcção ( o Coentrão e o Léo foram as excepções ) ter de jogar sem um verdadeiro e simples defesa esquerdo. Hoje também não tínhamos o único defesa direito do nosso plantel porque estava castigado. Posto isto, o Benfica que entrou em campo para inaugurar a Champions League 2012/13 era uma manta de remendos que fazia lembrar o Benfica que fechou a Champions League 2011/12 em Londres. Mas desta vez para (ainda) pior.

Aliás, é muito curioso compararmos os remendos de Abril em Londres, com Javi e Emerson a centrais, poe exemplo, e a defesa de hoje com André Almeida, Jardel, Melgarejo e Garay. Matic repetiu a presença e Enzo fez de Witsel. Dá o que pensar ver tanta "invenção" uns meses depois já numa nova época.

 

A minha frustração é por sentir que com o Benfica que me apresentaram em Agosto, isto é com Luisão, Javi e Witsel ( o Maxi não é para aqui chamado porque já sabíamos do seu castigo ) o resultado desta noite teria de ser qualquer coisa parecida com o que vi no Bonfim porque este Celtic . . .

 

Nem me vou pôr para aqui a dizer que o puto André cumpriu, que o Enzo aguentou a posição ou que o Jardel portou-se bem ao lado do Garay. Não vale a pena fazê-lo porque eu não quero o puto André a jogar naquele lugar. Se é para lançar ali um puto então chamem o João Cancelo. Parem com esta bestialidade de adaptações em barda, por favor! O Jardel jogou no lugar do capitão Luisão que se eclipsou deste arranque de temporada num dos episódios mais caricatos e tristes que já vi numa pré época do meu clube. Nem vou falar mais disto, acho mau de mais, acho grave de mais para discutir isto. Só não entendo é porque há de receber ordenados nestes tempo de castigo que prejudica gravemente o clube que lhe paga.

 

Ver o Artur com pinta de quem está contente com o zero a zero em reposições de bola demoradas deu me a volta ao estômago. Será que só eu cá de fora estava a ver que era perfeitamente possível vencer ali? Mais arrojo, mais coragem, mais vontade e chegávamos lá. Mas sem um único remate à baliza digno desse nome, ou que acertasse entre os postes, é impossível.

 

Não é uma questão de pessimismo ou optimismo, é uma questão de realidade. Temos andado sempre tão perto de ter um "11" muita forte , parafraseando o nosso treinador, e parece que estamos condenados a ver essa sonhada perfeição desabar obrigando a remendar a equipa de maneira mais ou menos amadora e irresponsável por este ou aquele motivo.

 

O Benfica hoje não sai derrotado da Escócia mas quem está contente com isso só está a ignorar que tudo o que estamos a perder são oportunidades de ganhar mais e melhor. Como hoje devia ter acontecido na minha humilde opinião. Não ganhámos mas regressamos de cara bem levantada. A mim não me anima muito.

 

Tudo isto ainda se pode vir a compor a nível interno (até já vi o Benfica vencer 18 jogos seguidos com um Roberto na baliza) porque a qualidade do nosso campeonato é baixinha mas eu continuo a não acreditar em milagres e vejo o nosso rival bem mais estabilizado do que nós para a luta que se adivinha a dois.

 

Soube a pouco mas espero que este seja um dos pontos que nos dará passagem aos 1/8 de final.

Pág. 1/3