Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Red Pass

Rumo ao Tetra

Red Pass

Rumo ao Tetra

As Referências no LOL de Portugal

 

De maneira que chegámos ao ponto dos desgraçados que aterram aos magotes no Campo Grande terem como grande referência atletas que brilharam no Sport Lisboa e Benfica.

Um tal de Turan entra a matar no habitual 4º classificado do nosso campeonato: «Coentrão é uma referência»

 

Quase que bate a inesquecível apresentação do grande Ricardo (que tantas alegrias nos deu) que a primeira coisa que fez foi agradecer ao senhor João Malheiro tudo o que tinha feito para ele ir para o Benfica!

O LOL está não pára.

 

Benfica 2 - 0 Trabzonspor

 

Felizmente que cerca de 40 mil adeptos resistiram a mais um verão à volta do Benfica onde o drama de um futuro negro foi o pão nosso de cada dia. Felizmente que estes milhares de adeptos perceberam a importância deste jogo e que deixaram de lado os assobios ao Luisão e ao Cardozo, a pressão ao Artur, os insultos ao Gaitán, a exigência a Ruben Amorim e por aí fora. É que até ao primeiro jogo oficial da equipa montou-se um autêntico circo à volta da vida do clube onde todos batem, lamentam e adivinham uma espécie de holocausto. É correr alguma blogosfera benfiquista, é ler as manchetes dos diários desportivos é ouvir alguns génios comentadores do nosso futebol e percebe-se que as vendas e dispensas foram trágicas, as compras catastróficas e os que ficaram ou querem ir embora ou querem melhores salários.

Ou seja, estava tudo mal para a nação benfiquista. Menos para quase 40 mil que se deram ao trabalho de ir à Luz ajudar o Benfica a conseguir um resultado decente nesta 3ª pré-eliminatória da Champions.

 

 

Tanta polémica na baliza do Benfica e afinal apresentamos um Nº1 que cumpriu muito bem o seu papel ( e no banco está o titular da Selecção portuguesa, nada mal hã? ) dando garantias entre os postes e fora deles.

À frente de Artur há Garay que facilmente entrou e se impôs na equipa e que será sem dúvida um dos melhores centrais a jogar em Portugal esta época. Uma contratação muito valiosa que o ruído à volta da venda de Coentrão insistiu em desvalorizar. Acho que não dúvidas quanto ao valor do argentino, certo?

 

Ao lado de Garay apresentou-se Luisão. O capitão está com vontade de mudar de ares se aparecer mesmo uma proposta boa para ele e para o clube. Está a ser tão sincero quanto bom profissional dentro de campo. Chegou, treinou e exibiu-se a alto nível e quando assim é vamos assobiar quem está a jogar a este nível ajudando o Benfica a atingir os seus objectivos? Hoje Luisão esteve impecável.

Nas alas tivemos Ruben Amorim no lado direito a dar tudo enquanto teve forças e um surpreendente Emerson que agarrou o lugar jogando muito certinho a defender e procurando subir pela certa na esquerda. Reforço acertado e muito útil que está à altura de Capdevila.

A defesa não sofreu golos, espero que a imprensa destaque tanto este facto como andou preocupada em dizer que a equipa sofria golos desde não sei quando.

 

Do meio campo para a frente poucas novidades, só Enzo Perez se estreou o que não deixa de ser curioso depois de tantas criticas ao número elevado de contratações. Na hora certa grande parte da equipa era a da época anterior.

Jorge Jesus apostou pelo seguro mas a equipa na primeira parte parecia presa de movimentos e não conseguia criar grandes lances de perigo. Era preciso agitar e para isso era preciso arriscar lançar sangue novo. Entrou Nolito, o tal que fui "buscar" a Barcelona em Abril, e o futebol atacante mudou para muito melhor. Velocidade, improviso, técnica e adaptação rápida à equipa fez com que Nolito fosse mesmo o homem da noite marcando um belo golo e deixando outras acções importantes em campo. Já com Witsel e Super Máxi em campo a equipa finalmente desprendeu-se e chegou a entusiasmar tendo como ponto alto o golaço de Gaitán, o tal que andaria chateado por não ser aumentado...

 

O Trabzonspor não é má equipa , o nome engana, e como se tinha visto no valioso relatório elaborado por Rui Malheiro sabem jogar com a bola nos pés e vai ser preciso muita atenção e concentração nos primeiros minutos na Turquia.

Como isto não foi um jogo de exibição , coisa que muito boa gente parece não ter percebido, foi um jogo a contar para a qualificação da prova mais importante do mundo a nível de clubes temos que avaliar o resultado final e pedir mais que um 2-0 seria exigir de mais a uma equipa em construção com semanas de trabalho e muito ruído perturbador à volta.

 

Há um ano entrámos na época oficial a perder 0-2 com exibição fraca e depois tarde nos endireitámos. Esta época começamos a vencer por 2-0 com uma exibição na 2ª parte bem aceitável e espero que nos embale para um arranque bem positivo.

 

Agora entretenham-se lá a ir vender mais meia equipa, a contratar mais 10 jogadores, a denunciar mais jogadores insatisfeitos com salários, mais jogadores fartos do treinador e por aí fora. Eu por mim fiquei satisfeito com esta exibião e , principalmente, com este resultado. Aposto que Nolito vai ser uma das figuras da temporada, assim como Witsel, Garay ou Emerson.

Já nem digo nada à malta que sai do estádio ao minuto 80'... Ainda bem que há resumos para verem o que perderam outra vez.

Começou a época 2011/12 e começou bem apesar das nuvens negras. Agora deixem-se de tretas e vão lá comprar o Red Pass.

Trabzonspor: o relatório , por Rui Malheiro

Espero que o relatório que a equipa técnica do Benfica tenha em mãos seja, pelo menos, tão completo e detalhado como este que o Rui Malheiro publicou no seu Futebol Mundial:

 

Trabzonspor: o adversário do Benfica na 3ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões
foto © esatdergi.com


Vice-campeão turco em 2010/11, o Trabzonspor terminou o exercício com apenas duas derrotas e os mesmos pontos do campeão Fenerbahçe, mas perdeu o título no saldo entre golos marcados e sofridos. Um desfecho amargo para uma temporada histórica da «Tempestade do Mar Negro», baseada numa tremenda segurança defensiva – apenas 23 golos sofridos em 34 jogos, 19 dos quais com «balizas virgens» – e na exploração da criatividade e velocidade de jogadores como Burak, Alanzinho ou Jajá Coelho, suportada pela qualidade dos médios Selçuk e Colman, a que se juntou a capacidade goleadora de Umut Bulut e Jajá Coelho.

O principal responsável pela época bem sucedida é o carismático Şenol Güneş, treinador que conduziu a Turquia ao 3º lugar no Mundial 2002 e uma das maiores referências da história do clube, fruto dos mais de 400 jogos e 6 títulos nacionais como guarda-redes, como também pelos 4 vice-campeonatos em 5 passagens como treinador. Mantém-se em funções para 2011/12, mas terá pela frente o enorme desafio de reconstruir um plantel desfeito durante o defeso, fruto das saídas de quatro unidades nucleares – o central Egemen Korkmaz, o médio centro Selcuk Inan, o falso avançado Jajá e o avançado centro Umut Bulut -, como também de jogadores frequentemente utilizados como Cale, Ceyhun e Yattara. Para isso, teve à sua disposição um orçamento para aquisições superior a 15 milhões de euros, o que lhe permitiu assegurar as contratações do versátil defesa checo Ondrej Celustka, do médio defensivo Didier Zokora, do médio criativo polaco Adrian Mierzejewski, e dos avançados Halil Altintop, internacional turco com carreira construída no futebol alemão, e Paulo Henrique, brasileiro que se destacou, em 2010/11, nos belgas do Westerlo, a que se juntaram ainda algumas promessas do futebol turco, como Baris Özbek, Aykut, Sercan ou Eren.

As indicações dadas durante o estágio de pré-temporada na Holanda foram positivas e mostraram uma equipa a ganhar consistência de jogo para jogo: em 5 particulares, diante de Uerdingen, Otelul Galati, Gent, Genk e Charleroi, o Trabzonspor somou 2 vitórias e 3 empates. Se é certo que o sector defensivo ainda não apresenta os índices revelados na temporada anterior, patenteando até algumas fragilidades, a equipa mostra já uma desenvoltura interessante em acções de ataque organizado e, principalmente, em ataque rápido, a grande arma dos «Bordo-Mavililer». Camaleão táctico, Şenol Güneş abdicou do 4x2x3x1 e 4x4x2 clássico, os modelos que mais utilizou em 2010/11, apostando, preferencialmente, num 4x3x3, desdobrável em 4x2x1x3, e num 4x4x2 losango. Há mais de uma semana a preparar os jogos com o Benfica, com a maior parte dos treinos a serem realizados à porta fechada, Güneş tem dado indicações que poderá apostar numa estratégia mais expectante e recuperar o 4x2x3x1 para o jogo do Estádio da Luz, ainda que a possível presença de Alanzinho e Burak no «onze» possa permitir a transformação, sem recorrer a substituições, num 4x4x2 losango.

Trabzonspor: 4x2x1x3

Trabzonspor: 4x4x2 losango

Trabzonspor: 4x2x3x1

 

- Com Onur Kıvrak, guarda-redes titular, lesionado, Tolga Zengin, capitão do Trabzonspor e habitual suplente, será o titular. Também ele teve problemas físicos durante a pré-temporada, o que fez com que apenas realizasse um dos cinco particulares: Bora Sevim, 3º guardião, foi o titular nos outros quatro jogos.

- Na defesa, ainda existem dúvidas sobre a utilização de Piotr Brozek, a contas, nos últimos dias, com alguns problemas físicos. O checo Ondřej Čelůstka, último reforço da equipa, deverá ser a alternativa caso Brozek não recupere, mesmo não se tratando de um lateral esquerdo de raíz. Ferhat Öztorun e Eren Albayrak, jogadores capazes de actuar como lateral ou ala, são as outras opções para o lugar. No centro da defesa, Giray Kaçar é indiscutível. Ao seu lado, deverá actuar Arkadiusz Głowacki, experiente internacional polaco, pouco utilizado na pré-temporada devido a lesão. Ganha a corrida a Mustafa Yumlu, o central mais utilizado nos jogos de preparação. À direita, Serkan Balcı, sub-capitão de equipa, deverá ser o titular, mas Şenol Güneş também tem testado o checo Čelůstka na posição.

- No meio-campo não existem grandes dúvidas: Didier Zokora, mais fixo, e o argentino Gustavo Colman, com maior amplitude de movimentos, deverão formar a dupla de médios centros, enquanto que o polaco Adrian Mierzejewski deverá assumir o papel de médio criativo, mesmo tendo realizado uma pré-época irregular. Nas alas, Burak Yılmaz deverá ser o titular à direita, enquanto que o imprevísivel Alanzinho poderá ser a surpresa à esquerda, ficando Halil Altintop, que ainda não está na sua melhor forma, no banco e pronto a ser lançado como «arma-secreta» na segunda parte. A presença de Burak, também capaz de actuar como segundo avançado, e de Alanzinho no «onze» permite a Şenol Güneş transformar, em caso de necessidade, o 4x2x3x1 em 4x4x2 losango sem recorrer a substituições. Aykut Akgün, Barış Ataş, também adaptável a lateral, e Sezer Badur são as outras opções para a zona central do terreno, enquanto que Sercan Kaya e Alanzinho podem desempenhar as funções de médio criativo. Para as alas, Mehmet Çakır é a principal alternativa para a direita, enquanto que Engin Baytar, Ferhat Öztorun e Eren Albayrak são as outras opções para o flanco esquerdo.

- O ataque deverá ser entregue a Paulo Henrique, avançado brasileiro que se adaptou bem ao estilo de jogo da equipa e apontou 2 golos durante a pré-temporada. O polaco Pawel Brozek surge como alternativa, ainda que, numa possível alteração para um esquema com 2 avançados, os versáteis Halil Altintop ou Burak Yılmaz sejam as principais opções de Şenol Güneş para actuar ao lado de Paulo Henrique, também ele capaz de jogar a partir de um dos flancos.

 


 

Chaves

1. Ataques Rápidos – São a principal arma ofensiva do Trabzonspor. Explorar a velocidade, mobilidade e capacidade de desmarcação de Paulo Henrique, Burak, Halil Altintop ou Alanzinho, a partir de passes longos desde a 1ª e 2ª fase de construção, normalmente realizados por Giray, Zokora, Colman ou Piotr Brozek, de acções de condução de Colman, mais em força, e Alanzinho, combinando velocidade e técnica, ou da capacidade de passe do polaco Adrian Mierzejewski, especialista a realizar passes de ruptura entre a 3ª e a 4ª fase de construção. Se é certo que os «Bordo-Mavililer»são mais perigosos a explorar as transições rápidas defesa-ataque, também é verdade que se mostram confortáveis a assumir a posse e circulação de bola, num futebol baseado em passes curtos e médios, mas perdem, muitas vezes, objectividade, apesar dos laterais se revelarem capazes de dar profundidade ao jogo ofensivo.

 

2. Consistência táctica – É uma das imagens de marcadas equipas de Şenol Güneş, o que ajuda a explicar o fantástico registo defensivo da temporada anterior. Com as transformações que a equipa sofreu, ao perder unidades nucleares do sector defensivo e intermediário, a manutenção dessa consistência será um dos grandes desafios do técnico, que, por isso mesmo, deverá apostar numa estratégia de maior contenção no Estádio da Luz. Se a aquisição de Zokora oferece ao meio-campo mais poder e disponibilidade física, como também mais agressividade e capacidade de recuperação, a pré-temporada mostrou deficiências no sector defensivo, onde será complicado suprir a perda do central Egemen Korkmaz.

 

3. Bolas Paradas – O Trabzonspor é uma equipa muito forte a explorar lances de bola parada. Colman (destro) e Mierzejewski (canhoto) são especialistas na execução de livres directos, livres laterais e pontapés de canto, o que os leva a repartir essa tarefa. Burak Yılmaz (destro) é outra opção para a execução de livres directos. A subida dos centrais - Giray é muito perigoso a atacar o 1º poste - e a astúcia de Paulo Henrique a movimentar-se e a conquistar posição aos defesas adversários garantem um bom aproveitamento de bolas paradas indirectas, como foi vísivel nos jogos da pré-temporada.

 

Análise

 


Defesa

- Onur Kıvrak é uma baixa de muito peso na baliza: realizou uma temporada muito sólida em 2010/11 e confirmou-se, aos 23 anos, como o guardião turco com maior futuro. Tolga Zengin, grande referência do clube, será o seu substituto: muito alto, o que lhe dá garantias no controlo do espaço aéreo, principalmente dentro da pequena área, mostra bons reflexos, elasticidade e um bom controlo espacial da baliza, ainda que, por vezes, demonstre excesso de confiança na abordagem aos lances: não só entre postes, como também quando procura jogar com os pés.


- A defesa perdeu o seu central mais rápido, agressivo e consistente: Egemen Korkmaz, novo reforço do Besiktas. Os jogos de pré-temporada revelaram que a solidez defensiva patenteada na temporada passada ainda é uma miragem. São notórias as dificuldades dos centrais em velocidade, sobretudo de Mustafa Yumlu e Arkadiusz Głowacki, os possíveis parceiros do «patrão» Giray Kaçar, defesa forte fisicamente e muito poderoso no jogo aéreo, mas também algo lento. Os laterais, ambos com características ofensivas, apresentam limitações do ponto de vista defensivo: Serkan Balcı, apesar da sua entrega inexcedível ao jogo, enorme disponibilidade física e grande agressividade na abordagem aos lances, sente dificuldades no um para um com adversários velozes, enquanto que Piotr Brożek, um médio ofensivo de origem, patenteia fragilidades na cobertura aérea de espaços interiores. Por isso mesmo, o checo Ondřej Čelůstka, último reforço a juntar-se ao grupo, foi testado em ambas as laterais, com o objectivo de dar maior consistência defensiva à equipa.


- Os defesas assumem, diversas vezes, a saída para ataque e trocam a bola, através de passes curtos e médios, entre a 1ª e a 2ª fase de construção, com risco excessivo. Um convite para uma pressão média-alta por parte do adversário em busca da recuperação de bola. Giray Kaçar, apesar de optar, na maior parte das ocasiões, por saídas em segurança, revela bons apontamentos em aberturas longas em direcção ao ataque, tal como o lateral esquerdo Piotr Brożek, este mais através de passes laterais médios e longos. Nota ainda para o bom envolvimento dos laterais nos processos ofensivos, mas dão algum espaço para o adversário explorar as suas costas em transições rápidas.

 


Meio-Campo

- A saída de Selçuk İnan, o «maestro» do Trabzonspor 2010/11, para o Galatasaray, é uma perda de muito peso no sector intermediário: forte a assumir acções de organização de jogo e capaz de proporcionar várias assistências para situações de finalização, possui também um remate forte de fora da área, em bola corrida e parada. Assegurada a continuidade do argentino Gustavo Colman, também ele um jogador bem dotado no capítulo do passe, do remate - em bola parada e corrida - e capaz de produzir desequilíbrios no um para um, Şenol Güneş conseguiu a aquisição de Didier Zokora, um médio defensivo muito experiente, como também a de Adrian Mierzejewski, um médio criativo, capaz de jogar ao centro ou à esquerda, com bons argumentos no último passe e dotado de um bom remate, em bola corrida e parada, de pé esquerdo.


- Didier Zokora deu boas indicações durante a pré-temporada: é um médio que dá um maior poder físico, agressividade e capacidade de recuperação ao sector, como também se revela fundamental, fruto da sua boa cultura táctica e posicional, a garantir os equilíbrios defensivos, sobretudo numa equipa em que os laterais atacam melhor do que defendem. O seu entendimento com Gustavo Colman, médio centro mais móvel, mas também participativo do ponto de vista defensivo, foi crescendo com o decorrer do estágio.


- À semelhança do que acontece no sector defensivo, os médios revelam uma tendência excessiva para jogar através de passes curtos e médios e para procurarem, em algumas situações, o um para um entre a 2ª e a 3ª fase de construção, situações que deixam a equipa muito exposta, em caso de perda de bola, a ataques rápidos do adversário. No entanto, jogadores como Zokora, Colman, Adrian Mierzejewski ou Alanzinho, quando aparece em posições centrais, mostram-se muito confortáveis a fazer a bola circular e, mesmo faltando objectividade em algumas acções, a procurar o envolvimento dos laterais nos processos ofensivos. Apesar de optar, na maior parte das ocasiões, por passes curtos, Zokora mostra argumentos para realizar aberturas longas em direcção ao ataque; Colman mostra-se capaz de alternar passes com acções de condução em que procura criar desequilíbrios; enquanto que Adrian Mierzejewski mostra facilidade a executar a um-dois toques e a procurar passes de ruptura entre a 3ª e a 4ª fase de construção.

 


Ataque

- Aposta clara na exploração da velocidade e capacidade de desmarcação dos avançados, todos eles muito móveis, quase sempre na sequência de ataques rápidos. Em ataque organizado, ainda são notórias as dificuldades em criar oportunidades de golo, fruto da ausência de um jogador de área e do entrosamento reduzido entre os jogadores, já que a equipa foi muito renovada do meio-campo para a frente, na sequência das saídas de Selçuk İnan, médio de ligação, Jajá Coelho e Umut Bulut, a dupla de ataque que valeu 25 golos em 2010/11.


- Paulo Henrique é a principal referência ofensiva do Trabzonspor: avançado extremamente móvel, rápido, intenso e poderoso do ponto de vista físico, gosta de partir de espaços exteriores em direcção à área, mostrando grandes perspicácia a desmarcar-se e capacidade para promover desequilíbrios no um para um. Oportuno em zona de finalização, sabe ganhar posição aos defesas adversários e tirar partido do seu remate com ambos os pés. Apesar de não ser um especialista no futebol aéreo, o seu bom poder de antecipação vale-lhe alguns golos de cabeça.


- Nas alas, Burak Yılmaz é a principal opção para a direita, mas também pode ser utilizado como segundo avançado. Jogador rápido, muito agressivo e inteligente a desmarcar-se, revela grande facilidade de remate com o pé direito. À esquerda, Alanzinho, também capaz de ocupar espaços centrais ou actuar à direita, deve ser a opção de Şenol Güneş, em detrimento de Halil Altintop. Muito forte no um para um, ao tirar partido da sua velocidade, agilidade e mobilidade, características a que consegue aliar um muito bom poder de drible, peca, em várias situações, por se agarrar em demasia à bola e perder objectividade nas suas acções.

 


Banco

- Halil Altintop deverá ser a «arma secreta» de Şenol Güneş para o jogo do Estádio da Luz. Com carreira construída no futebol alemão, o internacional turco, capaz de jogar em todas as posições do ataque, ainda não está na sua melhor forma física e revelou, durante a pré-época, pouco entrosamento com os colegas de equipa. No entanto, é um jogador móvel e inteligente a desmarcar-se, capaz de efectuar passes e de finalizar a um-dois toques. O polaco Paweł Brożek, avançado móvel, rápido e perspicaz a aparecer em zona de finalização, e Mehmet Çakır, extremo veloz e desequilibrador no um para um, protagonista de uma boa pré-temporada, são outras opções para o ataque. Para reforçar ou refrescar o sector intermediário, Şenol Güneş conta com várias opções: Aykut Akgün e Sezer Badur para a zona central; Sercan Kaya para efectuar a ligação entre o meio-campo e o ataque; e jogadores versáteis como Barış Ataş - médio centro ou lateral -, Engin Baytar - médio ala esquerdo ou médio ofensivo - Eren Albayrak e Ferhat Öztorun, ambos capazes de fazer todo o corredor esquerdo.

 


Bolas Paradas

Um dos pontos fortes do Trabzonspor. Três bons marcadores de livres directos: Gustavo Colman e Burak Yılmaz, destros, costumam assumir a responsabilidade no centro/esquerda; Adrian Mierzejewski, canhoto, deverá assumir a responsabilidade no centro/direita. Gustavo Colman - à esquerda - e Adrian Mierzejewski - à direita - costumam assumir a marcação de livres laterais e pontapés de cantos, mostrando facilidade em colocar a bola na área. A subida dos centrais - Giray é muito perigoso a atacar o 1º poste - e a astúcia de Paulo Henrique a movimentar-se e a conquistar posição aos defesas adversários garantem um bom aproveitamento deste tipo de lance, aos quais se podem juntar Burak Yılmaz ou Halil Altintop e Piotr Brożek ou Ondřej Čelůstka. Gustavo Colman, Adrian Mierzejewski e Alanzinho também se mostram muito atentos a eventuais remates de ressaca. Em relação às grandes penalidades, Burak Yılmaz e Gustavo Colman costumam ser os jogadores chamados a assumir a conversão, mas Halil Altintop, Adrian Mierzejewski e Paweł Brożek também podem ser chamados a assumir essa responsabilidade, até porque estavam habituados a fazê-lo nos seus anteriores clubes.

E Sobre o Luisão?

A edição desta manhã do jornal Record noticia negociações da Benfica - SAD por dois jogadores, a saber: Jonathan Soriano e Patricio Rodríguez. Para evitar quaisquer outras especulações que se possam vir a fazer com base nesta informação, a Sport Lisboa e Benfica – SAD vem esclarecer que não há negociações em curso por nenhum dos atletas referidos, carecendo, por isso, a notícia de qualquer fundamento.

Pág. 1/4